Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

UFC reservará 50% das vagas para o sistema de cotas já a partir de 2014

Conselho Universitário decidiu antecipar porcentagem exigida pelo governo federal, que poderia ser adotada até 2016

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h51 - Publicado em 7 out 2013, 16h38

A Universidade Federal do Ceará (UFC) irá ofertar 50% de suas vagas a alunos que cursaram todo o Ensino Médio na rede pública a partir de 2014, em cumprimento à Lei nº 12.711/2012, do governo federal. Os outros 50% das vagas permanecem disponíveis para ampla concorrência. A instituição decidiu antecipar a implantação total do sistema de cotas, após reunião do Conselho Universitário (Consuni), realizada na sexta-feira (4). Segundo a lei, as universidades federais têm até agosto de 2016 para oferecer 50% das vagas aos cotistas.

– Lei de cotas completa um ano e universidades federais têm 32,5% das vagas ocupadas por cotistas

Ao aprovar a reserva de 50% já para 2014, a UFC acompanha uma tendência nacional entre as universidades federais de antecipar o cumprimento integral da Lei das Cotas. Segundo levantamento do Ministério da Educação (MEC), um terço das universidades federais e 83% dos institutos federais se anteciparam às regras de transição e cumpriram integralmente a Lei das Cotas no primeiro ano de implantação.

A UFC decidiu antecipar a totalidade do percentual porque, segundo o reitor da UFC, Prof. Jesualdo Pereira Farias, não houve dificuldades na primeira etapa do sistema de cotas. "Não tem porque adiar esse processo, por isso aceitamos o desafio", disse. Para o Pró-Reitor de Graduação da UFC, Prof. Custódio Almeida, a universidade manterá seu padrão de excelência, graças à grande concorrência nos cursos da UFC, que mantêm as notas de corte elevadas.

Atualmente, boa parte dos cursos da UFC já possui um percentual de alunos oriundos da rede pública superior ao que prevê a Lei. Os cursos com os maiores índices de participação de alunos da rede pública são Redes de Computadores (Quixadá), com 91,2%; Música (Sobral), com 76,2%; Sistemas de Informação (Quixadá), com 69,8%; Letras-Espanhol (Fortaleza-Noturno), com 51,9%, e Biblioteconomia (Fortaleza), com 51,4%. No caso de cursos mais concorridos da UFC, o percentual de estudantes oriundos da rede pública também é considerável: Direito Noturno, com 25%; Direito Diurno, com 16,3%; Medicina (Fortaleza), com 17,4%, e Medicina (Cariri), com 14,3%.

Continua após a publicidade

Como funciona o sistema de cotas

As modalidades de cotas, bem como as fórmulas de cálculo e condições para concorrência, continuam iguais. Dentro das cotas destinadas aos estudantes do ensino público, há uma reserva de 50% para aqueles com renda familiar bruta igual ou inferior a 1,5 salário mínimo por integrante da família. A outra metade das cotas independe da renda do aluno, contanto que seja oriundo da escola pública.

Em ambos os casos, também será levado em conta percentual mínimo correspondente ao da soma de pretos, pardos e indígenas no Estado, de acordo com o último censo demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No Ceará, esse percentual chega a 67% (resultado da soma de 62% de pardos, 4,8% de pretos e 0,2% de indígenas). Nos quatro primeiros anos da Lei, cotistas podem disputar vagas também na ampla concorrência.

Seleção pelo Sisu

A UFC realiza a seleção de suas vagas nos cursos de graduação presencial utilizando a metodologia do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), com base nas notas obtidas pelos estudantes no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). São previstas pelo menos 5.588 vagas nos campi de Fortaleza, Sobral e Quixadá para o próximo ano. O cronograma do processo seletivo do SiSU para 1º/2014 ainda não foi divulgado pelo MEC.

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade
Publicidade