Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Unesp 2021: veja a análise da primeira fase por disciplina

Confira os comentários de professores sobre o segundo dia de prova

Por Juliana Morales Atualizado em 1 fev 2021, 18h25 - Publicado em 1 fev 2021, 18h24

Depois dos estudantes dos cursos de biológicas no sábado, no domingo (31)  foi a vez dos candidatos dos cursos de Exatas e de Humanas, além dos treineiros, realizarem a primeira fase da Unesp 2021. Segundo Daniel Cecílio, Diretor Pedagógico, da Oficina do Estudante, o segundo dia manteve um padrão muito semelhante à prova do primeiro dia, com um nível de dificuldade bem distribuído.

“A Unesp apresentou uma prova abrangente e bem elaborada, com questões bem escritas, sem pegadinhas, e uma boa distribuição dos assuntos de cada uma das disciplinas”, comenta Cecílio.

Daniel Perry, diretor do Curso Anglo aponta que, assim como o primeiro dia , o segundo trouxe muita interdisciplinaridade – característica marcante da Unesp há alguns anos. “A avaliação trouxe uma boa diversidade de fontes na formatação das questões”, elogia.

Confira a análise e os comentários sobre o segundo dia de prova por disciplina, pela equipe do Oficina do Estudante.

Matemática

Mário Fernandes, professor da Oficina do Estudante, descreve a prova de Matemática como interessante e com uma boa contextualização. Ele conta que não teve a presença de conceitos de terceiro ano de Ensino Médio, como números complexos e geometria analítica. “Mas eram questões cuja a interpretação e análise dos gráficos e contexto eram muito importante para sua resolução, trazia uma complexidade além da conceitual”. Temas muito frequentes que a Unesp costuma cobrar apareceram, como probabilidade, análises gráficas, porcentagem e funções.

Química

Segundo Marcos Formis, da Oficina do Estudante, a prova de Química também foi bem elaborada. As questões eram bastante objetivas e houve a necessidade de interpretação de gráficos. Ele aponta a diversidade de temas abordados: questões desde fórmula molecular, densidade, oxirredução, reações inorgânicas, ph, diagrama de fases e estequiometria. 

Literatura

O professor Marcelo Maluf comenta que a prova do segundo dia também foi clássica, mas talvez um pouco mais aprimorada que a do primeiro dia. Um exemplo disso é que no primeiro dia foi cobrado o livro Tutaméia, do Guimarães Rosa, uma obra mais tranquila de ler, segundo o professor. Já no segundo dia, o mesmo autor apareceu, mas com Grande Sertão,  que é um livro bem mais complexo e demanda um pouco mais do candidato.

Marcelo afirma que, em relação ao estilo de questão e grau de dificuldade, manteve a tradição do vestibular: um texto mais longo, perguntas de interpretação de texto, formação de palavras em Guimarães rosa, Escolas Literárias. “Foi uma prova esperada da Unesp,não houve nenhuma surpresa, bem mais tranquila que Fuvest, Unicamp e o Enem”.

Humanidades

Sobre as questões de História da Arte, Sociologia e Filosofia, a professora Juliana Guise diz que a prova manteve um padrão bastante sólido da Unesp nos últimos anos, tanto no estilo como no nível de dificuldade. “Foram seis questões dessas disciplinas, uma presença importante”.

Teve uma certa predominância de questões que tratassem da função crítica e importância da Filosofia. “Apareceu uma questão esobre Bioética, que a Unesp sempre cobra e autores como John Locke e o contrato social e uma questão do Descartes, que também é tradição nos últimos anos”, conta.

Continua após a publicidade

Geografia

Fábio Bacchiegga afirma que a prova de Geografia foi de acordo com o esperado para Unesp: “com muitos temas  e um variável grau de dificuldade”. De acordo com o professor, houve uma boa divisão entre Geografia geral e Geografia do Brasil. Além de temas interdisciplinares com Biologia, por exemplo. Análise de tabelas, gráficos, mapas e infográficos também marcaram presença na avaliação.

“Em Geografia do Brasil, tivemos debates sobre a regionalização, fontes de energias, política econômica e uma questão muito interessante sobre a pandemia, abordando a expansão da covid-19 no estado de São Paulo e nos eixos rodoviários”, conta Fábio.

Biologia

O professor Marcelo Perrenoud da Oficina do Estudante disse que a prova de Biologia do segundo dia da Unesp foi conteudista com um nível intermediário de dificuldade. “Destaco das questões interdisciplinares, a questão sobre a análise da evolução e uma obra de Leonardo Da Vinci. Inusitado, mas bem agradável. Tivemos ainda parasitoses, hormônio vegetal, Darwin e o processo de seleção natural. Faltou questões atuais sobre os efeitos da Covid-19 e da pandemia”, disse.

Física

O professor Wander Azanha diz que a prova de Física manteve o padrão dos outros anos e elogiou a objetividade e a clareza das questões.  “Sentimos falta de uma questão de elétrica pura nos dois dias de prova e magnetismo que também não apareceu. Fora isso, a Unesp conseguiu abordar todos os tópicos de Física”, opina em relação ao conteúdo.

História

Alfredo Terra Neto, professor da disciplina na Oficina do Estudante, acredita que o segundo dia teve uma prova mais complexa que a anterior, que exigia uma leitura muito mais atenta associada a um conhecimento mais específico.

Ele ainda destaca uma questão que gerou debates: “Tivemos uma questão bastante polêmica de História do Brasil, sobre as características do Estado brasileiro, a opção era um ‘estado liberal e representativo’. É bastante discutível”.

Inglês

O professor Alexandre Torres observa que a quantidade de temas diminuiu em relação à prova do ano passado. Ele conta que, neste ano, basicamente os temas discutidos são atuais como sustentabilidade, desmatamento e queimadas. “Não apresentou textos muitos complicados, teve gráficos para observar, e trouxe reflexões que são necessárias para hoje em dia”.

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso Enem do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a centenas de videoaulas com professores do Poliedro, que é recordista em aprovações na Medicina da USP Pinheiros.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade