Guia do Estudante

ASTRONOMIA

Bacharelado

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

É a ciência que estuda o universo, confrontando teorias físicas com observações feitas por telescópios. O astrônomo investiga a origem e a evolução do cosmo. Com telescópios e câmeras, observa os objetos cósmicos (estrelas, planetas, galáxias e outros corpos) e capta sua imagem para estudar seus movimentos, sua disposição pelo espaço e sua composição química.

Mercado de Trabalho

O mercado concentra-se, tradicionalmente, na área acadêmica. Para atuar como professor ou pesquisador, esse bacharel tem de fazer uma pós-graduação, área que está em amplo crescimento no Brasil graças, principalmente, ao aumento no número de bolsas de estudo oferecidas pelo governo. Mas este bacharel sai da universidade preparado para participar de outros mercados. “Um caminho possível é trabalhar em divulgação científica, por exemplo nos vários planetários que estão surgindo no país”, afirma Alexandre Lyra de Oliveira, coordenador do curso de Astronomia da UFRJ, no Rio de janeiro. O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e a Embratel também mantêm astrônomos em seu quadro de pessoal. Nesses locais, entre outras funções, esse profissional monitora os satélites em órbita da Terra. Por fim, quem licenciatura em Física, tem como campo de atuação as salas de aula do ensino médio.

Salário inicial: R$ 5.000 (fonte: prof. Alexandre Lyra de Oliveira, da UFRJ);

As melhores escolas

4 estrelas

RJ Rio de Janeiro UFRJ;

Curso

Engana-se quem imagina que na graduação ficará todo o tempo de olhos grudados no telescópio. Os modernos instrumentos de observação são manipulados por computador, e boa parte dos dados é disponibilizada na internet. Física e matemática são a base teórica do curso. À medida que você avança na formação, pode dar ênfase à pesquisa, ao desenvolvimento de códigos numéricos, à área de instrumentação ou de divulgação científica. Você também pode dedicar-se à Astronomia fazendo o bacharelado em Física e, depois, uma pós-graduação na área.

Duração média: quatro anos.



O que você pode fazer

Divulgação

Montar exibições, dar palestras e coordenar visitas a planetários e museus, difundindo os conhecimentos astronômicos para o público leigo.

Ensino

Dar aulas de física, matemática ou astronomia no ensino Médio.

Pesquisa

Trabalhar em universidades, observatórios e centros de pesquisas espaciais, estudando a física e a dinâmica dos corpos celestes, seu tamanho e seus movimentos, bem como sua composição química, origem e evolução.

Compartilhe