Guia do Estudante

ENGENHARIA FLORESTAL

Bacharelado / Tecnológico

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

É o ramo da engenharia voltado para o estudo e o uso sustentável de recursos florestais. O engenheiro florestal avalia o potencial de ecossistemas florestais e planeja seu aproveitamento de modo a preservar a flora e a fauna. Pesquisa e seleciona sementes e mudas, identifica e classifica espécies vegetais e procura melhorar suas características, analisando as condições necessárias a sua adaptação ao ambiente. Elabora e acompanha projetos de preservação de parques e de reservas naturais e cuida de fazendas de reflorestamento. Recupera áreas degradadas, cuida da arborização urbana e avalia o impacto ambiental de atividades humanas em uma área. Esse engenheiro também efetua vistorias, perícias e avaliações, emitindo laudos e pareceres. Em sua atuação, visa à segurança e aos impactos socioambientais.

Mercado de Trabalho

O Brasil é citado hoje como exemplo na preservação das florestas e na redução nas emissões de carbono. Entre 1996 e 2013, a taxa de desmatamento da Floresta Amazônica caiu cerca de 70%. Com isso, o país também atinge as metas assumidas para a redução das emissões de carbono. A preocupação com a preservação das matas brasileiras cria um fértil campo de trabalho para o engenheiro e o tecnólogo em Silvicultura, que se dedica a orientar a extração de madeira, com técnicas de menor impacto. Na área de reflorestamento, ele encontra espaço na indústria de papel e celulose - mas neste segmento a oferta de vagas acompanha as variações de preço no mercado internacional. Há segmentos mais estáveis, como o de madeira para a construção civil. Órgãos públicos como o Ministério do Meio Ambiente e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) contratam por concurso público. A implantação de novos empreendimentos no Nordeste e no Centro-Oeste também promete abrir vagas. No interior dos estados - inclusive no Sul e no Sudeste - há demanda para atuação em extensão rural, planejamento e consultoria.

As melhores escolas

5 estrelas

DF Brasília UnB. MG Lavras Ufa. Viçosa UFV. SP Botucatu Unesp. Piracicaba USP.

4 estrelas

AC Rio Branco Ufac. ES Alegre Ufes. MT Cuiabá UFMT. PA Belém Ufra. PR Curitiba UFPR. Irati Unicentro-PR. RJ Seropédica UFRRJ. RS Frederico Westphalen UFSM. Santa Maria UFSM. SP Sorocaba UFSCar.

3 estrelas

AC Cruzeiro do Sul Ufac. AM Itacoatiara UEA. Manaus Ufam. AP Macapá Ueap. BA Cruz das Almas UFRB. Vitória da Conquista Uesb. GO Ipameri UEG. MG Diamantina UFVJM. MT Sinop UFMT. PA altamira UFPA. PB Patos UFCG 3. PE Recife UFRPE. PI Bom Jesus UFPI. RO Porto Velho Faro RO. RR Boa Vista UERR. RS São Gabriel Unipampa. SC Blumenau Furb. Canoinhas UnC. Lages Udesc. SE São Cristóvão UFS. TO Gurupi UFT.

Curso

As Ciências Agrárias e Biológicas estão presentes em todo o currículo, com destaque para as disciplinas que envolvem botânica, tecnologia da madeira, fisiologia vegetal, biologia celular e silvicultura. Mas o forte do curso são as técnicas e os métodos de uso racional das matas que não comprometam o ecossistema. Nessa área, as disciplinas teóricas - como conservação de recursos naturais renováveis - alternam-se com práticas de manejo florestal, ecologia aplicada em campo, atividades em laboratórios e viveiros. O estágio é obrigatório, bem como um trabalho de conclusão de curso.

Duração média: 5 anos.


SILVICULTURA T

Este tecnólogo tem campo de atuação semelhante ao do engenheiro florestal, mas com foco em silvicultura - ou seja, no planejamento, no gerenciamento e na supervisão dos processos de melhoramento e manejo de florestas. Ele atende a demandas rurais, urbanas e industriais, sempre com foco no uso sustentável das matas. Determina a melhor forma de plantar e produzir mudas, evitar pragas e doenças que possam atacar as florestas e controlar a qualidade da madeira. Pode trabalhar também no reflorestamento de áreas destinadas à exploração comercial pela indústria. Nas cidades, trabalha em secretarias municipais, na produção de mudas e arborização, muitas vezes em parceria com o engenheiro. O curso traz disciplinas específicas em solo, ecologia, meteorologia, botânica, genética e melhoramento florestal. Para se graduar, são exigidos trabalho de conclusão e estágio supervisionado.

Duração média: 3 anos.

O que você pode fazer

Ecologia aplicada

Estudar e administrar parques e reservas florestais e gerenciar processos de exploração que preservem os recursos naturais. Recuperar áreas degradadas.

Educação

Realizar atividades em educação ambiental e ecoturismo, incentivando as ações de preservação da biodiversidade da fauna e da fora.

Fiscalização

Supervisionar empresas que utilizem produtos de origem florestal, como termelétricas a carvão, indústrias que utilizem lenha e siderúrgicas.

Manejo florestal

Elaborar, promover e supervisionar projetos de reflorestamento das espécies arbóreas para aumentar sua produtividade. Pesquisar sementes e o melhoramento genético da vegetação.

Tecnologia de produtos florestais

Pesquisar e desenvolver tecnologias para o aproveitamento, a extração e a industrialização de madeiras e de outros produtos da floresta, como óleos essenciais e resinas.

Compartilhe