Clique e assine GE Play por R$16,90

Pandemia e crise levam 26 mil alunos para a rede pública em SP

Matrículas representam aumento de 20% em comparação a 2019

Por Luccas Diaz - Atualizado em 6 out 2020, 17h44 - Publicado em 6 out 2020, 16h39

O governo de São Paulo prevê a volta às aulas presenciais para esta quarta-feira, 7 de outubro, em toda a rede de ensino. Em decorrência da crise econômica desencadeada pela pandemia da Covid-19, de acordo com a Secretaria Estadual da Educação, pelo menos 26 mil alunos vão migrar das escolas particulares para as escolas da rede pública.

“Os pais [de alunos] perderam emprego, tiveram mudanças na vida e precisaram optar pela transferência para a escola pública. Isso aconteceu em vários lares do estado de São Paulo” explica o subsecretário de articulação regional da Secretaria da Educação do Estado, Henrique Pimentel, para o jornal Agora

Entre os meses de janeiro e agosto deste ano, cerca de 14 mil alunos de escolas particulares se matricularam em uma instituição da rede estadual. Já na rede municipal da capital,  outros 12 mil alunos solicitaram vaga, de acordo com a prefeitura. Em relação a 2019,  o número representa um aumento de 20%.

Ainda assim, de acordo com o Censo Escolar, as mudanças para a rede pública ainda não representam números alarmantes. As novas 14 mil transferências da rede estadual representam apenas 0,4% no total de integrações. Já na rede municipal da capital, as novas solicitações caracterizam apenas 1,7% no total de matrículas.

As solicitações feitas até agora valem apenas para o ano de 2020. A abertura das matrículas para o ano letivo de 2021 está marcada para esta quarta-feira (7) e será feita de modo totalmente remoto, por meio do aplicativo Minha Escola SP ou pelo site da Secretaria Escolar Digital (SED).

Continua após a publicidade
Publicidade