Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Para professores, prova da Unicamp 2016 foi 'antiquada', mas manteve nível do exame anterior

Prova cobrou conteúdos muito específicos, mas notas de corte devem permanecer iguais

Por Ana Lourenço Atualizado em 16 Maio 2017, 13h44 - Publicado em 22 nov 2015, 19h07

A primeira fase do vestibular 2016 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) aconteceu neste domingo (22), em 25 municípios do estado de São Paulo e no Distrito Federal. Foram quase 78 mil inscritos, com abstenção de 8,2%, somando 6.374 ausentes. Para os professores que analisaram a prova, o nível de dificuldade não sofreu alterações em relação ao ano passado – o que deve manter as notas de corte iguais. No entanto, algumas questões foram criticadas por parecerem "antiquadas" em relação aos padrões de prova mais recentes.

>> Acesse a correção comentada da primeira fase da Unicamp 2016

Segundo Célio Tasinafo, coordenador pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, a prova não estava mais difícil, mas mais bem feita do que o vestibular 2015. “As questões interdisciplinares estavam mais bem trabalhadas, feitas com cuidado”, explica. Além disso, os conteúdos estavam bem distribuídos entre cada disciplina, com um pouco de tudo: “em Matemática, por exemplo, tivemos desde questões sobre funções até questões sobre números complexos”, diz Célio.

Já segundo o professor Paulo Moraes, diretor de ensino do Anglo Vestibulares, a prova parecia "uma colcha de retalhos". De acordo com ele, em cada prova de vestibular é possível ver uma conexão entre as questões, um começo, meio e fim, o que não aconteceu nesta edição da Unicamp. "Não houve homogeneidade na prova. Algumas questões estavam difíceis, muito específicas e conteudistas", explica.

Dentre as da área de Humanas, as questões de Geografia cobraram temas como cartografia, navegação de cabotagem e população indígena, e valorizaram o aluno que estudou um pouco de tudo, literalmente. "Os temas eram muito específicos, não se conectaram com a realidade do estudante. Parecia que foram retiradas de assuntos de rodapé, matérias que não são muito enfatizadas no ensino médio", explica Paulo Moraes.

Outra crítica foi para as questões das disciplinas de Exatas, que estavam muito pouco contextualizadas ao cotidiano do aluno, o que vai ao contrário do que vem se tornando tendência nas salas de aula. “A maioria das questões eram do cálculo pelo cálculo. A mais contextualizada falava sobre beisebol, o que ainda assim é distante do aluno brasileiro, por não ser um esporte popular no país”, analisa Célio.

Continua após a publicidade

As questões de Português valorizaram bastante a Literatura e o estudante que tivesse lido os livros obrigatórios. “Para quem leu os livros, não foi uma prova difícil. Mas não era o tipo de exame que desse para fazer só com os resumos”, explica. Além disso, as outras questões valorizaram muito a interpretação de texto, tendo pouquíssimo conteúdo de gramática. “A vantagem da Unicamp é que, apesar de serem questões mais difíceis, tinham textos menores do que o Enem, por exemplo, o que cansa menos na hora de fazer.”

Já para a segunda fase, Célio acredita que a prova apresentará nível maior de dificuldade em relação à primeira etapa. “O estudante pode esperar cálculos mais complexos e deve ter um cuidado muito grande com a redação e as questões dissertativas, que vão exigir mais tanto do intelectual quanto do físico”, diz. Segundo Paulo, a apreensão é grande para saber o que virá na segunda fase. "Essa prova, para mim, foi diferente das outras provas da Unicamp, que costuma ser bem vanguardista. As questões pareciam de 20 anos atrás. O estudante precisa se preparar até janeiro, porque é provável que a segunda fase seja no mesmo estilo", diz.

Próximas datas

O gabarito oficial das provas será divulgado na próxima terça-feira (24). A segunda fase do processo seletivo ocorrerá em 17, 18 e 19 de janeiro de 2016. De 25 a 28 de janeiro acontecem as provas de habilidades específicas para os cursos que as exigem.

O resultado final do vestibular será divulgado em 12 de fevereiro de 2016, com matrícula da primeira chamada em 13 e 14 de fevereiro.

LEIA MAIS

– Notícias sobre vestibulares e Enem

Continua após a publicidade

Publicidade