Guia do Estudante

CIÊNCIAS AERONÁUTICAS

Bacharelado / Tecnológico

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

O Bacharel em Ciências Aeronáuticas é responsável pela operação e manutenção de aeronaves e aeroportos. É preparado para controlar e orientar tudo o que ocorre dentro de um avião, da condução do aparelho e checagem do funcionamento dos equipamentos ao trabalho da tripulação. Com conhecimentos na área de administração, gerencia aeroportos, indústrias da aviação e companhias aéreas. Supervisiona as equipes responsáveis pela manutenção das aeronaves ou de aeroportos ou dedica-se à área de perícia, inspecionando as condições de segurança e investigando acidentes. Como comandante, pilota a aeronave e é responsável pela comunicação com a torre de controle dos aeroportos, respondendo pela segurança do voo. Para ser piloto é fundamental ter raciocínio rápido, boa orientação espacial e ótimos reflexos. Anualmente, o profissional passa por uma avaliação de saúde, exigida pelo Comando da Aeronáutica, ligado ao Ministério da Defesa. Você pode ingressar na carreira de piloto com um curso tecnológico.

Dúvida do vestibulando

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CIÊNCIAS AERONÁUTICAS E ENGENHARIA AERONÁUTICA?

A diferença básica é que o curso de Ciências Aeronáuticas forma pilotos comerciais. Esse profissional pode trabalhar também na área de gestão, na torre de controle dos aeroportos, ou supervisionar o trabalho das equipes em terra. Já o curso de Engenharia Aeronáutica forma profissionais que projetam e constroem aeronaves, na indústria.

Mercado de Trabalho

Nos últimos anos, as grandes companhias aéreas brasileiras passaram por reestruturação e redução nas contratações. Já a aviação executiva, apesar de sofrer com a queda no crescimento econômico brasileiro, tem tido um bom desempenho. Em 2013, o setor gerou mais de 24 mil empregos, com remuneração per capita superior a 13 mil reais. Segundo a Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), foram investidos naquele ano 3,6 bilhões na compra de novas aeronaves e quase 500 milhões no aumento da capacidade produtiva e operacional. Nesse setor é que se encontram as melhores oportunidades. Grandes capitais da Região Sudeste - com destaque para São Paulo, que mantém a maior frota de helicópteros do país - detêm a maior fatia do mercado de trabalho.

As melhores escolas

5 estrelas

RS Porto Alegre PUCRS.

4 estrelas

GO Goiânia PUC Goiás. MG Belo Horizonte Fumec.

3 estrelas

BA Salvador FTC Ciên. Aeron. (pil. comercial). PR Londrina Unopar. RJ Rio de Janeiro Estácio Ciên. Aeron. (asas fxas); Ciên. Aeron. (asas rotativas). SP São Paulo Universidade Anhembi Morumbi Aviação Civil. .

Curso

O currículo do bacharelado é composto de matérias teóricas, como física aplicada, teoria do voo e meteorologia. A prática é feita em simuladores de voo e em aeroclubes. Algumas faculdades exigem que o aluno tenha, antes de ingressar no curso, a carteira de piloto privado, concedida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Em algumas, também, é possível optar pela formação específica de gestor de empresas aéreas ou piloto de aeronaves. Neste caso, a formação universitária envolve mais disciplinas ligadas à administração. Se fazer a primeira opção, deverá estar preparado para despesas extras: a maioria dos cursos requer um mínimo de 40 horas de voo. Algumas escolas também exigem que se tire a carteira de piloto comercial para receber o diploma de bacharel - o que significa uma quantidade adicional de horas de voo.

Duração média: 3 anos.

Outro nome: Aviação Civil.



Pilotagem profissional de Aeronaves

Este tecnólogo comanda e pilota aeronave, de helicópteros a grandes aviões. Conhece os modernos sistemas de navegação e normas de segurança de voo e sabe analisar as condições meteorológicas e traçar o plano de voo. Pode gerenciar as operações de uma empresa aérea, ou atuar como instrutor de voo. A licença de trabalho é liberada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e, para obtê-la, é preciso cumprir um número mínimo de horas de voo. A aviação regional costuma ser a porta de entrada para o mercado, e há um bom filão na condução de helicópteros, nas grandes capitais, como São Paulo. O currículo do curso inclui a legislação do transporte aéreo, planejamento de voo e emergência e sobrevivência. O aluno treina o dia a dia da profissão em aulas práticas, em simuladores de procedimento em cabines ou em escolas de aviação. Comparado ao currículo dos bacharelados na área, o dos cursos tecnológicos é menos amplo e mais voltado à prática. "As disciplinas são menos teóricas e voltam-se especificamente para os problemas que o piloto pode enfrentar exercendo a atividade profissional", explica Luiz Nogueira Galetto, coordenador do curso na Universidade Positivo, em Curitiba.

Duração média: 2 anos.

Outros nomes: Aviação Civil; Pilotagem de Aeronaves.

O que você pode fazer

Comandante

Gerenciar todas as operações e atividades a bordo de uma aeronave, seja em voos nacionais, seja em internacionais.

Copiloto

Assessorar o comandante nas operações de bordo e substituí-lo no comando, se necessário.

Perícia e Segurança de Voo

Inspecionar e controlar as condições de segurança e investigar acidentes.

Piloto particular

Dirigir aviões ou helicópteros particulares, elaborando os planos de voo e comunicando-se com as torres de controle de aeroportos e de aeroclubes. Cuidar da manutenção e do abastecimento de aeronaves e verificar o cumprimento de normas de segurança.

Administrador Aeroportuário

Gerenciar os serviços em aeroportos, da segurança dos passageiros e vendas de passagens aos serviços de informação e a colocação da carga nas aeronaves.

Compartilhe