Guia do Estudante

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Bacharelado / Tecnológico

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

E o ramo da engenharia que gerencia os recursos humanos, financeiros e materiais para aumentar a produtividade de uma empresa. O engenheiro de produção e peca fundamental em indústrias e empresas de quase todos os setores. Ele une conhecimentos de administração, economia e engenharia para racionalizar o trabalho, aperfeiçoar técnicas de produção e ordenar as atividades financeiras, logísticas e comerciais de uma organização. Define a melhor forma de integrar mão de obra, equipamentos e matéria-prima, a fim de avançar na qualidade e aumentar a produtividade. Por atuar como elo entre o setor técnico e o administrativo, seu campo de trabalho ultrapassa os limites da indústria. O especialista em economia empresarial, por exemplo, costuma ser contratado por bancos para montar carteiras de investimentos. Esse profissional e requisitado, também, por empresas prestadoras de serviços para definir funções e planejar escalas de trabalho.  

  

Palavra de Profissional

VÁRIAS ÊNFASES PARA A ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Algumas instituições oferecem o curso voltado para alguma habilitação específica. A mais comum é a mecânica, mas também há cursos direcionados para a agroindústria, química, produção civil, automotiva, elétrica, metalúrgica, gestão ambiental, software, confecção industrial e produção em cultura. A Fitas, em Maceió (AL), passou a oferecer, em 2014, o curso de Engenharia de Produção Sucroalcooleira.

Mercado de trabalho

O perfil multidisciplinar deste profissional, que tem sólida base matemática e é treinado para encarar problemas de maneira global, abre o leque de opções de trabalho. Este engenheiro entende de todo o processo produtivo, e por isso tem uma vaga garantida não apenas na indústria, mas também em empresas prestadoras de serviço, lojas de varejo, área de turismo, finanças, telecomunicação e saúde. A maioria das vagas está no Sudeste e no Sul. Mas a instalação de indústrias no Ceará e em Pernambuco abre o mercado nordestino. Merece destaque, ainda, o Centro-Oeste e o interior paulista, com a agroindústria.

As melhores escolas

5 estrelas

MG Belo Horizonte UFMG. Itajubá Unifei. Juiz De Fora UFJF. Viçosa UFV. RJ Rio De Janeiro PUC-Rio, UFRJ. RS Porto Alegre PUCRS, UFRGS. São Leopoldo Unisinos. SC Florianópolis UFSC Eng. De Prod. Civil; Eng. De Prod. Elétr.; Eng. De Prod. Mecân. SP Guaratinguetá Unesp Eng. De Prod. Mecân. São Carlos Ufscar, USP. São Paulo USP. Sorocaba Ufscar.

4 estrelas

CE Fortaleza Unifor-CE. ES Vitória Ufes. GO Catalão UFG. Goiânia PUC Goiás. MG Ouro Preto Ufop. MS Dourados UFGD. PB João Pessoa UFPB Eng. De Prod. Mecân.; Engenharia De Produção. PE Recife UFPE. PR Curitiba PUCPR. RJ Niterói UFF. Rio De Janeiro Cefet-RJ. Volta Redonda UFF. RS Caxias Do Sul UCS. SC Joinville Udesc Eng. De Prod. E Sist. Univille. SP Bauru Unesp. São Bernardo Do Campo Centro Universitário Da FEI. São Caetano Do Sul Mauá. São Paulo Mackenzie, PUC-SP, Uninove Eng. De Prod. Mecân. Universidade Anhembi Morumbi.

3 estrelas

AM Itacoatiara Ufam. Manaus Ufam. BA Salvador Unifacs. CE Fortaleza UFC Eng. De Prod. Mecân. ES Vila Velha UVV. Vitória Faesa. GO Anápolis Fac. Anhanguera De Anápolis. MA São Luís Fac. Pitágoras De São Luís. MG Belo Horizonte PUC Minas. Betim Fac. Pitágoras De Betim. Conselheiro Lafaiete Fasar-MG. Guaxupé Unifeg Eng. De Prod. E Qualid. João Monlevade Ufop. Lavras Unilavras. Sete Lagoas Unifemm Eng. De Prod. (Mecân.). Uberlândia Fac. Pitágoras De Uberlândia. Varginha Unis. MT Barra Do Bugres Unemat Eng. De Prod. Agroind. PA Belém Cesupa, Uepa, Unama. Redenção Uepa. PB Campina Grande UFCG. PR Curitiba FAE, UFPR. Londrina PUCPR. Maringá UEM Eng. De Prod. (Agroind.); Eng. De Prod. (Confecção Ind.); Eng. De Prod. (Constr. Civil); Eng. De Prod. (Software). Medianeira UTFPR. Toledo PUCPR. RJ Barra Mansa UBM. Campos Dos Goytacazes Uenf, Universidade Candido Mendes. Nova Iguaçu Cefet-RJ. Resende Uerj Eng. De Prod. (Mecân.); Eng. De Prod. (Qualid. Quím.). Rio Das Ostras UFF. Rio De Janeiro Uerj, Unisuam. Volta Redonda Unifoa. RN Natal UFRN. RS Bento Gonçalves UCS. Lajeado Univates. Novo Hamburgo Feevale. Porto Alegre IPA. Santa Cruz Do Sul Unisc. Taquara Faccat-RS.

Curso

O curso se inicia com as disciplinas básicas das engenharias. As matérias específicas incluem gestão de investimentos e organização do trabalho. Nos anos finais, acrescentam-se as aulas de disciplinas de Sociais Aplicadas, como administração e economia, e o aluno começa o estudo de matérias próprias da habilitação escolhida. Para se diplomar é preciso fazer estágio e apresentar uma monografa.

Duração média: 5 anos.

Outro nome: eng. ind.


GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL T

Este tecnólogo tem formação equivalente à do engenheiro de produção e é um especialista em processos de fabricação. No chão de fábrica, serve de intermediário entre os operários e o engenheiro. Mas conhece as particularidades de todas as etapas do processo produtivo, sistemas automatizados e softwares usados em atividades financeiras, de vendas e controle de estoques. Cuida da logística de movimentação do produto na indústria, supervisiona a seleção e o tratamento das matérias-primas, controla a qualidade de processos e ocupa-se da expedição final. Indústrias de pequeno e grande porte que integram a cadeia produtiva do segmento metal-mecânico, automotivo e do petróleo costumam empregar o tecnólogo para as áreas de qualidade, manutenção, processos, produtos e operações. Mas, como o engenheiro, os conhecimentos adquiridos no curso tornam o profissional atraente no setor de serviços também. Na parte curricular, o curso é carregado nas disciplinas das Ciências Exatas. Dentre as específicas constam planejamento e controle da produção, administração industrial, orçamentos e custos, logística e controle da qualidade. O currículo traz, ainda, matérias da área das engenharias, como termodinâmica, refrigeração e materiais metálicos e polímeros. Os processos de fabricação, o funcionamento das linhas de produção automatizadas e os softwares para comandar as diversas etapas de trabalho na empresa são conhecidos nas aulas práticas. A formação requer um estágio de seis meses. As escolas também costumam pedir um trabalho de conclusão de curso.

Duração média: 3 anos.

Outro nome: prod. ind.


GESTÃO DA QUALIDADE T

O tecnólogo com esta formação acompanha os processos de produção industrial, a rotina de trabalho e a prestação de serviços em empresas de diversos setores, com foco específico na busca de maior qualidade e produtividade. Trabalha tanto em fábricas quanto em estabelecimentos comerciais, instituições financeiras e empresas prestadoras de serviços, para garantir que sejam cumpridos padrões de normalização e metrologia internacionais. Pode especializar-se em auditorias para órgãos internacionais que emitem as certificações de qualidade, trabalhar em laboratórios de metrologia ou voltar-se para a área de recursos humanos. Certificados de qualidade, como os certificados ISO, garantem a demanda por este profissional no mercado. As áreas de ambiente e auditoria são as mais promissoras. Preste atenção na proposta do curso e em sua grade curricular antes de se inscrever para o processo seletivo. Algumas instituições enfatizam a qualidade na prestação de serviços, enquanto outras, a formação industrial. Administração, informática e matemática aplicada somam-se às disciplinas mais técnicas, como metrologia e normalização. Algumas escolas exigem estágio e um trabalho de conclusão de curso.

Atenção: o Senai Cimatec, em Salvador (BA), oferece o curso Inspeção de Equipamentos e de Soldagem.

Duração média: 2 anos.

Outros nomes: gestão de Sist. da Qualid.; Inspeção de Equipamentos e de Soldagem; Qualid.

O que você pode fazer

Desenvolvimento organizacional

Analisar e definir a estrutura de uma empresa.

Economia empresarial

Gerenciar a vida financeira de uma empresa, lidando com custos e aplicação de recursos.

Engenharia do trabalho

Administrar a mão de obra para a produção de bens ou a prestação de serviços, avaliando custos, prazos e instalações para possibilitar a execução do trabalho.

Planejamento e controle

Implantar e administrar processos de produção, da seleção de matérias-primas à saída do produto. Estabelecer e fiscalizar padrões de qualidade. Gerenciar operações logísticas, como armazenagem e distribuição.

Produção agroindustrial

Atuar na produção agrícola, processamento industrial, comercialização e distribuição de produtos.

Simulação de processos

Antecipar problemas e encontrar soluções, com o uso de ferramentas de TI.

Compartilhe