Guia do Estudante

Veja notícias importantes da semana de 7 de julho

Ana Prado | 11/07/2014

Leia o resumo do Guia e fique por dentro das notícias importantes para quem vai prestar vestibular.

Hannover Messe 2013 Industrial Trade Fair
O presidente russo Vladimir Putin (Sean Gallup/Getty Images)

Rússia perdoa 90% da dívida de Cuba

Nesta semana, Vladimir Putin promulgou o acordo que anula 90% da dívida de Cuba com a extinta União Soviética, seu grande sócio econômico e diplomático na Guerra Fria. Isso equivale a 31,7 bilhões de dólares.  Putin iria se reunir nesta sexta (11) com Raúl e Fidel Castro em Havana para falar das relações comerciais entre os dois países, que haviam se afastado distanciamento com a desintegração da União Soviética, em 1991. Havia a expectativa da assinatura de contratos no campo da energia e transporte. Leia mais aqui.

 

Vacina contra a dengue

A Secretaria Municipal de Saúde já contabilizou 14.551 casos confirmados de dengue na cidade de São Paulo, com dez mortes, desde o início do ano. A maioria dos casos (68,35%) concentrou-se no período de março e maio. No entanto, há pesquisas para o desenvolvimento de uma vacina contra a doença já em fase final. Uma delas, publicada pela revista científica inglesa The Lancet nesta quinta (10), apresentou eficácia de 88% contra o tipo hemorrágico, considerado o mais grave, e deve funcionar contra os quatro tipos da doença. A previsão é que o estudo seja concluído até o final do ano. Depois disso, ela deverá passar pela avaliação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para poder ser disponibilizada no país em um processo que pode levar cerca de um ano. Leia mais aqui. 

 

OMS recomenda a homossexuais tomar antirretrovirais para prevenir o contágio com a Aids 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) advertiu nesta sexta que as infecções do vírus da Aids estão aumentando entre homossexuais em várias partes do mundo e recomendou que esse grupo tome antirretrovirais para prevenir o contágio, já que têm um risco 14 vezes maior que o resto da população de contrair o vírus. Leia mais sobre isso aqui. 

>> Biologia: Entenda como funcionam os antirretrovirais 

 

Rússia declara apoio à entrada do Brasil no Conselho de Segurança da ONU 

O presidente russo, Vladimir Putin, declarou seu apoio para que o Brasil ocupe um assento permanente do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). A Rússia é um dos cinco membros permanentes do Conselho, que tem como objetivo garantir a manutenção da paz e segurança internacionais. “Estou convencido de que esse país potente, crescendo de forma dinâmica, é destinado a desempenhar um papel importante na nova ordem mundial policêntrica que está em formação”, disse ele em entrevista à agência de notícias russa Itar-Tass. Putin, que visitará o Brasil na próxima semana para participar da reunião de Cúpula do Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), também defendeu um aumento no intercâmbio comercial entre os dois países e citou projetos de investimentos que já estão sendo realizados, com participação de empresas nas áreas de energia, maquinário e farmacêutica. Leia mais.

Em tempo: Preocupados com a desaceleração de suas economias, os países do Brics devem discutir a criação de um banco próprio para fortalecer os planos de desenvolvimento.

 

Ataques em Gaza

Falando no Conselho de Segurança da ONU, ocorreu nesta quinta (10) uma reunião de emergência sobre a escalada de violência na Faixa de Gaza. A operação militar israelense Limite Protetor, que começou na terça-feira (8), já deixou 98 mortos e mais de 600 feridos e já atacou aproximadamente 1.090 alvos que seriam ligados ao movimento islamita Hamas. Por outro lado, as facções armadas palestinas na Faixa de Gaza intensificaram os disparos de foguetes contra Israel. Leia mais aqui.

 

Fim da trégua entre Rússia e Ucrânia

No dia 30 de junho, o presidente ucraniano anunciou que não prolongaria a trégua de dez dias que havia sido combinada com a Rússia. O governo russo lamentou a decisão e acusou alguns países de fazer uso político da crise na Ucrânia. “De novo pedimos a nossos parceiros para parar de usar a Ucrânia como moeda de troca em jogos geopolíticos”, declarou o ministro dos Negócios Estrangeiros, Sergei Lavrov.

Nesta sexta (11), um ataque de separatistas pró-Rússia contra um posto ucraniano na fronteira pode ter matado cerca de 30 soldados ucranianos, mas o número de vítimas talvez seja ainda maior. Se a cifra de mortos for confirmada, esse poderá ter sido o ataque mais letal dos rebeldes contra forças do governo desde que os militares ucranianos encerraram o cessar-fogo.

>> Acompanhe a situação na Ucrânia. 

 

Compartilhe

Veja notícias importantes da semana de 23 de junho

Ana Prado | 27/06/2014

Veja as notícias importantes da semana para quem vai prestar vestibular.

