Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

MEC anuncia programa de intercâmbio para negros e indígenas

Número de vagas e lista de cursos contemplados ainda não foram divulgados

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h25 - Publicado em 29 ago 2013, 18h22

O Ministério da Educação (MEC) anunciou um programa de intercâmbio voltado para estudantes negros e indígenas do ensino superior. O Programa de Desenvolvimento Acadêmico Abdias Nascimento será desenvolvido em parceria com Universidades e Instituições Comunitárias de Ensino Superior Historicamente Negras nos Estados Unidos. Parte das bolsas de estudo será oferecida pelo Programa Ciência sem Fronteiras (CsF).

– Governo lança site de estágios e empregos para bolsistas do Ciências sem Fronteiras

No momento, segundo o ministro da Educação, Aloízio Mercadante, 18 reitores norte-americanos estão no Brasil para detalhar o programa. Ainda não se sabe quantas vagas serão oferecidas para os estudantes brasileiros negros e indígenas.

O coordenador do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros, Paulino Cardoso, diz que o programa é uma ação muito importante para que os pesquisadores negros deem um salto na educação brasileira. “Hoje o Brasil, e principalmente aqueles que fazem parte de um grupo dirigente, dividem-se entre aqueles que têm e aqueles que não têm uma experiência internacional, sejam eles estudantes de graduação, sejam professores. O programa vai permitir a intensificação do intercâmbio entre esses estudantes e da língua inglesa no país”.

Para saber mais

As Universidades Historicamente Negras foram criadas na década de 60 com a missão de educar negros, sendo abertas, no entanto, a indivíduos de todas as etnias. Para aderir ao programa, as universidades devem ter comprovada excelência. São mais de 100 instituições com essas características nos Estados Unidos.

*Com informações da Agência Brasil

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade