Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês
Redação para o Enem e Vestibular Por Blog Dicas de redação, propostas e análises de texto para mandar bem no Enem e nos vestibulares

Análise: Preconceitos enfrentados pelos homossexuais na doação de sangue

Veja a correção para uma das redações enviadas pelos nossos leitores

Por da redação 25 jul 2018, 13h53

Com base na proposta do dia 15 de julho, os estudantes deveriam escrever uma dissertação sobre o tema “Preconceitos enfrentados pelos homossexuais na doação de sangue”. Leia abaixo uma das redações enviadas e veja, em seguida, a análise feita pelos professores da plataforma de correção Imaginie.

Tema: Preconceitos enfrentados pelos homossexuais na doação de sangue

[8] Ao longo do processo de desenvolvimento cultural do homem contemporâneo, a orientação sexual esteve intrinsecamente ligada às discussões de problemas cotidianos e, no caso dos homossexuais, ao preconceito. Hodiernamente, o debate acerca da doação de sangue assumiu um papel de controvérsia na sociedade, visto que homossexuais são impedidos de exercer tal alteridade, barreira embasada por argumentos frágeis que mascaram o preconceito da população nos âmbitos socioculturais, governamentais e científicos. [1]

[2] É indubitável que tal problemática possui origens na homofobia enraizada no contexto social. Segundo o sociólogo Émile Durkheim, o fato social é um fenômeno caracterizado por ações e pensamentos exteriores e coercitivos ao indivíduo. Analogamente, infere-se que o cidadão desenvolvido em um meio de preconceitos e ignorância quanto aos homossexuais, vistos, por grande parte da população, como doentes mentais e físicos e disseminadores de vírus, tende a adotar essa visão na conjuntura de temas nacionais. Assim, a reflexão de posturas coercitivas se dá por ações como o impedimento da doação de sangue, que utiliza como caráter excludente a orientação sexual, e não um comportamento de risco em si. [3]

[4] Outrossim, é preciso destacar o papel da administração governamental em conjunto com a comunidade científica no que tange o assunto. Atualmente, a resolução jurídica adotada pelo país na doação de sangue possui um embasamento moral, e não biológico, já que um homem heterossexual que tenha relações sexuais sem preservativo é autorizado a doar, enquanto um homem homossexual monogâmico que se relaciona apenas com preservativo, não. [5] Para o filósofo Thomas Hobbes, a constitucionalidade é responsável pela convivência pacífica e igualdade social entre os homens, o que não se constata no caso da doação de sangue de homoafetivos. Desse modo, uma alteração na lei é imprescindível para a manutenção da justiça social e garantia dos direitos.

Entende-se, portanto, que há um forte preconceito no impedimento da doação de sangue por homossexuais. A fim de atenuar o problema, ONGs nacionais como a AVANTE podem, em parceria com o Terceiro Setor nacional, distribuir, nas grandes metrópoles, cartilhas e livros elaborados por profissionais da saúde que explicitem a origem comportamental do risco na doação não restritos à orientação sexual. Concomitantemente, o Estado, por meio do Congresso Nacional deve votar por uma alteração da restrição na doação, para que inclua novos métodos de detecção propostos pela comunidade científica e exclua o caráter preconceituoso. Desse modo, tal fato social será gradativamente eliminado da comunidade. [6][7]

Avaliação por competência:

Competência I – Demonstrar domínio da norma culta:

[7] Boa diversidade lexical.

Competência II – Compreender a Proposta:

[1] Tese clara.

Continua após a publicidade

Competência III – Selecionar e relacionar argumentos:

[2] Fundamentar citações de autores com suas respectivas fontes

[5] Citar a fonte.

[8] Boa contextualização inicial.

Competência IV – Conhecer os mecanismos linguísticos para a construção da argumentação:

[3] Tópico frasal construído.

Competência V – Elaborar a proposta de solução para o problema:

[4] Parágrafos bem articulados.

[6] Agentes interventores em bom número.

Nota: 920

Continua após a publicidade

Publicidade