Epidemia de ebola na África Ocidental preocupa o mundo

79997774
O vírus do ebola. (Imagem: Thinkstock). 

A ONG Médicos sem Fronteiras (MSF) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmaram nesta semana que a epidemia de ebola na República da Guiné, em Serra Leoa e na Libéria, está “fora de controle” e é sem precedentes tanto em termos de número de casos e de mortes, como em termos de expansão geográfica. Desde o início do ano até segunda-feira (23), havia 635 casos confirmados e, desses, 399 morreram. Já foram identificados doentes em mais de 60 locais dos três países da África Ocidental, o que torna muito difícil localizar e tratar as vítimas para deter o surto. O vírus do ebola é altamente contagioso e tem uma taxa de mortalidade que pode atingir 90% dos casos. Provoca febre hemorrágica caracterizada por vômitos, diarreia, dores musculares e, nos casos graves, pela falência de órgãos e hemorragia interna incontrolável.

O cessar-fogo entre Rússia e Ucrânia e o ingresso na União Europeia

Após o anúncio de cessar-fogo feito na semana passada pelo presidente ucraniano, a Rússia seguiu o mesmo caminho e anulou, na quarta-feira (25) a autorização para uma intervenção militar na Ucrânia, aprovada em março. De acordo com o governo russo, o objetivo é ajudar a normalizar a situação na Ucrânia. A decisão entra em vigor imediatamente. O presidente ucraniano, Petro Porochenko, elogiou a medida e disse que esse é o “primeiro passo concreto” para uma solução da situação no Leste da Ucrânia. A decisão surge mais de dois meses depois do início de uma revolta separatista pró-russa no Leste da antiga república soviética, que já registrou pelo menos 375 mortes. Segundo a ONU, cerca de 110 mil pessoas fugiram da Ucrânia para a Rússia desde o início do ano e mais de 54 mil deslocaram-se dentro do território ucraniano.

Nesta sexta-feira (27), Petro Porochenko, assinou o acordo que coloca o país na União Europeia (UE). “Trata-se de um dia histórico para o meu país, o mais importante desde a independência [em 1991], declarou ele. O acordo inclui também a Geórgia e Moldávia ao bloco. No entanto, o presidente russo, Vladimir Putin, não ficou nada feliz – isso acaba com as suas esperanças de incorporar a Ucrânia à recente União Econômica Euro-asiática, criada pela Rússia em parceria com outras ex-repúblicas soviéticas, Belarus e Cazaquistão. Além disso, a Rússia teme a entrada em seu território de produtos fabricados na UE via Ucrânia em detrimento de sua produção nacional. 

Leia mais:

Ucrânia assina acordo com União Europeia (Exame.com)

Estudantes fazem greve de fome contra governo da Venezuela

Nesta quinta-feira (26), um grupo de universitários radicalizou a greve de fome que iniciaram havia seis dias para exigir a libertação de cerca de cem estudantes detidos durante protestos na Venezuela, além de outros milhares que precisam se apresentar periodicamente à justiça do país por terem participado em manifestações. Protestos diários têm ocorrido no país há mais de quatro meses, devido à crise econômica, inflação, escassez de produtos, insegurança, corrupção e repressão por parte de organismos de segurança do Estado. Alguns acabaram em confrontos violentos, durante os quais, segundo fontes oficiais, morreram pelo menos 43 pessoas.

No Brasil, a prisão arbitrária de manifestantes em São Paulo gerou revolta entre os movimentos sociais. Leia esta matéria no jornal El País

>> Acompanhe notícias sobre a Venezuela aqui. 

 

Compartilhe

Veja notícias importantes da semana de 16 de junho

Ana Prado | 20/06/2014

Leia o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana.

Refugees Flee Iraq After Recent Insugent Attacks
Família de refugiados do Iraque após ataques recentes de radicais islâmicos. (Dan Kitwood/Getty Images)

ONU registra mais de 50 milhões de refugiados e deslocados em 2013, maior número desde a Segunda Guerra Mundial

Segundo relatório divulgado nesta sexta-feira (20) pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), havia 51,2 milhões de pessoas deslocadas à força, fora ou dentro dos seus países, em 2013. Esse é o maior número registrado desde a Segunda Guerra Mundial. Desses, 16,7 milhões eram refugiados. O total representa um aumento de 6 milhões de pessoas deslocadas em relação aos 45,2 milhões de 2012, que incluíam 15,4 milhões de refugiados.

O relatório indica que, do total de refugiados no mundo, 2,56 milhões são originários do Afeganistão, 2,47 milhões da Síria e 1,12 milhão da Somália. Grandes movimentações de população foram registradas também na República Centro-Africana e no Sudão do Sul. Os principais países de acolhimento de refugiados são o Paquistão (1,6 milhão), Irã (857.400), Líbano (856.500), a Jordânia (641.900) e Turquia (609.900).

Sobre os dados, o alto comissário, Antônio Guterres, comentou: “Isso demonstra que a paz está seriamente em déficit (…) Assistimos a uma multiplicação de novas crises (…). Ao mesmo tempo, antigas crises parecem nunca acabar e os problemas continuam em vários lugares do mundo”. E alertou: “Estamos com um problema cada vez maior e, ao mesmo tempo, poucos recursos para ajudar tanta gente em circunstâncias tão trágicas. Esses conflitos não geram só um desafio humanitário, mas representam hoje uma ameaça para a paz global”. Ele ressaltou ainda que “86% dos refugiados encontram acolhimento nos países em desenvolvimento” e que a tendência é que cada vez mais refugiados fiquem nesses lugares. No Brasil, o número de pedidos de refúgio no Brasil aumentou dez vezes nos últimos três anos.

 

Violência no Iraque continua e pode ultrapassar as fronteiras do país

Nesta terça (17), o secretário-geral das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon disse que há um risco real de que a violência sectária no Iraque ultrapasse as fronteiras no país. Desde o dia 9 de junho, quase 500 mil pessoas deixaram as cidades onde moram por causa dos ataques liderados por jihadistas, integrantes do grupo Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIL, na sigla em inglês) formado por antigos membros do regime de Saddam Hussein. Os radicais já tomaram o controle de várias áreas do norte e do centro do território. Nesta quinta (19), a União Europeia anunciou um reforço da ajuda humanitária no Iraque, aumentando a contribuição de 7 para 12 milhões de euros neste ano.

>> Acompanhe a situação do país 

 

Presidente ucraniano declara cessar-fogo unilateral

O presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, anunciou nesta sexta-feira (20) o início de um cessar-fogo unilateral de sete dias. Esse é o primeiro passo dos esforços para reduzir a intensidade do conflito com separatistas pró-Rússia no leste do país. Ele advertiu, porém, que as forças do governo responderão caso sejam alvo de disparos durante o período. Em levantamento feito pela ONU, foram registrados 34 mil deslocados na Ucrânia neste ano. Desses, 19 mil foram identificados e são provenientes da Crimeia e da região Leste do país.

Com o corte no fornecimento de gás natural da Rússia para a Ucrânia, a União Europeia anunciou que existe o risco de o continente não ter o combustível em quantidade suficiente para o próximo inverno. Atualmente, a Rússia fornece aos países da União Europeia 39% da necessidade de gás do bloco, e através do sistema de gasodutos da Ucrânia circulam 185 milhões de metros cúbicos ao dia.

>> Leia mais aqui.

 

Presidente da Colômbia é reeleito e os EUA declaram apoio ao processo de paz no país

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, encontrou-se nesta quarta (18) com o presidente reeleito, Juan Manuel Santos, e reafirmou o apoio americano ao processo de paz entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) e o governo colombiano. No início dos anos 2000, os americanos financiaram uma ofensiva militar contra o narcotráfico que ajudaram o governo colombiano a combater  as Farc e o ELN (Exército da Libertação Nacional).

 

Compartilhe

Veja as notícias mais importantes da semana de 9 de junho

Ana Prado | 13/06/2014

Leia o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana.

Copa do Mundo: Turistas devem deixar R$ 6,7 bilhões no país

Opening Ceremony Of The 2014 FIFA World Cup Brazil
(Foto: Fabrizio Bensch/Getty Images)

O Ministério do Turismo estima que cerca de 3,7 milhões de turistas se deslocarão pelo Brasil durante o período da Copa do Mundo, acrescentando cerca de R$ 6,7 bilhões à economia do país. A previsão é de que cada um deles gaste, em média, R$ 5.500 no período que passar aqui. Segundo pesquisa encomendada pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) à agência Kantar Sport, pelo menos metade da população do planeta deve acompanhar o torneio – serão mais de 3,6 bilhões de espectadores, número 12,5% superior aos 3,2 bilhões que assistiram à Copa de 2010, disputada na África do Sul.

A imprensa estrangeira criticou a repressão da polícia militar aos protestos ocorridos no dia da abertura da Copa (quinta-feira, 12 de junho) e denunciou violações aos direitos humanos. Manifestantes foram detidos e várias pessoas ficaram feridas, incluindo uma jornalista da rede internacional de notícias CNN e outros dois repórteres que cobriam a manifestação. Leia algumas das reações (em português) no Brasil Post e leia este artigo (em inglês) no britânico The Guardian.

 

Iraque sofre ofensiva jihadista e preocupa comunidade internacional

Nesta quinta-feira (12), o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) se reuniu para discutir a situação do Iraque, que sofreu uma ofensiva-relâmpago de grupos jihadistas. Desde segunda-feira (9), os radicais islâmicos já tomaram o controle de várias áreas do norte e do centro do país, forçando meio milhão de pessoas a abandonar suas casas. Agora, eles avançam para a capital, Bagdá, e preocupam a comunidade internacional.

Na terça-feira (10), o governo iraquiano anunciou que vai fornecer armas e equipamento aos cidadãos que se oferecerem para combater os rebeldes. O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse nesta sexta-feira (13) que não vai enviar forças terrestres para o Iraque e que cabe àquele país resolver seus problemas internos. “Mas pedi à minha equipe de segurança nacional que prepare outras opções que possam ajudar as forças de segurança iraquianas”, acrescentou.

- Leia outras notícias sobre a situação do Iraque

 

Farc oferecem cessar-fogo para segundo turno das eleições presidenciais da Colômbia

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) começaram nesta segunda-feira (9) uma trégua unilateral para o segundo turno das eleições presidenciais no país, que ocorre neste domingo (15). O cessar-fogo vai até o dia 30 de junho. No primeiro turno, que aconteceu em 25 de maio, as Farc e o Exército da Libertação Nacional (ELN), promoveram um cessar-fogo conjunto. As Farc têm negociado o fim do conflito armado com o presidente e candidato à reeleição Juan Manuel Santos, mas não anunciaram apoio formal a ele contra o opositor Óscar Zuluaga, do Centro Democrático. As pesquisas de intenção de voto indicam empate técnico, mas existe o temor de que as festividades da Copa do Mundo prejudiquem o comparecimento da população às urnas (as eleições acontecerão um dia depois da estreia da seleção colombiana, depois de 16 anos sem participar da competição). No primeiro turno, mais de 32 milhões de eleitores foram convocados, mas somente 40% votaram.

- Acompanhe as notícias sobre a Colômbia

 

População carcerária do Brasil passa de 715 mil e é a terceira maior do mundo

Uma pesquisa inédita do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), feita a partir de dados coletados com juízes de 26 estados e do Distrito Federal, chegou a um total de 715.655 presos no país, o que significa 358 pessoas presas para cada 100 mil habitantes. O país subiu do quarto para o terceiro lugar no ranking de população carcerária do mundo, perdendo apenas para Estados Unidos (2,2 milhões de presos) e China (1,7 milhão). O estudo, chamado “Novo Diagnóstico de Pessoas Presas no Brasil”, também revela que existem 373.991 mandados de prisão abertos. Se eles fossem cumpridos, o número de presos poderia chegar a 1.089.646 e o déficit de vagas no sistema penitenciário, a 732.427.

A situação “mostra como nós temos uma racionalidade punitiva muito grande”, disse à Agência Brasil a vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko. Ela disse ainda que há hoje uma cobrança da população pela punição, mas destaca que “a sociedade brasileira e o Estado brasileiro têm que colocar um limite do que pode gastar com esse tipo de resposta [a prisão]”, e repensar a forma de lidar com os conflitos. “As cadeias não podem ser depósito de pessoas”, acrescenta. Leia o texto completo aqui.

 

 

Compartilhe

Veja notícias da semana de 2 de junho

Ana Prado | 06/06/2014

Leia o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana.

Após golpe de Estado, militares da Tailândia tentam conquistar população com mimos

Military Coup Continues In Thailand
Pessoas protestam usando gesto de inspirado em “Jogos Vorazes”. (Paula Bronstein/Getty Images)

Após o golpe de Estado do dia 22 de maio, os militares da Tailândia lançaram a campanha “Levar a felicidade à população” para melhorar sua imagem e tentar enfraquecer as críticas. A estratégia, que deve continuar nos próximos meses, inclui militares cantando rock americano, cortes de cabelo gratuitos, exames médicos e cantinas gratuitos e alguns espetáculos. Um dos principais objetivos é ganhar a simpatia das províncias do Norte e Nordeste do país, bases do movimento dos apoiantes do governo deposto. Por outro lado, a junta militar que agora governa o país suspendeu a Constituição (com exceção das disposições relativas à monarquia), impôs toque de recolher obrigatório, censurou os meios de comunicação e está prendendo os líderes da oposição. Nesta sexta (6), foi anunciada a detenção de um líder do movimento contrário ao golpe, Sombat Boonngamanong, que estava foragido e havia iniciado uma campanha online para organizar comícios e eventos contra o golpe militar. Também foi ele que idealizou a adoção do gesto de reconhecimento inspirado em “Jogos Vorazes” (três dedos levantados, simbolizando um desafio pacífico à junta militar).

O governo militar planeja uma fase de três meses de reconciliação e um período de reformas que se prolongará pelo menos até 2016, quando ocorrerão eleições. A Tailândia já registou 12 golpes militares desde o fim da monarquia absoluta em 1932.

>> Leia mais notícias relacionadas.

 

Bashar Al Assad é reeleito presidente da Síria

Bashar Al Assad, presidente da Síria, foi reeleito para um novo mandato de sete anos com 88,7% dos votos. A vitória foi anunciada na quarta-feira (4). Estas foram as primeiras eleições sírias com mais de um candidato em mais de 50 anos, embora os dois outros candidatos tenham recebido, cada um, menos de 5% dos votos.

As eleições, classificadas de “farsa” pela oposição, foram organizadas nas zonas controladas pelo regime no país, que está em guerra há três anos e já fez mais de 162 mil mortos. A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) disse que os resultados não serão reconhecidos.

>> Leia mais notícias relacionadas.

 

Alemanha vai investigar escutas telefônicas feitas pelos EUA ao celular de Angela Merkel

A Justiça alemã informou nesta quarta (4) que irá investigar as denúncias de Edward Snowden sobre supostas escutas ao telefone celular da chanceler Angela Merkel pela Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos. No entanto, não será investigada a suposta espionagem de mensagens eletrônicas de milhões de cidadãos alemães, também revelada pelo ex-consultor da agência, o que suscitou críticas de vários partidos, incluindo os que apoiam o governo. De qualquer forma, a investigação por parte da Alemanha pode voltar a aumentar a tensão diplomática entre os dois países pelo ocorrido. Na época em que foram feitas as denúncias, Merkel considerou o caso grave e Obama pediu desculpas.

>> Leia mais notícias relacionadas a Edward Snowden.

 

Obama pede aumento de despesas militares a aliados europeus

Nesta terça (3), o presidente norte-americano Barack Obama pediu que os aliados europeus aumentem as despesas militares. “Vemos um decréscimo contínuo. Isso deve mudar”, disse, lamentando os cortes aplicados na Europa na despesa militar devido à crise econômica.

Ele afirmou que, se os países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) desejam contar com o apoio dos EUA, também precisam contribuir. Para ele, a crise ucraniana mostrou que, salvo algumas exceções como a Polônia, os países europeus não têm feito a sua parte. “Querem ser membros plenos quando se trata da sua defesa, o que significa que também têm de ser [membros plenos] quando é preciso contribuir. É uma questão inseparável”, explicou, em entrevista.

 

Cortes de gastos dos governos europeus levaram 800 mil crianças à pobreza

Um relatório da agência da ONU para o Trabalho (Organização Internacional do Trabalho – OIT) divulgado nesta terça (3) revelou que as medidas de austeridade adotadas pelos governos de países da Europa após a crise financeira e econômica de 2008, levaram, como um dos efeitos mais visíveis, 800 mil crianças para a pobreza. Segundo o documento, o aumento da pobreza e da desigualdade resultou não apenas da recessão global, mas também de decisões políticas específicas de redução das transferências sociais e de limitação do acesso a serviços públicos de qualidade, que se somam ao desemprego persistente, salários baixos e impostos mais altos.

Mas o relatório também ressalta que os cortes não ocorreram só na Europa: “em 2014, nada menos que 122 governos reduziram a despesa pública, 82 deles de países em desenvolvimento”. Atualmente, segundo o documento, mais de 70% da população mundial não tem uma cobertura adequada de proteção social que inclua o direito a prestações familiares e para menores, seguro contra desemprego, em caso de maternidade, doença ou invalidez, aposentadoria e seguro saúde.

 

Presidentes russo e ucraniano pedem fim de combates

Em um encontro nesta sexta-feira (6), o presidente russo, Vladimir Putin, e o ucraniano, Petro Poroshenko, pediram o fim “o mais rapidamente possível do derramamento de sangue no sudeste da Ucrânia”. Os presidentes também se pronunciaram pelo “fim das ações armadas dos dois lados, quer do lado das forças armadas ucranianas quer dos apoiadores da federalização da Ucrânia”, declarou Dmitri Peskov, porta-voz de Putin. Fontes presentes na reunião afirmam que os dois líderes abordaram a possibilidade de um cessar-fogo nos próximos dias e que Moscou vai enviar um embaixador a Kiev.

>> Leia mais notícias relacionadas.

 

Compartilhe

As notícias da semana de 26 de maio

atualidades-vestibular | 30/05/2014

Por Caroline Marino

Veja o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana.

joaquim barbosa 2
Antonio Cruz/Agência Brasil

Ministro Joaquim Barbosa anuncia aposentadoria

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, comunicou nesta quinta-feira (29) ao plenário da Corte que decidiu se aposentar no final de junho. Seu mandato como presidente da Corte terminaria em novembro próximo. “Eu decidi me afastar do Supremo Tribunal Federal no final deste semestre, no final de junho. Afasto-me não apenas da presidência, mas do cargo de ministro. Requererei meu afastamento do serviço público após quase 41 anos”, anunciou Barbosa durante a abertura de sessão.

O ministro se afasta do serviço público após quase 41 anos. “Tive a felicidade, a satisfação e a alegria de compor esta Corte, no que é talvez o seu momento mais fecundo, de maior criatividade e de importância no cenário político-institucional do nosso país. Sinto-me deveras honrado de ter feito parte deste colegiado e ter convivido com diversas composições”, afirmou.


Dilma perde posições na lista de poderosos da Forbes

A presidente Dilma Rousseff caiu duas posições na lista das cem mulheres mais poderosas do mundo feita pela revista norte-americana Forbes, divulgada nesta quarta-feira (28). Porém, ela continua no top 5 ocupando a quarta posição. Na lista do ano passado, Dilma havia ficado na 2ª posição, atrás apenas da própria Merkel. A chanceler alemã, Angela Merkel, lidera pela nona vez a lista. Junto a Merkel estão no pódio duas americanas: a economista Janet Yellen, que tomou as rédeas do Federal Reserve em fevereiro, e a filantropa Melinda Gates, que comanda junto com seu marido a Fundação Bill e Melinda Gates.

Em quinto lugar aparece a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), a francesa Christine Lagarde, na frente da ex-secretária de Estado Hillary Clinton (6), a responsável da General Motors, Mary Barra (7), a primeira-dama dos EUA, Michelle Obama (8), Sheryl Sandberg (9), do Facebook, e Virgínia Rometty (10), da IBM.

BC mantém taxa Selic em 11%

Depois de nove aumentos consecutivos, o Banco Central (BC) interrompeu o ciclo de aperto monetário. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) manteve a taxa Selic em 11% ao ano. É a primeira vez em 13 meses em que o Copom deixou de reajustar os juros básicos. Apesar da manutenção, a taxa Selic permanece no maior nível desde novembro de 2011, quando também estava em 11% ao ano.

