Guia do Estudante

ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES

Bacharelado / Tecnológico

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

O engenheiro de telecomunicações desenvolve e implanta redes de telecomunicações. Com sólida formação na área elétrica e eletrônica, ele cria, planeja e constrói aparelhos e equipamentos e dá manutenção aos sistemas implantados. Cuida de cabeamentos aéreos e subterrâneos, satélites artificiais, centrais de transmissão, captação, codificação e retransmissão dos sinais que interligam o planeta. De seu trabalho depende toda a rede mundial de telefonia, transmissão de dados, redes de computadores, rádio e televisão. Ele atua em empresas concessionárias de serviços de telecomunicações, de telefonia fixa e móvel, de cabeamento estruturado e fibra óptica e de infraestrutura para sistemas de telecomunicações. Também encontra trabalho na indústria eletroeletrônica, nos órgãos reguladores das atividades de telecomunicação e nas empresas de pesquisa científica e tecnológica. É possível ingressar na carreira com formação de tecnólogo.

Fique de olho

OPÇÕES VARIADAS EM TELECOMUNICAÇÕES

A maioria dos cursos tem perfil mais técnico, com enfoque em Redes e sistemas de telecomunicações, enquanto outros dão ênfase à Telemática. Este profissional pode atuar no planejamento, no desenvolvimento, na implantação e no gerenciamento de serviços de informática por meio de redes de telecomunicações. Já no curso de Gestão de Telecomunicações, o estudante é preparado para planejar, gerenciar e supervisionar serviços de telecomunicações em companhias de telefonia fixa e móvel, operadoras de TV aberta e por assinatura, indústrias de acessórios e componentes de telecomunicações ou em empresas de comercialização.

Mercado de Trabalho

O Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), do Ministério das Comunicações, ampliou o acesso à internet no país. Em 2010, quando o programa foi implantado, o país registrava 13,4 milhões de acessos por banda larga móvel (por smartphones). Em maio de 2014, esse número já era de 123,4 milhões. Esse crescimento representa as boas perspectivas para quem trabalha com telecomunicações. O governo federal e as operadoras de telecomunicação são os principais empregadores. Em São Paulo, há vagas em centros de pesquisa e empresas de TI. Com as metas de serviços e abrangências impostas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o Norte e o Nordeste devem aumentar a demanda pelo profissional. A Zona Franca de Manaus também oferece oportunidades de trabalho, nas fábricas de equipamentos de telecomunicação e eletrônicos ali instaladas.

As melhores escolas

5 estrelas

DF Brasília UnB Eng. de Redes de Comun.

4 estrelas

MG Santa Rita do Sapucaí Inatel. PA Belém Iesam. RJ Niterói UFF. SC Blumenau Furb. SP São Paulo USP Eng. Elétr. (telecom.).

3 estrelas

AM Manaus Fac. Fucapi. CE Fortaleza IFCE, Unifor- CE. DF Brasília Iesb-DF Eng. Elétr. (telecom.). MG Ouro Branco UFSJ. PE Recife UPE. RJ Rio de Janeiro Cefet-RJ Eng. Elétr. (telecom.), Uerj Eng. Elétr. (telecom.). RS Canoas Unilasale-RS. SP Campinas PUC-Campinas, Unisal Eng. Elétr. (telecom.).

Curso

As disciplinas básicas incluem física, cálculo, informática, desenho e química. Na parte específica do curso, você tem aulas de comunicação, eletrônica, processamento de sinais, comunicações ópticas, fundamentos de telefonia, sistemas operacionais, técnicas digitais, redes de computadores de alta velocidade, televisão (analógica e digital) e comunicação via satélite. O estágio é obrigatório, assim como a apresentação de um trabalho de conclusão de curso.

Atenção:
Em algumas escolas, este curso é oferecido como habilitação de Engenharia Elétrica.

Duração média: 5 anos.

Outros nomes: eng. de redes de Comun.; eng. elétr. (telecom. e comput.); eng. elétr. (telecom.).



Sistemas de Telecomunicações

Com formação mais voltada para as atividades práticas, este tecnólogo atua no mesmo mercado de trabalho do engenheiro de telecomunicações. Ele trabalha em planejamento, implantação, manutenção e gerenciamento de projetos de diferentes sistemas de telecomunicações, como telefonia, transmissão, comunicação de dados, serviços celulares, TV a cabo, TV digital, serviços telemáticos e outros. Desenvolve e implanta sistemas de transmissão de sinais por meio de satélites, cabos, fibras ópticas e micro-ondas. Aprimora a qualidade dos sinais e controla os equipamentos de difusão de emissoras AM e FM, TVs por assinatura e de serviços de comunicação via rádio. Em redes de telefonia fixa e móvel, gerencia a operação, estuda a viabilidade de sistemas e acompanha o cabeamento e a conexão de telefones, o teleprocessamento e a transmissão de dados. Planeja, ainda, a utilização de redes LAN e WAN e dá suporte técnico a sistemas de telecomunicação. O curso enfatiza as disciplinas que integram aparelhos de telefonia e redes de computadores. Pode esperar muita eletrônica, elétrica, banco de dados e programação, inclusive com muitas aulas em laboratório. O estágio costuma ser obrigatório, mas nem toda escola exige trabalho de conclusão de curso.

Duração média: 3 anos.

Outros nomes: Gestão de Telecom.; redes de Telecom.; Telemática.

O que você pode fazer

Infraestrutura

Criar, projetar, construir, implantar, operar e gerenciar sistemas e redes de telecomunicações, inclusive comunicações de dados, como internet.

Internet móvel

Desenvolver sistemas de transmissão de dados via aparelhos sem fio que dão acesso à internet.

Projeto

Planejar sistemas de transmissão de dados digitais por meio de cabos ópticos e satélites.

Serviços

Gerenciar a implantação, a tarifação, a configuração, a operação e o gerenciamento de redes de telecomunicações. Desenvolver novas tecnologias e equipamentos para comunicação de dados, informática e automação.

Compartilhe