logo-ge

23 filmes vencedores e indicados ao Oscar para quem ama história

Com a proximidade do Oscar, os cinéfilos podem aliar o útil ao agradável. Que tal dar uma pausa nos livros e, ao mesmo tempo, revisar um pouco de história?

Se você gosta das Grandes Guerras

Dunkirk e O Destino de uma Nação (ambos indicados a melhor filme em 2018)

 (Dunkirk/Reprodução)

Os dois filmes tratam do mesmo episódio: o avanço avassalador dos nazistas na Europa e o momento crítico que o Reino Unido viveu, tanto nas praias francesas quanto nos bastidores da política de Winston Churchill em Londres.

Cartas de Iwo Jima (indicado a melhor filme em 2007)

O longa de Clint Eastwood é a continuação de outro filme dele, A Conquista da Honra. Ambos se passam na sanguinária Batalha de Iwo Jima, em que japoneses e americanos se enfrentaram no fim da Segunda Guerra.

O Resgate do Soldado Ryan (indicado a melhor filme em 1999)

 (O resgate do soldado Ryan/Divulgação)

O início do filme retrata um momento marcante da Segunda Guerra, o ataque dos Aliados na praia de Omaha, em 6 de junho de 1944 (o dia D), para adentrar o território francês. No desenrolar do filme, de Steven Spielberg, o capitão John H. Miller e outros sete soldados se dedicam ao resgate do soldado Ryan, único sobrevivente de sete irmãos militares.

Patton (vencedor do Oscar de melhor filme em 1971)

 (Platton/Divulgação)

Tendo também como ponto alto da trama o Dia D, o filme mostra ainda outras batalhas da Segunda Guerra, em países como a Tunísia e a Itália. O nacionalismo americano é muito explorado nesse filme sobre o lendário general George S. Patton.

A Lista de Schindler (vencedor do Oscar de melhor filme em 1994)

 (A lista de Schindler/Divulgação)

Também dirigido por Spielberg, o filme conta a história do empresário Oskar Schindler, alemão que empregou mais de 1000 judeus em sua fábrica para salvá-los durante o Holocausto.

Lawrence da Arábia (vencedor do Oscar de 1963)

 (Lawrence da Arábia/Divulgação)

Para sair um pouco da Segunda Guerra (e do protagonismo americano), o filme se passa em plena Primeira Guerra Mundial, embora os grandes momentos dela não sejam os centrais do filme. A aliança entre rebeldes árabes e o exército britânico contra os turcos rendeu este clássico que ganhou, somente no Oscar, sete premiações. 

 

Se você gosta do mundo da Guerra Fria e da geopolítica do século 20

Todos os Homens do Presidente (indicado a melhor filme em 1977)

 (Todos os Homens do Presidente/Divulgação)

No filme acompanhamos a investigação dos jornalistas Bob Woodward e Carl Bernstein que culminou na renúncia do presidente dos EUA, Richard Nixon. O caso ficou conhecido como Watergate. O presidente, assim como todos seus homens, estavam envolvidos no maior caso de espionagem até hoje descoberto nos Estados Unidos.

Frost/Nixon (indicado a melhor filme em 2009)

 (Frost/Nixon/Divulgação)

O filme retrata os momentos seguintes ao escândalo Watergate. O apresentador David Frost resolve entrevistar o presidente Nixon para extrair a confirmação da participação no esquema de espionagem. Embora essa informação só chegue no final do filme, ao longo da entrevista Nixon aborda, entre outras coisas, a política externa de seu governo e a relação com a União Soviética.

Munique (indicado a melhor filme em 2006)

 (Munique/Reprodução)

O longa se desenrola a partir do Massacre de Munique, atentado terrorista que matou 11 atletas israelenses nas Olimpíadas de 1972. No filme, um esquadrão é contratado para matar o grupo terrorista Setembro Negro, responsável pelo atentado.

JFK – A Pergunta que não Quer Calar (indicador a melhor filme em 1992)

 (JFK/Divulgação)

Dirigido por Oliver Stone, o filme dá voz e desenvolve uma polêmica teoria em torno do assassinato do presidente John Kennedy, morto em 1963.

Platoon (vencedor do Oscar de melhor filme em 1986)

 (Platton/Divulgação)

Também de Oliver Stone, o filme é baseado nas próprias experiências do diretor no Vietnã durante a guerra. Retrata não só as atrocidades da guerra, como o despreparo dos americanos e as sequelas psicológicas deixadas em todos os envolvidos.

