Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Primeiros estudantes a saírem da Fuvest 2012 comentam a prova

Primeira fase aconteceu na tarde deste domingo (27)

Por por GUILHERME DEARO Atualizado em 16 Maio 2017, 13h28 - Publicado em 27 nov 2011, 17h23

Depois de três horas de prova, alguns estudantes já deixavam o prédio da Engenharia Civil, na Universidade de São Paulo, depois de fazer a primeira fase da Fuvest 2012.

Guilherme Falconi Paula, 17 anos, presta pela primeira vez a Fuvest e sonha com uma vaga no curso de Ciência da Computação. Para Guilherme, a prova teve dificuldade média: “Matemática e física estavam mais complicadas, mas biologia e geografia estavam simples. Português e Inglês fui bem também, respondi com muita facilidade”, conta Guilherme.

Para o estudante, que afirma querer entrar na USP de qualquer jeito e não pensa em outras opções de faculdade, o tempo não é o fator mais relevante da prova: “O cara que demora demais é porque não está confiante. Você precisa estar confiante, saber que sabe fazer antes mesmo da prova começar. Meu estudo maior foi na escola. Quis me preparar mais psicologicamente, então estudava na escola e em casa procurava relaxar. Hoje consegui respirei fundo e consegui manter a calma”.

Já Gabriel Serrano, 18 anos, está tentando uma vaga em Engenharia Civil. Foi a primeira Fuvest de Gabriel, que está no último ano do colégio e também trabalha. “Estudei nos poucos horários livres, quando dava, em alguns finais de semana também”, diz Gabriel.

Além da Fuvest, Gabriel vai prestar para o Mackenzie e a FEI. “A prova estava um pouco complicada. As matérias que tenho mais dificuldade são português e literatura. Já as matérias de Exatas vou bem, consegui responder”, conta.

– Candidatos mantêm a calma antes da prova começar

Continua após a publicidade

– Estudante confunde horário e perde prova

Treineira

Gabriela Luciana Silva, 16 anos, ainda está no 2º ano do ensino médio, mas fez questão de fazer o exame neste domingo (27) como treineira, para a área de Biológicas.

“É importante prestar a prova antes, pois ajuda na preparação. A maioria das coisas eu já sabia, tinha estudado no colégio”, conta.

Gabriela pretende prestar Educação Física ano que vem e não achou a prova muito complicada: “Acho que fui bem. Física foi mais difícil, mas matemática e história estavam fáceis”.

LEIA TAMBÉM

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade