Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês
Redação para o Enem e Vestibular Por Blog Dicas de redação, propostas e análises de texto para mandar bem no Enem e nos vestibulares

Nova proposta de redação: Rio 2016 – O legado olímpico

Por Ana Lourenço Atualizado em 24 fev 2017, 15h06 - Publicado em 17 jul 2016, 09h34

Tem proposta nova de redação no blog! Desta vez, o tema é Rio 2016: O legado olímpico. Você pode enviar o seu texto até o próximo domingo (24).

Cristo Redentor iluminado para Olimpíadas
Foto: Getty Images

Para participar, você deverá criar um perfil de usuário na plataforma Imaginie, selecionar a proposta da semana e seguir as instruções para o envio da redação diretamente pelo site. Os primeiros a se cadastrarem por meio desse link terão direito a uma correção, sempre feita por dois ou mais professores, seguindo os mesmos critérios do Enem. O Guia do Estudante vai distribuir entre 50 e 250 correções gratuitas semanalmente.

Ao longo da semana seguinte, o blog publicará algumas das correções. Lembrando: toda semana teremos proposta nova e exemplos de redações corrigidas.

>> 3 erros comuns nas redações

ATENÇÃO: Para que sua redação seja publicada no blog, é preciso desenvolver a proposta correspondente à semana em curso! Ou seja, para os textos enviados até domingo (24), a proposta deve ser a que está descrita abaixo.

Veja as instruções do tema da semana:

A partir da leitura dos textos motivadores e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema Rio 2016: O legado olímpico, apresentando proposta de intervenção que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

TEXTO I

Com um orçamento estimado em 24,6 bilhões de reais, o plano de legado das Olimpíadas do Rio de Janeiro conta com 27 projetos. O programa abrange obras urbanísticas, ambientais e, claro, esportivas. […] Todas as quatro sedes anteriores dos Jogos Olímpicos também contaram com planos de legado. Os resultados, todavia, foram distintos em cada cidade. De elefantes brancos a importantes iniciativas de revitalização urbanística. […] Os Jogos Olímpicos de 2008 anunciaram uma “nova China”, moderna e tecnológica. […] Nos anos seguintes, no entanto, o crescimento da cidade agravou os congestionamentos já existentes, enquanto problemas sociais e de poluição continuaram estagnados. Estima-se que serão necessários cerca de 30 anos para que todos os gastos do evento – aproximadamente 32 bilhões de dólares, o orçamento mais caro da história dos Jogos Olímpicos – se paguem.

Continua após a publicidade

Disponível em: <http://www.cartacapital.com.br/internacional/de-londres-a-sydney-o-que-sobrou-do-legado-das-olimpiadas-1050.html> Acesso em 13 jun. 2016

TEXTO II

As Olimpíadas seriam uma chance para a Grécia divulgar sua imagem e estimular o turismo e o crescimento. Mas, dez anos depois, os precursores dos jogos olímpicos modernos não têm muito para celebrar quando olham para as arenas destinados ao evento: lixo, esgoto, vegetação e pó estão por todos os lugares. Os locais construídos para sediar as Olimpíadas, em Atenas, estão abandonados ou servem só para conferências ou casamentos, diz a Reuters. Ainda segundo a agência de notícias, para os gregos que se enchiam de orgulho há dez anos, os jogos olímpicos são relembrados com raiva. A Grécia se encontra em uma crise que já dura seis anos, com desemprego recorde, moradores de rua e pobreza.

Disponível em: <http://exame.abril.com.br/mundo/album-de-fotos/10-anos-depois-atenas-tem-obras-para-olimpiadas-abandonadas> Acesso em 13 jun. 2016

TEXTO III

O Comitê Rio-2016, responsável por organizar os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, garantiu que o estado de calamidade pública decretado pelo governo não causará impacto na organização do evento. “Não afeta em absolutamente nada”, afirmou o diretor de Comunicação do Rio-2016, Mario Andrada. “Primeiro, porque a gente já sabia que o Estado estava quebrado. Segundo, porque os recursos por meio de incentivo (renúncia fiscal) já foram garantidos.” No decreto que institui o estado de calamidade, a Olimpíada é citada em três das oito justificativas. A grave crise financeira do Estado “vem impedindo o Estado de honrar com os seus compromissos para a realização dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016″, expõe o texto assinado pelo governador em exercício, Francisco Dornelles (PP), 49 dias antes do início dos jogos.

Disponível em: <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/rio-2016-diz-que-decreto-de-calamidade-nao-afeta-olimpiada> Acesso em 13 jun. 2016

TEXO IV

Uma análise de classificação de risco de crédito da Agência inglesa Moody’s apontou que o Rio foi bem avaliado em relação ao legado dos Jogos Olímpicos de 2016, como mostrou o RJTV nesta quarta-feira (18). Especialistas ressaltam, no entanto, que a cidade precisa pensar no período após a competição, a fim de atrair novos investimentos.

Disponível em: <http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/olimpiadas/rio2016/noticia/2016/05/moodys-avalia-legado-olimpico-do-rio-como-positivo-em-documento.html> 13 jun. 2016

Continua após a publicidade
Publicidade