Em nota divulgada logo após a reunião, o Banco Central afirmou que a “evolução do cenário macroeconômico e as perspectivas para a inflação permitiram, neste momento, manter a taxa Selic em 11% ao ano”. Votaram por essa decisão o presidente do BC, Alexandre Tombini, e os diretores Aldo Luiz Mendes, Altamir Lopes, Anthero de Moraes Meirelles, Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo, Luiz Awazu Pereira da Silva, Luiz Edson Feltrim e Sidnei Corrêa Marques.


Mensagem de Joana Havelange causa polêmica

Joana Havelange, integrante do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL) e filha do ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebo (CBF) Ricardo Teixeira, causou polêmica esta semana ao compartilhar uma mensagem nas redes sociais. O texto dizia, entre outras coisas: O que tinha que ser gasto, roubado, já foi. Se fosse para protestar, que tivesse sido feito antes”. Ela fez o compartilhamento ao criticar manifestações contrárias à realização da Copa do Mundo no Brasil.

Procurado, o COL afirmou que não vai se manifestar por tratar-se de uma publicação feita na conta pessoal de Joana.

 

Compartilhe

As noticias da semana de 19 de maio

atualidades-vestibular | 23/05/2014

Por Caroline Marino

Veja o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana.

DIlmaElza Fiúza/Agência Brasil

Dilma Rousseff lidera pesquisa de intenção de voto para presidente

Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (22) mostra a presidente Dilma Rousseff (PT) em primeiro lugar com 40% das intenções de voto para a eleição de outubro. Os demais candidatos somam, juntos, 37%. Em segundo lugar, está Aécio Neves (PSDB), com 20% da preferência dos eleitores. Em terceiro, Eduardo Campos (PSB), com 11%. Em seguida, aparece pastor Everaldo (PSC), com 3%, e José Maria (PSTU) e Eduardo Jorge (PV), com 1% cada. Os outros reúnem 1% das intenções de voto.

No levantamento anterior, divulgado em abril, Dilma tinha 37% das intenções de voto, seguida por Aécio (14%) e Campos (11%). Os três principais pré-candidatos cresceram na pesquisa com a diminuição de votos brancos, nulos e indecisos. Na pesquisa de abril, brancos e nulos somavam 24% e eleitores indecisos, 13%. No levantamento divulgado quinta, brancos e nulos somam 14% e indecisos, 10%.


Golpe de Estado na Tailândia

O líder do Exército na Tailândia, general Prayuth Chan-Ocha anunciou nesta quinta-feira (22) em um pronunciamento em rede nacional de televisão, que os militares tomaram o poder no país em um golpe de Estado, depois de sete meses de crises políticas e protestos. As Forças Armadas assumiram o controle do governo, sob justificativa de que o Exército tinha que recuperar a estabilidade e avançar com as reformas políticas, dois dias após a imposição de lei marcial no país. Numa ofensiva contra manifestantes, militares dispersaram acampamentos de protesto pró-governo e detiveram seus líderes, de acordo com a mídia local. O paradeiro do primeiro-ministro interino Niwatthamrong Boonsongphaisan é desconhecido. Em resposta ao golpe, o Departamento de Estado americano informou que iria rever a assistência militar e pediu a libertação dos líderes opositores presos.


Em carta ao papa, amantes de padres pedem fim do celibato obrigatório

Um grupo de 26 mulheres escreveu uma carta ao Papa Francisco solicitando uma revisão da disciplina do celibato, já que estão envolvidas de alguma forma em uma relação sentimental com um sacerdote e querem mantê-la sem precisar esconder. No texto, elas lamentam que as alternativas para a situação que vivem seja o abandono do sacerdócio (de seus companheiros) ou a vivência de uma relação amorosa escondida. ”O serviço para Jesus e para comunidade seria desempenhado com maior força por um padre que não teve que desistir de sua vocação para o amor conjugal, juntamente com o sacerdote, e que também seria apoiado por sua esposa e filhos”, argumenta o grupo.

Na Igreja Católica de Rito Latino (Católica Apostólica Romana) a renúncia ao casamento e a promessa de castidade são obrigatórias para os sacerdotes desde o Segundo Concílio de Latrão, em 1139. Isso não acontece na Igreja Católica de Rito Oriental (Católica Apostólica Ortodoxa).


China e Rússia assinam acordo histórico de gás natural

O consórcio de gás russo Gazprom e a Corporação Nacional de Petróleo da China (CNPC) assinaram nesta quarta-feira (21) um histórico acordo durante a visita do presidente russo, Vladimir Putin, a Xangai. Após quase uma década de negociações, o acordo foi assinado pela Gazprom e pela CNPC em cerimônia na presença de Putin e de seu colega chinês, Xi Jinping. Em virtude do acordo, a Gazprom fornecerá 38 bilhões de metros cúbicos de gás natural anualmente à segunda maior economia a partir de 2018 e pelos 30 anos seguintes.

No ano passado, a China consumiu cerca de 170 bilhões de metros cúbicos de gás natural, procedente sobretudo, da Ásia Central. Por enquanto não foi divulgado o preço de venda, uma das principais causas da demora de negociações que começaram há quase dez anos, embora se estime que oscile ao redor dos US$ 400 bilhões.

