Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Unesp 2020 será uma prova sem “pegadinhas”

Segundo a equipe técnica da Vunesp, os candidatos também devem esperar uma prova bastante interdisciplinar nesta sexta (15)

Por Taís Ilhéu 11 nov 2019, 16h31

Para preparar (e tranquilizar) os 95.440 candidatos que farão a primeira fase da Unesp nesta sexta-feira (8), a equipe técnica da Vunesp fez uma pesquisa para identificar as principais características da prova. Segundo o resultados apresentados por eles, os estudantes podem esperar uma prova bastante interdisciplinar e sem “pegadinhas”. 

A prova da primeira fase é composta por 90 questões de todas as disciplinas do currículo do Ensino Médio: Português, Literatura, História, Geografia, Sociologia, Filosofia, Educação Física, Artes, Matemática, Física, Química e Biologia. De acordo com a Vunesp, a prova pode ser considerada de grau médio, e as questões de cada uma dessas disciplinas estão equilibradas entre fáceis, médias e difíceis. 

Trata-se de uma prova “boa para identificar o aluno que tem boa compreensão leitora”, segundo a professora Ligia Maria Vettorato Trevisan, responsável pela área de Pesquisa, Desenvolvimento e Avaliação Educacional da Vunesp. “Ao pé da letra, é uma prova justa em que os estudantes são levados a usarem o que aprenderam na escola para resolver situações-problema”, concluiu, em um comunicado à imprensa. 

O estudo também também avaliou vestibulares anteriores da Unesp e apresentou que, no ano passado, a incidência de questões de média dificuldade foi de 52%, a de fáceis 28% e de difíceis 20%. Para fazer a avaliação das provas, os pesquisadores usaram métodos estatísticos como a Teoria Clássica de Testes (TCT) e a Teoria da Resposta ao Item (TRI).

Essa última é a mesma utilizada pelo Enem tanto na formulação da prova quanto na atribuição da nota. Na Unesp, embora ela tenha sido usada para medir o equilíbrio das questões da primeira fase e a capacidade delas de avaliar competências dos candidatos, a classificação para a segunda fase não se dá por esse método de correção, mas sim pelo TCT, que considera o número de acertos para estabelecer a nota de corte. 

Continua após a publicidade
Publicidade