logo-ge

Engenharia Florestal

Este bacharel estuda e promove a exploração sustentável de recursos florestais

Este bacharel estuda e promove a exploração sustentável de recursos florestais. Ele avalia o potencial de ecossistemas florestais e planeja seu aproveitamento sempre levando em consideração a manutenção do equilíbrio dos ecossistemas e do bioma. O engenheiro florestal se encarrega da seleção de sementes e mudas de plantas, identifica e classifica espécies vegetais e procura melhorar suas características, analisando as condições necessárias à sua adaptação ao meio ambiente. O profissional elabora e acompanha projetos de preservação de parques e de reservas naturais e cuida de fazendas de reflorestamento. Também é atribuição deste engenheiro recuperar áreas degradadas, cuidar da arborização urbana e avaliar o impacto ambiental de atividades humanas em uma determinada área. Este bacharel efetua, ainda, vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres. Em sua atuação, tem como objetivo garantir a segurança e evitar ou minimizar impactos socioambientais. você pode trabalhar na área com um curso de tecnologia em Silvicultura.

O que você pode fazer

Ecologia aplicada Estudar e administrar parques ecológicos e reservas florestais e gerenciar processos de exploração que preservem os recursos naturais. Recuperar áreas ambientalmente degradadas.

Educação Realizar atividades de educação ambiental e ecoturismo, incentivando as ações de preservação da biodiversidade da fauna e da fora.

Fiscalização Supervisionar empresas que utilizem em suas operações produtos de origem florestal, como usinas termelétricas a carvão, indústrias que utilizem lenha e empreendimentos do setor siderúrgico.

Manejo florestal Elaborar, promover e supervisionar projetos de reflorestamento das espécies arbóreas para aumentar sua produtividade. Pesquisar sementes e o melhoramento genético da vegetação.

Tecnologia de produtos florestais Pesquisar e desenvolver tecnologias para o aproveitamento, a extração e a industrialização de madeiras e de outros produtos da floresta, como óleos essenciais e resinas.

Mercado de Trabalho

A preocupação crescente com a sustentabilidade e o meio ambiente aquece a área para o profissional. Pesquisa da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) mostrou que, entre 2001 e 2015, as emissões de carbono em função do desmatamento caíram 25%, passando de 3,9 para 2,9 gigatoneladas por ano. O Brasil, segundo a FAO, respondeu por mais de 50% dessa redução. Com isso, o país atinge as metas assumidas para a redução das emissões de carbono e cria um campo promissor para o engenheiro e o tecnólogo em Silvicultura, que se dedica a orientar a extração de madeira, com técnicas de menor impacto. A crise hídrica que afeta, em maior ou menor grau, diversos estados do país também aumenta a demanda pelo graduado nesta área, devido à sua capacidade de atuar na gestão dos recursos naturais. Outro setor com boa demanda é o de fiscalização ambiental. Na área de reflorestamento, o profissional encontra espaço na indústria de papel e celulose. Ele gerencia a produção de mudas, faz o planejamento e determina como será feita a colheita da madeira e atua no melhoramento das características genéticas das espécies, em parceria com profissionais de biotecnologia. Neste segmento, porém, a oferta de vagas acompanha as variações de preço do produto no mercado internacional. Há segmentos mais estáveis, como o de madeira para a construção civil, outro importante empregador. Órgãos públicos, como o Ministério do Meio Ambiente e o instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), contratam por concurso público. A implantação de novos empreendimentos no Nordeste e no Centro-Oeste também promete abrir vagas. No interior dos estados – inclusive no Sul e no Sudeste – há demanda para atuação em extensão rural, planejamento e consultoria.

Curso

Os conteúdos das Ciências Agrárias e Biológicas estão presentes em praticamente todo o currículo, com destaque para as disciplinas que envolvem botânica, tecnologia da madeira, fisiologia vegetal, biologia celular e silvicultura. Mas o forte dessa graduação são as técnicas e os métodos de uso racional das matas e áreas de florestas que não comprometam o ecossistema. Ao longo da formação, as disciplinas teóricas – como conservação de recursos naturais renováveis – alternam-se com práticas de manejo florestal, ecologia aplicada em campo, atividades em laboratórios e viveiros. Mas vale lembrar que as disciplinas das engenharias, com predomínio de matemática, cálculos, física e química, também fazem parte da grade curricular, nos primeiros anos. Para receber o diploma, o estudante deve realizar estágio supervisionado e apresentar um trabalho de conclusão de curso.

Duração média: 5 anos.

 

OS MELHORES CURSOS

★★★★★
MG Lavras Ufla . Viçosa UFV . PR Curitiba UFPR . SP Piracicaba USP.

★★★★
DF Brasília UnB . PA Belém Ufra . PR Irati Unicentro-PR . RS Frederico Westphalen UFSM . Santa Maria UFSM . SP Botucatu Unesp . Sorocaba UFSCar .

★★★
AC Cruzeiro do Sul Ufac. Rio Branco Ufac . AM Manaus Ufam . BA Cruz das Almas UFRB . Vitória da Conquista Uesb. ES Alegre Ufes . GO Goiânia UFG. Ipameri UEG . Jataí UFG. MG Diamantina UFVJM . MS Aquidauana Uems . Chapadão do Sul UFMS. MT Cáceres IFMT. Cuiabá UFMT . Sinop UFMT . PA Altamira UFPA . PB Patos UFCG . PE Recife UFRPE . PI Bom Jesus UFPI . PR Dois Vizinhos UTFPR . RJ Seropédica UFRRJ . RN Macaíba UFRN . RO Rolim de Moura Unir . RS São Gabriel Unipampa . SC Blumenau Furb n/i. Lages Udesc . SE São Cristóvão UFS . TO Gurupi UFT .