Compartilhe

As notícias da semana de 12 de maio

Ana Lourenço | 16/05/2014

Por Caroline Marino

Veja o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana.

Copa_notícias
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Copa vira arma para as greves no país

A menos de um mês dos jogos da Copa do Mundo no Brasil, diversas categorias têm usado o momento para chamar a atenção para suas reivindicações, aproveitando o clima de incerteza e a grande exposição para pressionar governos, incluindo o federal. A Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef), por exemplo, entidade que representa 80% de todos os servidores federais do país, já aprovou em sua última assembleia geral o indicativo de greve para o dia 10 de junho, dois dias antes da abertura da Copa. Nesta quinta-feira (15), em pelo menos 16 cidades brasileiras aconteceram protestos. O dia foi divulgado como a “manifestação das manifestações”, em um trocadilho com o slogan usado pela presidente Dilma Rousseff “a Copa das Copas”. Estão envolvidos na organização o MTST (Movimento dos Trabalhadores sem Teto), o Comitê Popular da Copa e o coletivo Juntos, formado por grupos de esquerda.


Explosão em mina na Turquia mata cerca de 300 pessoas

No fim na noite desta terça-feira, uma explosão seguida de um incêndio em uma mina de carvão no distrito de Soma, no oeste da Turquia, deixou cerca de 300 mortos e dezenas de funcionários feridos. De acordo com o ministro da Energia turco, Taner Yildiz, 787 operários estavam na mina no momento da explosão.  Três dias após o desastre, a empresa mineradora rejeitou qualquer responsabilidade no acidente. O diretor-geral da empresa Soma Holding, Ramazan Dogru, admitiu desconhecer as causas do incêndio que começou na mina de carvão, mas ressaltou que a companhia “não cometeu erros”. Dogru descartou que o fogo ocorreu por causa da explosão de um gerador elétrico, versão oficial dos primeiros dias, e apontou que o carvão se incendiou por superaquecimento. O diretor-geral, no entanto, não soube responder à pergunta de por que ninguém se deu conta do risco antes que fosse tarde demais.


80% dos brasileiros têm medo de tortura em prisão

Um estudo feito pela Anistia Internacional com 21 mil pessoas de 21 países de todos os continentes concluiu que o medo de tortura existe em todos eles, mas o Brasil é o que é mais atingido por esse temor. Oito em cada dez brasileiros temem ser vítimas de tortura em caso de detenção por autoridades policiais. No mundo, 44% das pessoas entrevistadas revelam discordar da frase: “Se eu fosse detido pelas autoridades no meu país, estou confiante de que estaria a salvo da tortura”. No Brasil, o percentual é de 80%. Especificamente sobre o Brasil, o estudo cita o caso Amarildo – detido ilegalmente na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro, e morto durante tortura –, e a violência policial durante protestos contra a Copa do Mundo.


Ex-premiê de Israel é condenado a seis anos de prisão

O ex-premiê israelense Ehud Olmert foi condenado nesta terça-feira (13) a seis anos de prisão por aceitar subornos durante seus mandatos como prefeito de Jerusalém (1993-2003) e ministro da Indústria e Comércio (2003-2006). Além dos anos de reclusão, Olmert terá de arcar com uma multa no valor de US$ 290 mil. De acordo com a promotoria, Olmert aceitou milhares de dólares de empresários com interesses no projeto “Holyland”, um complexo de casas de luxo localizado em uma montanha ao sul de Jerusalém. De acordo com a acusação, o megacomplexo residencial foi construído com dinheiro de propinas pagas pelos construtores aos políticos, como Olmert.    

Compartilhe

Veja notícias da semana de 21 de abril

Ana Prado | 25/04/2014

Veja o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana para quem vai prestar vestibular.

ETO6442-580
Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Dilma sanciona Marco Civil da Internet

Após ser aprovado pelo Senado na terça-feira (22), o Marco Civil da Internet foi sancionado pela presidenta Dilma Rousseff nesta quarta-feira (23). Para um secretário do Ministério da Justiça, o Marco Civil é “referência mundial”. “O Brasil é o primeiro país a disciplinar a internet com foco na liberdade de expressão. Hoje, passamos a ser referência mundial em regulamentação de internet. São inúmeras as autoridades internacionais curiosas para conhecer o modelo adotado”, disse ele. A lei define os direitos e deveres de usuários e provedores de serviços de conexão e aplicativos na internet.

- Veja o texto aprovado pela presidenta aqui.

- Entenda o que é o Marco Civil.

 

Ucrânia acusa Rússia de querer começar “uma terceira guerra mundial”. EUA estudam novas sanções

O primeiro-ministro ucraniano acusou a Rússia, nesta sexta (25), de querer começar “uma terceira guerra mundial” ao apoiar a insurreição separatista no Leste da Ucrânia e pediu à comunidade internacional que se una contra a agressão russa. O presidente norte-americano Barack Obama anunciou que vai consultar os principais dirigentes europeus sobre a possibilidade de novas sanções, após concluir que a Rússia não fez nada para cumprir o acordo firmado na semana passada em Genebra, visando diminuir a tensão na Ucrânia.

