Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Guerra na Ucrânia ameaça 7,5 milhões de estudantes, diz Unicef

Escolas ucranianas começam a orientar crianças e jovens sobre como se proteger de ataques e explosivos

Por Juliana Morales Atualizado em 25 fev 2022, 08h55 - Publicado em 24 fev 2022, 17h51

Após uma série de sinalizações, o governo russo começou a invasão da Ucrânia nesta quinta-feira (24). Com os primeiros ataques, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertou que 7,5 milhões de estudantes estão ameaçados no país. No comunicado, o órgão diz que o uso de artilharia pesada ao longo da linha de contato já danificou infraestruturas críticas de água e instalações educacionais nos últimos dias.

Como mostrou reportagem do G1, desde o início da semana as escolas têm passado orientações relacionadas ao conflito. Durante treinamentos de emergência, crianças e jovens são ensinados sobre práticas de guerra, como reconhecer um explosivo e escapar de ataques, além de instruções sobre como prestar socorro às vítimas.

Além disso, famílias da capital ucraniana Kiev estão colando etiquetas nas roupas dos estudantes com informações sobre o tipo sanguíneo e contatos de emergência para proteger os que se locomovem sozinhos de casa para o colégio.

Na quinta-feira passada (17), autoridades ucranianas informaram que um grupo de separatistas pró-Rússia apoiados pelas forças armadas de Putin atacaram uma escola infantil na Ucrânia. A ação teria causado ferimentos leves em três pessoas, entre elas um professor e um vigilante.

Em nota, o Unicef também pediu que todas as partes se abstenham de atacar infraestruturas essenciais das quais as crianças e os adolescentes dependem, incluindo sistemas de água e saneamento, estabelecimentos de saúde e escolas.

Continua após a publicidade

O conflito

O atual impasse entre os dois países escalou em novembro de 2021, quando o presidente russo, Vladimir Putin, posicionou 100 mil militares na fronteira com a Ucrânia. Há anos, as duas nações, que no passado fizeram parte da União Soviética, disputam porções de territórios próximos a fronteira. A Ucrânia frequentemente acusa a Rússia de atentar contra sua soberania ao financiar grupos separatistas.

Desde o começo, o governo ucraniano contou com o apoio da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte). A aproximação do país com a aliança militar liderada pelos Estados Unidos gerou descontentamento da Rússia. Putin alega que o apoio da organização aos ucranianos, com treinamento e armas, ameaça a segurança da Rússia.

A principal exigência do governo russo na atual crise é, justamente, que o ocidente garanta que a Ucrânia não vai aderir à Otan.

Para te ajudar a entender todo o contexto e os principais atores envolvidos no conflito, o GUIA DO ESTUDANTE elencou quatro pontos centrais. Confira a reportagem completa neste link.

Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso PASSEI! do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a todas as provas do Enem para fazer online e mais de 180 videoaulas com professores do Poliedro, recordista de aprovação nas universidades mais concorridas do país.

Continua após a publicidade

Publicidade