Assine com até 65% de desconto

Unesp 2013: Grande desafio da segunda fase é conseguir ser conciso, mas também completo nas respostas, diz professor

Questões abordaram temas clássicos, mas prova de filosofia cobrou conceitos específicos e se desvinculou do mero conhecimento histórico

Por Ana Prado Atualizado em 16 Maio 2017, 13h40 - Publicado em 16 dez 2012, 20h03

Para o professor Célio Tasinafo, diretor pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, a segunda fase do vestibular 2013 da Universidade Estadual Paulista (Unesp) não teve grandes surpresas em termos de conteúdo em seu primeiro dia. Neste domingo (16), foram 12 questões dissertativas de ciências humanas (história, geografia e filosofia) e 12 de ciências da natureza e matemática (elementos de biologia, química, física e matemática).

– Baixe os cadernos de prova do primeiro dia

“A prova de ciências humanas cobrou assuntos clássicos, como a Revolução Francesa, ocupação do espaço urbano e paisagens vegetais. O mais difícil talvez tenha sido o aspecto redacional, as questões eram amplas e pediam muita análise, explicação e correlações”, afirma o professor. “O candidato que chegou à segunda fase tinha condições de responder a boa parte da prova, mas era preciso saber administrar bem o tempo e saber o que era necessário ser dito”, completa. A prova de ciências da natureza e matemática seguiu o padrão e não fez grandes exigências.

Talvez a maior novidade tenha sido filosofia, cujas questões cobraram conceitos específicos, como o mito da caverna de Platão. “Ficou evidente o descolamento da filosofia com a história. Não bastava saber interpretar textos ou ter algum conhecimento histórico para saber responder”, comenta o professor Célio.

Levando em conta apenas os temas cobrados, a prova estava fácil. O desafio estava em saber sabe ser sintético e objetivo sem deixar de fornecer as informações que a banca pediu”, conclui.

Continua após a publicidade

Dica para a prova de redação

Nesta segunda (17), a prova terá 12 perguntas de linguagens e códigos (que inclui língua portuguesa e literatura, língua inglesa, educação física e arte) e uma redação. Segundo o professor, as questões devem ser mais focadas em interpretação de texto, já que não há a cobrança de obras obrigatórias.

Sua dica para a prova de redação é: “Esforce-se para atender exatamente à demanda da proposta. Alunos tendem a querer inventar, ser original, trazer informações de fora, mas isso não é necessário. Como a redação cobrada será dissertativa, haverá textos de apoio. Aproveite-os ao máximo, sem tentar mostrar erudição forçada ou linguagem rebuscada. Tem que ser um arroz-com-feijão bem feito. Não se espera que o aluno produza uma nova visão de mundo em uma redação de 35 linhas, mas é necessário que ele mostre que sabe organizar bem as ideias e tem opinião.”

O GUIA DO ESTUDANTE trará a correção da prova em parceria com o cursinho Oficina do Estudante.

 

LEIA MAIS

– Notícias de vestibular

Continua após a publicidade
Publicidade