Apocalypse Now (indicado a melhor filme em 1980)

 (Apocalypse Now/Divulgação)

Assim como o anterior da lista, também retrata a Guerra do Vietnã. Muito elogiado pela crítica, o longa se destacou por colocar agressivamente em evidência o impacto psicológico da guerra e questões sociais como o nacionalismo e a crença na supremacia americana.

 

Se você gosta de filmes sobre lutas por direitos civis e defesa de minorias

Selma: Uma Luta pela Igualdade (indicado a melhor filme em 2015)

 (Selma/Divulgação)

O filme retrata a marcha de Selma a Montgomery, uma das mais famosas lideradas por Martin Luther King, que reivindicava o direito dos afro-americanos ao voto. Naquele mesmo ano, 1964, enquanto Luther King ganhava o Nobel da Paz muitos negros ainda não podiam votar no país.

12 Anos de Escravidão (vencedor do Oscar de melhor filme em 2014)

 (12 anos de escravidão/Divulgação)

A história se passa em 1841, e os Estados Unidos estão divididos entre um norte abolicionista e um sul escravagista. Solomon Northup, um homem negro nascido livre em Nova York, é sequestrado e levado como escravo para a Louisiana. O filme explicita o horror e também a complexidade do período escravagista americano.

Milk: A Voz da Igualdade (indicado a melhor filme em 2009)

 (Milk/Divulgação)

O filme conta o início da trajetória política do ativista LGBT Harvey Milk, que veio a se tornar o primeiro homossexual assumido a ser eleito para um cargo público na Califórnia.

Gandhi (vencedor do Oscar de melhor filme em 1983)

 (Gandhi/)

Indicado a 11 categorias do Oscar e vencedor em oito delas, o filme conta a trajetória de Mahatma Gandhi, líder do movimento de independência da Índia. Gandhi lutou de maneira pacifista durante toda a primeira metade do século 20 contra a dominação britânica.

Estrelas Além do Tempo (indicado a melhor filme em 2017)

 (Estrelas Além do Tempo/Divulgação)

O filme reúne dois grandes temas da história americana: a segregação racial e a Guerra Fria, aliando a isso um debate acerca dos direitos das mulheres. A trama narra a história real de três matemáticas negras que exerceram papel central na Nasa na corrida contra a URSS.

 

Se você gosta de filmes sobre impérios e povos da Antiguidade

Gladiador (vencedor do Oscar de melhor filme em 2000)

 (Gladiador/Divulgação)

O filme se passa durante o Império Romano e conta a história do general Maximus, traído quando Cómodo mata o pai e se torna imperador. O longa retrata não só as disputas pelo trono durante o império, como também a organização da sociedade e seus costumes à época.

Cleópatra (indicado a melhor filme em 1964)

 (Cleopatra/Divulgação)

Dirigido por Joseph L. Mankiewicz, o filme narra o período em que a rainha Cleópatra trava uma disputa com Roma para impedir que o Egito seja dominado. Diversos importantes marcos históricos como a Segunda Guerra Civil da República Romana e os triunviratos são pano de fundo da trama.

Júlio César (indicado a melhor filme em 1954)

 (Júlio Cesar/Divulgação)

Adaptação da obra de Shakespeare, o filme foca principalmente no embate entre o imperador Júlio César e Bruto, que conspirou para assassiná-lo. Retrata também os primórdios da República Romana e as disputas de poder.

 

Se você gosta da Europa medieval da Idade Moderna

Elizabeth (indicado a melhor filme em 1999)

 (Elizabeth/Divulgação)

A partir da biografia de Elizabeth, uma das mais famosas e perseguidas rainhas inglesas, o filme constrói o cenário de um momento conturbado dos reinados na Inglaterra. As disputas de poder com a França e o poder da Igreja foram grandes entraves de seu reinado.

Coração Valente (vencedor do Oscar de melhor filme em 1996)

 (Coração Valente/Divulgação)

William Wallace, um dos grandes heróis escoceses da Idade Média, luta, na trama, contra a dominação do rei inglês Eduardo I. O filme se passa no final do séc. 13. Wallace chegou a liderar um exército de camponeses que lutou pela soberania da Escócia.