Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

UnB proíbe trote “sujo” e regulamenta festas

Universidade de Brasília proíbe a venda de bebidas alcoólicas nos campi e poderá expulsar alunos que apliquem trotes que envolvam castigos ou humilhação

Por da redação Atualizado em 16 Maio 2017, 13h41 - Publicado em 2 abr 2012, 13h49

O Conselho Universitário da UnB aprovou, por 42 votos a zero, regulamentação que proíbe os chamados trotes "sujos" – aqueles que envolvam castigos, humilhações ou descriminação aos novos estudantes. As punições para quem desobedecer a nova norma vão de advertências à expulsão, informou a Secretaria de Comunicação da UnB.

– UnB classifica trote de "sujo" e "humilhante"

– Primeiro trote registrado no Brasil terminou em morte

– Veja como é o trote ao redor do mundo

– "Trote é exclusão, não integração", diz professor da USP

Os alunos também não poderão fazer festas e happy hours com bebidas alcoólicas dentro dos campi, exceto com autorização da unidade acadêmica responsável pelo local.

Mesmo assim, os espaços destinados às aulas e pesquisas só poderão ser usados para confraternizações entre membros da comunidade até as 22h30, horário que poderá ser estendido até a meia-noite. Eventos de médio porte deverão ser realizados em outros locais, como o Teatro de Arena. Os grandes, que envolvam a venda de ingressos e publicidade, só podem acontecer no Centro Comunitário Athos Bulcão.

O documento aprovado também permite que a segurança da UnB exija a identificação dos membros da comunidade acadêmica dentro da universidade.

Continua após a publicidade

Pontos a serem discutidos

Detalhes do relatório, que foi proposto pelo professor David Renault, ainda serão discutidos e votados. ISSO deve acontecer na próxima reunião do Conselho Universitário, no dia 13 de abril.

Entre as discussões a serem feitas estão se os Centros Acadêmicos poderão ser responsabilizados pelos trotes ou não. Alguns estudantes defendem que essas são atitudes individuais e que a entidade não pode ser cobrada pelo todo.

As regras para consumo e venda de bebidas alcoólicas também deverão ser revistas. Os estudantes defendem mais alternativas para a realização de happy hours, uma vez que essas atividades ajudam a financiar o movimento estudantil. Mas o diretor da UnB Gama, Alessandro Borges, lembrou que há leis no Distrito Federal que proíbem a venda de bebidas em todas as instituições de ensino.

 

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular e Enem

 

Continua após a publicidade

Publicidade