A tensão no país está piorando agora que existe uma ameaça de crise energética: nesta quinta (24), representantes da União Europeia, Eslováquia e Ucrânia não chegaram a acordo, em Bratislava, para bombear gás para a Ucrânia a partir do Ocidente.

 

Brasil e China querem ampliar relações 

Em 2014, as relações diplomáticas entre Brasil e China completam 40 anos com a promessa de crescimento da cooperação. Nesta sexta (25) foi realizada no Itamaraty a primeira edição do Diálogo Estratégico Global entre os dois países. A ideia é que sejam realizadas reuniões anuais em Brasília e Pequim para acompanhar a evolução da agenda bilateral e coordenar ações conjuntas sobre temas internacionais de interesse comum.

Os dois países cresceram muito economicamente e, desde 2009, a China é o principal parceiro comercial do Brasil, além de haver uma boa cooperação na área de ciência e tecnologia. Além disso, ambos formam o Brics, junto com Rússia, Índia e África do Sul, um fórum que tem incrementado a cooperação entre esses países e pretende influenciar discussões internacionais. Juntos, os cinco países detêm quase 30% do território e mais de 40% da população mundial, além de aproximadamente 22% do PIB global.

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Atualidades

Tags: , ,

Compartilhe

Veja as notícias mais importantes da semana de 13 de abril

Ana Prado | 17/04/2014

Veja o resumo do GUIA para você não perder o que rolou de importante nesta semana para quem vai prestar vestibular.

indios-protesto
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

Guaranis cobram demarcação de terras em São Paulo

Nesta quarta (16), cerca de 50 índios guaranis ocuparam o Pátio do Colégio, marco da fundação da cidade de São Paulo, para pressionar o Ministério da Justiça para a assinatura de uma portaria que regulariza a posse da terra pelos indígenas no município de acordo com a demarcação definida pela Fundação Nacional do Índio (Funai). Há aproximadamente 2 mil guaranis na capital paulista. As áreas que eles ocupam hoje ficam no Jaraguá, na zona oeste, e na região de Parelheiros, no extremo sul da cidade, mas eles reclamam que o espaço é insuficiente para a sua sobrevivência. Em 2012, a Funai aprovou um relatório que reconhece uma área maior de ocupação, mas é preciso que o ministro da Justiça aprove uma portaria para que as áreas sejam demarcadas. Sem isso, eles continuarão a sofrer ameaças de despejo.

“É uma forma de gritar para o ministro e para o mundo que a gente só quer um espacinho daquilo que um dia já foi nosso”, explicou a professora Jera Guarani, liderança indígena, para a Agência Brasil. “Nós achamos que ele [o ministro] está sendo pressionado pela bancada ruralista. Os indígenas no Brasil são vistos como um estorvo, um atraso para o progresso”, completa.

Leia também:

- Jesuítas e índios: missões impossíveis

- Bandeirantes: destruir para dominar

 

Ucrânia, Rússia, União Europeia e Estados Unidos se reúnem nesta quinta (17)

Os chefes das diplomacias da Ucrânia, Rússia, União Europeia e  Estados Unidos se reúnem a partir desta quinta-feira (17) em Genebra, na Suíça, para tentar conter a escalada de violência no Leste ucraniano. Os governos russo e ucraniano continuaram trocando acusações durante a semana. O primeiro-ministro da Ucrânia, Arseni Yatseniouk, acusa a Rússia de “voltar à Guerra Fria”. Já o governo russo fez alertas contra o uso da força para dominar os separatistas pró-Moscou no Leste da Ucrânia e prometeu defender “a qualquer preço” os cidadãos russos no espaço da ex-União Soviética.

Leia mais:

-Entenda a crise na Crimeia e veja como pode cair no vestibular

- Crise na Ucrânia: Entenda a situação da Crimeia

- Acompanhe as notícias da Ucrânia (Exame.com)

 

Guiné-Bissau realiza eleições após golpe de Estado

guine-bissau
Localização de Guiné-Bissau. Wikimedia Commons.

Com cooperação técnica do Brasil, ocorreram no dia 13 de abril as eleições presidenciais e legislativas da Guiné-Bissau, marcando a volta do país à democracia após o golpe de Estado de 2012. De acordo com as missões internacionais que acompanharam o primeiro turno (havia cerca de 370 observadores), tudo ocorreu de forma ordeira. O resultado da apuração dos votos, feitos em cédulas de papel, deve ser conhecido na sexta-feira (19). Em 2012, o golpe foi aplicado por militares dias após o resultado do primeiro turno e véspera do início da campanha eleitoral para o segundo turno. O chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Guiné-Bissau, Antônio Indjai, manifestou seu apoio ao pleito.

As eleições estavam marcadas, originalmente, para o dia 24 e novembro de 2013, mas foram adiadas duas vezes por razões financeiras e logísticas. O processo contou com a doação de US$ 30 milhões por parte da Comunidade Econômica dos Estados da África Ocidental, do Timor Leste e da União Europeia.

Comentários: nenhuma pessoa comentou

Categoria: Atualidades, Brasil

Compartilhe