Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Aulas presenciais: 5 dicas para se proteger da covid no transporte público

Com a retomada das atividades presenciais, a tendência é que a demanda de transporte público aumente. Saiba como se preparar para esse momento

Por Redação 3 mar 2022, 18h56

O avanço da vacinação contra a covid-19 tornou possível a retomada gradativa das atividades presenciais, principalmente nas instituições de ensino. A Unicamp e a USP, por exemplo, planejam o início das aulas presenciais para o dia 14 de março. Com o retorno, a tendência é que a demanda pelo transporte público, que apresentou queda durante a pandemia, volte a aumentar.

+ STF contraria MEC e permite comprovante de vacinação nas universidades

Em São Paulo, por exemplo, o fluxo de passageiros da região metropolitana da capital paulista caiu 62% em 2021, mas a expectativa é de volta aos níveis pré-pandêmicos em 2022, de acordo com o governo do Estado. 

O cenário traz à tona um receio que para muita gente permeou toda a pandemia: o que pode ser feito para minimizar os riscos de contágio por coronavírus no transporte público? Para ajudar os estudantes a terem deslocamentos diários mais seguros, a equipe da Quicko, ecossistema de mobilidade urbana, listou 5 recomendações. Confira!

1. Invista em aplicativos que fornecem informações em tempo real

A tecnologia é uma grande aliada para evitar imprevistos e planejar a rota mais rápida possível, reduzindo o tempo de exposição aos possíveis riscos de contágio por covid-19. Por meio dos aplicativos de mobilidade urbana, já é possível receber informações e alertas em tempo real sobre o que está acontecendo no transporte público.

via GIPHY

2. Utilize diferentes formas de deslocamento 

Uma maneira de evitar as aglomerações é utilizar diferentes formas de deslocamento. A integração dos meios de transporte, além de otimizar a infraestrutura das cidades, uma vez que aumenta a segurança e a agilidade, dá ao usuário a possibilidade de escolher o meio de transporte em que se sentirá mais confortável no momento. Se for possível e achar necessário, o estudante pode fazer parte do trajeto de metrô e outra de bicicleta, por exemplo.

via GIPHY

3. Evite filas optando pelo bilhete eletrônico 

Continua após a publicidade

Outra forma de evitar aglomerações no momento de comprar passagens é trocar filas nos transportes públicos, comuns durante os horários de pico, por bilhetagem eletrônica. Por meio de aplicativos, os usuários podem comprar os créditos para o seu bilhete de transporte de maneira digital via cartão de crédito ou PIX, por exemplo. Assim, fazem todo o processo sem precisar lidar com qualquer dinheiro físico ou cartões, o que é bastante conveniente em tempos de pandemia.

via GIPHY

4. Se possível, evite os horários de pico

Antecipe-se! Com as cidades brasileiras retomando suas atividades presenciais, os famosos “horários de pico” voltaram a ser uma realidade. Então, para manter o distanciamento social, o ideal é evitar os horários de maior deslocamento e tentar se antecipar sempre que possível. Além de ajudar a prevenir os riscos, chegar alguns minutos antes pode gerar mais tempo para rever alguma matéria, adiantar uma atividade ou fazer as tarefas do dia. 

via GIPHY

5. E, claro, siga as recomendações de segurança!

Máscara adequada e álcool gel continuam sendo parceiros fundamentais para o dia a dia. Principalmente nos ônibus e metrôs, que recebem muitos passageiros diariamente, não coloque a mão no rosto, boca ou olhos. Além disso, faça o possível para ficar perto de janelas ou áreas em que a circulação de ar seja maior. 

via GIPHY

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso PASSEI! do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a todas as provas do Enem para fazer online e mais de 180 videoaulas com professores do Poliedro, recordista de aprovação nas universidades mais concorridas do país.

 

Continua após a publicidade

Publicidade