Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Mackenzie tem inscrições abertas para vestibular de inverno

Saiba mais sobre a universidade que une tradição e modernidade em seu programa de ensino

Por Ana Carolina Pereira, de Abril Branded Content Atualizado em 27 Maio 2021, 23h24 - Publicado em 26 Maio 2021, 11h00

Até o próximo dia 7 de junho, estarão abertas as inscrições para o vestibular da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), nos campi Higienópolis, na capital paulista, Alphaville, na Grande São Paulo, e Campinas, no interior do estado. Fundado em 1870, o Mackenzie é uma instituição educacional privada, confessional e sem fins lucrativos que oferece mais de 30 cursos de graduação em todas as áreas do conhecimento, além de programas de extensão e pós-graduação – especialização, mestrado e doutorado.

Apesar dos mais de 150 anos de existência na cidade de São Paulo, que impactam diretamente a expertise de ensino, a UPM não parou no tempo. Pelo contrário. De acordo com Rafael Fonseca, coordenador de desenvolvimento de discentes, as palavras que compõem o slogan da universidade, “tradição e pioneirismo”, traduzem bem o momento que a instituição vive e de que forma pretende influenciar seus alunos. “O Mackenzie é tradicional, mas não ministra uma educação velha. Estamos afiados com o que tem de mais moderno em termos de projetos pedagógicos e propostas educacionais no mundo”, conta.

Espaço ao ar livre na universidade
Ao ar livre: amplo espaço de convívio entre alunos dos mais diversos cursos Mackenzie/Divulgação

O Mackenzie se propõe a oferecer aos estudantes uma formação equilibrada: com a base teórica necessária que todo curso precisa abordar, porém, combinada a uma experiência prático-técnica, que tem como objetivo ajudar o recém-formado a chegar preparado ao mercado de trabalho. “A ideia é que, independentemente do curso, o aluno receba o seu diploma com a certeza de que consegue se virar em qualquer área de sua formação em que optar por atuar. Um estudante de jornalismo, por exemplo, sairá do Mackenzie apto a trabalhar em rádio, em televisão, em jornal impresso, em publicações on-line e assim por diante. Ele vai ter tido o contato prático com todas as vertentes possíveis de sua profissão”, ressalta Fonseca.

Para o mercado de trabalho e para a vida

As competências culturais, globais e socioemocionais também são foco das propostas de aprendizado na UPM. Além das tendências de características que o mercado de trabalho busca nos profissionais, a universidade tem a preocupação de também preparar o jovem para a vida em sociedade. “Nós sempre fomos muito bem reconhecidos nas habilidades específicas. Mas entendemos que o aluno tem que sair daqui não apenas sabendo fazer cálculos corretamente, no caso dos cursos de exatas, mas também devem saber exercer a liderança, ser profissionais éticos e com um olhar global. Estamos trabalhando para formar não apenas bons analistas, mas CEOs completos, que farão a diferença”, afirma o coordenador.

Para atingir esse objetivo, a universidade oferece, dentro de seus campi de tijolinhos cercados por árvores, um mar de oportunidades, incluindo uma área focada no auxílio ao aluno em temas relacionados a estágio, monitorias para iniciação científica, forte programa de intercâmbio com parceria com universidades estrangeiras e diversas práticas laboratoriais, com destaque para o moderno programa de empreendedorismo. “Todos os cursos contam com matérias voltadas para desenvolver uma mentalidade empreendedora, e todas as áreas têm um representante de inovação. E, além dessa universalidade do tema, investimos na multiculturalidade, misturando as turmas para que façam um projeto interdisciplinar. Criamos todo um ecossistema empreendedor e, com isso, oferecemos um aprendizado muito rico”, diz Fonseca.

Prédio de tijolos com árvores em volta na Universidade Presbiteriana Mackenzie
O campus de higienópolis é conhecido por seus prédios de tijolinhos, cercado pelo verde das árvores Mackenzie/Divulgação

A universidade tem como prioridade o tripé ensino, pesquisa e extensão na formação dos seus alunos e, desde a graduação, incentiva a continuação dos estudos, com um forte programa de pós-graduação.

Continua após a publicidade

Depois da graduação

Felipe Chiarello, pró-reitor de pesquisa e pós-graduação, garante que quem quer se dedicar à pesquisa tem muito espaço na UPM. Programas como o Mack Pesquisa, que financia pesquisas desenvolvidas por professores e alunos do stricto sensu, são comuns na universidade.

Na graduação, semestralmente, o Mackenzie oferece para seus alunos a oportunidade de participar, com incentivo financeiro por meio de bolsa, de projetos de iniciação científica, iniciação tecnológica e de inovação, bem como projetos de extensão.

Interior de uma biblioteca antiga da Universidade Presbiteriana Mackenzie
Infraestrutura: biblioteca do campus Higienópolis da UPM Mackenzie/Divulgação

Também os professores são estimulados a manter ativa a vida acadêmica investigativa: a maioria tem horas de serviço divididas entre sala de aula e pesquisa. “Queremos que professores e alunos continuem produzindo conhecimento. 92% do nosso corpo docente é composto por profissionais com mestrado e doutorado, por exemplo, e isso também influencia o estudante a não perder o interesse pelo estudo depois de ter o diploma em mãos”, afirma.

O incentivo à pesquisa passa por diversos programas de apoio e parcerias importantes, com grandes empresas globais, como Facebook, Google e Apple. “Somos adeptos do aprendizado na prática. Então, nossos estudantes tiveram a oportunidade de conhecer a sede do Facebook no Vale do Silício, por exemplo, sem contar os programas de dupla titulação com universidades conveniadas em todos os continentes”, reforça.

2021 foi carimbado como “O Ano da Pesquisa Mackenzie”, com um logo criado internamente, pelos alunos de comunicação. E não foi por menos. Só na pandemia, a universidade aumentou em 100% o número de empresas incubadas e contou com um crescimento de 120% nos programas de iniciação científica. “Em 2018, tivemos 322 projetos de pesquisa. Hoje, somamos 563. O Mackenzie é reconhecido nacional e internacionalmente por esse trabalho que faz, e temos muito orgulho de poder oferecer para os alunos, desde a graduação, um contato direto com o que tem de mais atual no mundo dos estudos, seja para seguir a vida acadêmica, seja para encarar o mercado de trabalho ou a combinação entre os dois”, diz Chiarello.

Assim como nos últimos processos seletivos, por causa da pandemia de Covid-19, o vestibular do segundo semestre de 2021 da UPM contará com duas possibilidades de entrada: pela nota do Enem referente aos anos 2019 e 2020, e por meio de provas on-line, que serão realizadas em dois grupos, sendo o primeiro no dia 15 junho, às 14h, e o segundo no dia 16, no mesmo horário.

Para mais informações e inscrição no processo seletivo, acesse o site da universidade.

Continua após a publicidade
Publicidade