Guia do Estudante

ENGENHARIA DE PESCA E AQUICULTURA

Bacharelado

Legenda:

Graduação

Graduação Tecnológica

É o setor da engenharia voltado para o cultivo, a captura e a industrialização de organismos aquáticos. O engenheiro de pesca estuda e aplica métodos e tecnologias para localizar, capturar, beneficiar e conservar peixes, crustáceos e frutos do mar. Suas atividades básicas são o planejamento e o gerenciamento das atividades pesqueiras voltadas para a industrialização e para a comercialização do pescado. Em aquicultura, atua na criação e na reprodução de peixes, crustáceos e moluscos em cativeiro. Dimensiona e implanta fazendas aquáticas em lagos, rios, barragens e no oceano. Pesquisa o beneficiamento e a conservação dos animais e acompanha sua industrialização e distribuição no mercado consumidor. Instala e mantém motores e equipamentos mecanizados usados em operações de pesca, beneficiamento e processamento.

Fique de olho

Boas perspectivas para a Aquicultura

O Brasil é o 13º maior produtor de pescados em cativeiro – atividade conhecida como aquicultura – do mundo. Em 2010, de acordo com o relatório mais recente do Ministério da Pesca e Aquicultura, a produção de 479 mil toneladas de pescado representou um crescimento de 15% em relação ao ano anterior. A expectativa é que essa produção dobre nos próximos dez anos, impulsionada pelo aumento da demanda por pescados, influenciada pelo incremento da renda da população e por hábitos mais saudáveis de alimentação, pelo fato de a pesca extrativista estar perto do limite e pelas próprias características naturais do país, como a grande reserva de água doce e a extensão do litoral brasileiro.

Mercado de trabalho

Após a criação do Ministério da Pesca e Aquicultura, em 2003, a profissão ganha cada vez mais destaque. Um dos objetivos do ministério é aumentar o consumo interno do pescado, hoje abaixo do mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). "O Brasil tem uma ampla variedade de ambientes e recursos aquáticos que podem ser explorados: marítimos, pluviais e aquícolas", diz Christiane de Oliveira, coordenadora do curso na Ufam. Este bacharel encontra espaço em órgãos públicos, como o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em empresas privadas e do terceiro setor. Empresas de aquicultura, piscicultura e frigoríficos que trabalham com armazenamento e beneficiamento do pescado, são tradicionais empregadores. Consultoria e ensino e pesquisa - particularmente as voltadas para a busca de novas tecnologias para cultivo sustentável - são áreas que também absorvem profissionais. As regiões Nordeste e Sul concentram as principais oportunidades. Na Região Centro-Oeste, novos frigorífcos têm sido abertos, e a piscicultura ganha espaço. Em Rondônia, a produção das fazendas aquícolas cresce, ano a ano. No Norte, cresce a busca pelo profissional.

Salário inicial: R$ 4.068,00 por 6 horas diárias (fonte: Crea-SP);

As melhores escolas

5 estrelas

PE Recife UFRPE; SC Florianópolis UFSC Eng. de Aquicultura.

4 estrelas

AM Manaus Ufam; BA Cruz das Almas UFRB, Paulo Afonso Uneb-BA; CE Fortaleza UFC; PA Belém Ufra, Bragança UFPA; PR Toledo Unioeste;

3 estrelas

AL Penedo Ufal; PE Serra Talhada UFRPE; PI Parnaíba UFPI;

Curso

As disciplinas básicas, são das Ciências Exatas e Biológicas, como cálculo, estatística, ecologia e zoologia. O estudante veem também biologia pesqueira, bioquímica, meteorologia e tecnologia de pesca, aquicultura, economia e administração pesqueira. As aulas práticas, em laboratório e a bordo de barcos, ocupam boa parte da carga horária. Nelas, o aluno aprende técnicas de navegação e cultivo de peixes, moluscos e crustáceos. Para se formar é preciso fazer estágio e apresentar uma monografa.

Atenção: Ifes-ES, UFFS-PR, UFSC e UFRN oferecem o curso de Engenharia de Aquicultura; na Unir (RO) a graduação é Engenharia de Pesca e Aquicultura.

Duração média: cinco anos.

Outros nomes: Aquacultura; Ciência e Tecnologia das águas; Ciências do Mar; eng. de Aquicultura; eng. de pesca e Aquicultura.


A Ufopa, em Santarém (PA), oferece um bacharelado interdisciplinar (Bi) em ciência e tecnologia das Águas (três anos e meio de duração). Após a conclusão desse curso, o estudante pode ingressar em Engenharia de Pesca ou em Engenharia de Aquicultura (duração de dois anos) e obter mais um diploma de bacharel.
Já a Unifesp, campus Baixada Santista, passou a ofertar, em 2012, o bacharelado interdisciplinar (BI) em ciências do Mar, área estratégica ao desenvolvimento do país em função das pesquisas relacionadas ao petróleo e à exploração do pré-sal. O conteúdo do curso é distribuído em quatro eixos: o ambiente marinho; a vida marinha; a sociedade e trabalho no mar; e mar, ciência e tecnologia. Após concluir o ciclo básico de três anos, o estudante obtém o diploma de bacharel interdisciplinar.
A partir daí, ele tem a opção de cursar por mais dois anos um outro bacharelado - que pode ser: Oceanografa; Ecologia Marinha; Engenharia de Petróleo e Energias Renováveis; Engenharia Ambiental Portuária; ou Engenharia de Pesca e Aquicultura - e receber novo diploma.


O que você pode fazer

Administração e economia pesqueira

Planejar, implantar e gerenciar empresas pesqueiras.

Aquicultura

Projetar fazendas e viveiros e desenvolver técnicas para a criação de organismos marinhos e de água doce. Estudar a viabilidade econômica, técnica e jurídica de empreendimentos de aquicultura e dar consultoria em fazendas aquáticas.

Ecologia aquática

Estudar ecossistemas aquáticos de modo a garantir a exploração sustentável dos recursos sem danos ao meio ambiente.

Extensão pesqueira

Orientar comunidades de pescadores para aumentar a produtividade e o desenvolvimento econômico e social da região de maneira sustentável.

Investigação, planejamento e tecnologia pesqueira

Pesquisar o potencial pesqueiro de uma região e elaborar programas para seu desenvolvimento. Criar técnicas de localização e captura de animais aquáticos.

Produção

Desenvolver técnicas de criação de peixes (piscicultura), mariscos (maricultura), camarões (carcinicultura) e plantas aquáticas.

Tecnologia do pescado

Fazer o controle sanitário e inspecionar a conservação, o beneficiamento e a industrialização do pescado, agregando valores e desenvolvendo novos produtos.

Compartilhe