logo-ge

Ciências Aeronáuticas

O bacharel pode seguir tanto a carreira de piloto como a de gestor de empresas de aviação, indústrias aeronáuticas e aeroportos

O bacharel em Ciências Aeronáuticas pode seguir tanto a carreira de piloto como a de gestor de empresas de aviação, indústrias aeronáuticas e aeroportos. Como piloto, na função de comandante ou copiloto, é preparado para controlar e orientar tudo o que ocorre dentro de um avião, da condução do aparelho e checagem do funcionamento dos equipamentos ao trabalho da tripulação. Conduz aeronaves de grande porte e é responsável pela comunicação com a torre de controle dos aeroportos, respondendo pela segurança do voo.

Para ser piloto é fundamental ter raciocínio rápido, boa orientação espacial e ótimos reflexos. Anualmente, o profissional passa por uma avaliação de saúde, exigida pelo Comando da Aeronáutica, ligado ao Ministério da Defesa. Você também pode ingressar na carreira de piloto apenas com o certificado da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), concedido àqueles que passam num exame teórico e comprovam determinadas horas de voo.

Em aviação civil, o profissional gerencia aeroportos, indústrias da aviação e companhias aéreas. Implanta sistemas de gestão e controle de segurança seguindo as legislações nacionais e internacionais. Também supervisiona as equipes responsáveis pela manutenção das aeronaves ou de aeroportos ou dedica-se à área de perícia, inspecionando as condições de segurança e investigando acidentes.

Veja também

O que você pode fazer

Administrador aeroportuário Gerenciar os serviços em aeroportos, da segurança dos passageiros e vendas de passagens aos serviços de informação e colocação da carga nas aeronaves.

Comandante Gerenciar todas as operações e atividades a bordo de uma aeronave em voos nacionais ou internacionais.

Copiloto Assessorar o comandante nas operações de bordo e substituí-lo no comando, se necessário.

Perícia e segurança de voo Inspecionar e controlar as condições de segurança e investigar acidentes.

Piloto particular Conduzir aviões particulares, elaborando os planos de voo e comunicando-se com as torres de controle de aeroportos e de aeroclubes. Cuidar da manutenção e do abastecimento de aeronaves e verificar o cumprimento de normas de segurança.

Piloto de helicóptero Conduzir aparelhos e coordenar operações de helipontos e empresas de aluguel de helicópteros.

Mercado de Trabalho

A crise econômica teve reflexos sobre o setor da aviação, mas a má fase está ficando para trás. “O mercado da aviação civil passou por uma grande recessão, mas já estamos sentindo uma recuperação”, conta Edson Gaspar, coordenador do curso de Aviação Civil da Universidade Anhembi Morumbi, em São Paulo. “As empresas aéreas têm nos procurado atrás de profissionais.”

A demanda também deve aumentar em função do aumento de aeronaves em atividade. Segundo um relatório da Boeing, o mundo precisará de 39 mil aviões até 2034 para atender ao crescimento da demanda do setor aéreo. Três mil aeronaves seriam destinadas à América Latina, região em que o Brasil é líder no transporte aéreo.

A curto prazo, há oportunidades para pilotos na aviação agrícola, em função do bom momento do agronegócio. Esses aviadores, que precisam ter um certificado do Ministério da Agricultura, aplicam, em voo, defensivos, fertilizantes e sementes, combatem incêndios e realizam o povoamento de rios e lagos com peixes.

Na aviação executiva, o setor de pilotagem de jatos também tem vagas. Grandes capitais do Sudeste – com destaque para São Paulo, que mantém a maior frota de helicópteros do país – detêm grande fatia do mercado de trabalho.

Para entrar em grandes companhias aéreas, é essencial falar inglês, idioma usado na comunicação com os órgãos de controle de tráfego aéreo internacionais. Também há boas chances para quem está disposto a viver em outro país, atuando em companhias estrangeiras, que oferecem ótimos salários.

Curso

O currículo do bacharelado é composto de matérias teóricas, como física aplicada, teoria e segurança do voo, navegação aérea e meteorologia. A prática é feita em simuladores de voo e em aeroclubes. Algumas escolas exigem que o aluno tenha, antes de ingressar, a carteira de piloto privado, concedida pela Anac. Quem não possui nenhuma experiência anterior, deve estar preparado para despesas extras: só o curso de piloto privado, o primeiro de vários, exige um mínimo de 40 horas de voo.

Há escolas que também pedem que se tire a carteira de piloto comercial para receber o diploma de bacharel – o que representa uma quantidade adicional de horas de voo. A grade possui ainda matérias específicas focadas na gestão de empresas aéreas. Neste caso, a formação universitária envolve mais disciplinas ligadas à administração. Certos cursos exigem a realização de estágio ou entrega de um trabalho de conclusão. Atenção: algumas escolas possuem uma linha de formação somente para pilotos, outras somente para gestão da aviação civil e outras oferecem as duas opções.

Duração média: 3 anos.

Outro nome: Aviação Civil.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado