Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

MEC distribuirá kit anti-homofobia em escolas públicas no segundo semestre

Projeto que pretende acabar com o preconceito e discriminação em ambiente escolar é alvo de críticas

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h37 - Publicado em 12 Maio 2011, 13h33

O Ministério da Educação (MEC) planeja distribuir, a partir do segundo semestre deste ano, um kit anti-homofobia, que tem como objetivo acabar com o preconceito e a discriminação de homossexuais no ambiente escolar. Chamado de Escola Sem Homofobia, o material, que será enviado incialmente para seis mil escolas de ensino médio da rede pública de todo o Brasil, será composto de filmes e um guia de orientação aos professores.

O projeto faz parte do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (PNPCDH-LGBT) – um conjunto de mais de 160 diretrizes elaboradas pela Secretaria de Direitos Humanos, em parceria com entidades não governamentais, que visa a promover a cidadania e os direitos humanos da comunidade LGBT.

De acordo com a assessoria do MEC, o material distribuído para as escolas não será, obrigatoriamente, passado aos alunos. Conforme informou ao GUIA DO ESTUDANTE, o kit é uma orientação aos professores de como tratar a discriminação aos homossexuais em sala de aula e será usado da forma que cada diretor de escola achar melhor.

Mesmo assim, o conteúdo o kit, principalmente os vídeos que serão distribuídos, está sendo alvo de críticas. Nesta semana, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) distribuiu panfletos em escolas do Rio de Janeiro declarando que o MEC e grupos LGBT queriam incentivar o homossexualismo nas escolas.

O deputado João Campos (PSDB-GO), da Frente Parlamentar Evangélica, também foi contra a utilização do kit anti-hofobia e afirmou que não há razão para que um público com certa orientação sexual tenha um tratamento especial nas escolas.

Do outro lado, o secretário nacional de Promoção e Defesa dos Direitos Humanos da Presidência da República, Ramaís de Castro da Silveira, diz que a iniciativa de levar o debate sobre a discriminação aos homossexuais às escolas tem como objetivo combater a exclusão histórica do grupo LGBT.

Críticas à parte, a iniciativa do MEC de discutir o tema tem fundamento. A pesquisa "Juventudes e Sexualidade", realizada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), mostra que 39,6% dos estudantes masculinos não gostariam de ter um colega de classe homossexual, 35,2% dos pais não gostariam que seus filhos tivessem um colega de classe homossexual, e 60% das(os) professoras(es) afirmaram não ter conhecimento o suficiente para lidar com a questão da homossexualidade na sala de aula.

A pesquisa foi feita em 2000, em 241 escolas públicas e privadas de 14 capitais do Brasil. Os resultados só foram publicados em 2004.

Continua após a publicidade

Alguns dos vídeos que podem compor o kit anti-homofobia foram divulgados na internet. O MEC não confirma que eles farão parte do material, pois o conteúdo do kit ainda está sendo analisado.

Confira os filmes divulgados no YouTube

– Probabilidade

– Torpedo

– Encontrando Bianca

*Com informações de O Estado de S.Paulo

LEIA TAMBÉM

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade