logo-ge

Maioria dos matriculados na Unicamp vem de escola pública

No entanto, outra meta não foi cumprida: dos 35% previstos de ingressantes autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, a universidade registrou apenas 22%

 (Divulgação/Unicamp)

Pela primeira vez, o número de calouros egressos de escola pública é maioria na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp): este ano, o número chegou a 50,3% do total, quase 3% a mais do que no ano passado.

Os números cumprem a meta aprovada em 2013 pelo Conselho Universitário para a inclusão social nos cursos de graduação, que estabeleceu que a Universidade atingisse 50% de ingressantes oriundos da rede pública até 2017.

O resultado foi obtido a partir da campanha de inclusão feita pela universidade, com a ajuda da bonificação nos pontos da primeira e segunda fases oferecidos pelo programa de ação afirmativa e inclusão social (Paais).

No entanto, outra meta não foi cumprida: dos 35% previstos de ingressantes autodeclarados pretos, pardos ou indígenas, a universidade registrou apenas 22%, número inferior ao do ano passado. Dos 70 cursos da instituição, apenas cinco cumpriram a meta: Engenharia de Controle e Automação, Licenciatura de Química e Física, Ciências Econômicas, Química Tecnológica, e o que registrou 45% de pretos, pardos e indígenas, Geologia.