Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Veja o que candidatos acharam do primeiro dia de prova da segunda fase da Fuvest 2011

Tema de redação gera opiniões diversas; segundo vestibulandos, prova de Português não estava difícil

Por Júlia Frate Atualizado em 16 Maio 2017, 13h37 - Publicado em 9 jan 2011, 17h13

Saiba o que os estudantes esperavam do exame deste domingo (9/1)

A primeira prova da segunda fase da Fuvest 2011 foi encerrada às 17 horas deste domingo (9/1). Os candidatos ouvidos pelo GUIA estão otimistas quanto ao resultado de hoje, mas temem a segunda prova, que contém 20 questões de história, geografia, matemática, física, química, biologia, inglês e algumas questões interdisciplinares. 

Alegre por ter saído 40 minutos antes do tempo limite, a candidata ao curso Letras Maria Fernanda Tchalian, 21, se surpreendeu com seu desempenho no exame: “cheguei pensando que não tinha muita chance, mas gostei bastante da prova e agora estou muito otimista”, comemora. A vestibulanda, já formada em pedagogia, não se considerava preparada, mas acha que a prova deste ano teve menos conteúdo e mais reflexão, o que virou o jogo para ela. 

A pedagoga diz ter gostado muito do tema da redação, que questionava se o pensamento a longo prazo e o altruísmo têm espaço no mundo contemporâneo. A questão utilizava como referência pensamentos do sociólogo polonês Zygmunt Bauman
.
Já para Gabrielle Oliveira, 19, que presta Engenharia de Materiais, o tema da redação estava confuso: “eu já esperava um tema filosófico, mas fiquei confusa com a proposta e não me dei bem”. A candidata a Medicina, Ana Luiza da Cruz,que presta Fuvest pela quarta vez este ano, também não gostou do tema, “confesso que achei um pouco chato, não encontrei muito o que desenvolver dentro do assunto. Tenho a impressão de que todas as pessoas vão falar mais ou menos a mesma coisa”, critica. 

O candidato a Letras Paulo Manoel Antônio , 46, também achou o tema da redação "chato" e ficou extremamente surpreso com a facilidade das questões de português. "Não caiu absolutamente nada de gramática, apenas interpretação de texto. Eles só estão preocupados em saber se a gente entende o que estamos lendo", brinca o comerciante. "Realmente a USP não é mais um `bicho de de sete cabeças`. Eu não estudei quase nada e estou indo muito bem", completa. 

Já Gabrielle e Ana Luiza acharam que a prova de português estava dentro do esperado, nem muito fácil, nem difícil: "achei a prova bem ‘estilo Fuvest’, nenhuma pergunta absurdamente difícil e bastante interpretação de texto”, comenta Ana Luiza.

Em um ponto todos os candidatos concordam: o problema maior virá amanhã, na prova que reúne questões discursivas sobre diversas matérias. E agora, estudar? Para Maria Fernanda é hora de correr atrás do prejuízo e tentar aprender o máximo que conseguir nas próximas horas. Paulo também pretende revisar conteúdos. Já para Ana Luiza e Gabrielle, descanso: “é perda de tempo estudar agora”, garantem. 

Saiba mais sobre a segunda fase da Fuvest 2011 

LEIA TAMBÉM
Notícias de vestibular e Enem

Continua após a publicidade

Publicidade