Clique e assine GE Play por R$16,90

“Sociedade dos Poetas Mortos”: saiba como utilizar o filme no vestibular

Explore o enredo e enriqueça seu repertório

Por Julia Di Spagna - Atualizado em 8 abr 2019, 18h25 - Publicado em 19 jul 2018, 15h46

A ideia desta série de matérias é permitir que você consiga desenvolver um repertório mais amplo e um pensamento crítico mais aguçado com base nas diversas camadas que a sétima arte pode apresentar. As análises dos filmes que faremos aqui buscam mostrar certas relações entre o enredo e temas contemporâneos que podem ser abordados na redação e em outras questões do Enem e dos principais vestibulares do Brasil.

O filme se passa em 1959, em uma tradicional escola norte-americana apenas para garotos. Guiada por 4 grandes princípios (tradição, honra, disciplina e excelência), a Academia Welton se orgulha de formar grandes líderes numa sociedade em que os pais tinham enorme influência na escolha profissional dos filhos.

Nesse contexto, um novo professor, John Keating, confronta os ideais conservadores da instituição, que pouco valoriza expressões artísticas e limita a liberdade dos estudantes.

Keating estimula o pensamento crítico e autônomo dos jovens e os ajuda a enxergar o mundo de um ponto de vista diferente, perseguindo suas paixões e assumindo as rédeas das próprias vidas.

Dessa forma, tenta acabar com a passividade frente a um sistema autoritário que não permite que reflitam sobre suas trajetórias e desejos.

Além disso, a partir da temática do carpe diem, o professor desperta nos alunos a vontade de se descobrirem e aproveitarem a vida.

Certo dia, um deles fica sabendo que o professor havia sido aluno da Academia e participara de um grupo chamado “Sociedade dos Poetas Mortos”. Ao ser questionado sobre o assunto, Keating explica se tratar de uma espécie de clube de alunos que se reuniam para ler poesia. Inspirados pela ideia, os jovens decidem fazer o mesmo.

Entre as leituras nos encontros noturnos em uma caverna próxima à escola, cada um se depara com novos sentimentos, sonhos e características que até então não conheciam sobre si mesmos.

Em meio a aulas intrigantes, leituras inspiradoras e descobertas conflituosas, uma série de consequências acomete os personagens. Entretanto, ao final, fica claro o reconhecimento dos alunos ao professor e a perpetuação do seu legado, que ensinou aos jovens a possibilidade de encarar o mundo de uma maneira nova.

É possível explorar o filme “Sociedade dos Poetas Mortos” a partir de diversos aspectos. Conversamos com Eduardo Calbucci, professor de redação do Anglo, para estabelecer os principais e qual a melhor forma de aplicá-los na hora da prova.

Poder de transgressão da arte

A arte é transgressora. Seja o cinema, a poesia ou a pintura, as expressões artísticas de um modo geral têm a tendência de nos tirar de nossas zonas de conforto.

Após descobrirem sobre a antiga Sociedade dos Poetas Mortos, os estudantes fogem da escola para ler poesia e se descobrem a partir dessa prática.

A poesia e a literatura, aos poucos, ajudam esses jovens a entender suas vontades e aptidões de uma maneira natural.

Além disso, a arte também os faz enxergar criticamente os problemas da realidade em que estão inseridos. Os valores conservadores da escola e de suas famílias já não têm mais espaço para se perpetuar.

Pensamento autônomo

O poder transformador da arte e o próprio professor entram em conflito com o tradicional colégio, que desestimula a reflexão e uma posição crítica por parte dos alunos.

Um dos maiores valores defendidos por Keating é o incentivo ao pensamento autônomo, que estava perdendo força nesse cenário repleto de imposições e restrições.

Diferentemente da Academia, que deseja passar fórmulas prontas de como ser um profissional exemplar, o professor incentiva os jovens a pensarem por conta própria.

Imposições da sociedade

A sociedade apresentada no enredo não incentiva a liberdade dos jovens e isso reflete diretamente em suas escolhas profissionais. Os pais possuem grande, senão total, controle sobre a carreira que seus filhos irão seguir e esperam que a escola não interfira e apenas incentive essas decisões preestabelecidas.

O personagem Neil Perry, por exemplo, descobre a paixão pela dramatização e passa a investir na carreira. A ideia vai contra os planos de seu pai, que decide tirá-lo da Academia para focar em uma profissão mais tradicional.

Muitos jovens ainda encaram situações como essas em que a opressão familiar dita os rumos de suas vidas.

Além disso, quando conseguem escolher as profissões dos sonhos, elas podem não se adequar a certas imposições da própria sociedade. Ainda hoje, por exemplo, muitos acreditam que o sucesso profissional e financeiro só poderão ser alcançados por meio das carreiras ditas tradicionais, como medicina e direito.

Papel do professor

John Keating desperta o pensamento autônomo em seus alunos e tenta mostrar a importância de novos pontos de vista sobre as mais diversas esferas da vida. Ele assume o seu papel de professor de forma a dar ferramentas para os estudantes se conhecerem melhor e se reinventarem.

Uma das polêmicas que permeia as responsabilidades de educadores é o movimento Escola Sem Partido, que combate uma suposta “doutrinação política e ideológica” no ambiente escolar.

Esse movimento parte do pressuposto de que um discurso pode ser neutro. Entretanto, é importante ressaltar que as pessoas assumem posições o tempo inteiro e, em tese, a escola é o espaço ideal para que os jovens possam se posicionar a partir do que é apresentado e desenvolver seus pensamentos a partir do que acreditam.

Nesse contexto, a partir do momento que o professor expressa suas convicções, deve ficar a critério do aluno concordar ou discordar do que foi exposto.

Autores e citações

Continua após a publicidade

Uma boa estratégia para tirar um proveito ainda maior do filme é atentar para os trechos que são lidos ao longo do enredo. Se alguma das poesias instigar a sua curiosidade vale a pena ir atrás do autor e de suas obras.

Uma sugestão é se aprofundar sobre um dos destaques do filme: Walt Whitman.

O poeta e ensaísta que nasceu nos Estados Unidos em 1819 tem diversos trechos de suas obras citados no longa, inclusive o “Oh Captain! My Captain” (Ó Capitão! Meu Capitão), que fala sobre a morte do ex-presidente americano, Abraham Lincoln.

Curiosamente, o autor teve forte influência sobre Álvaro de Campos, um dos heterônimos de Fernando Pessoa. Saiba mais aqui.

Carpe diem

Um dos textos de Whitman apresentados no filme, “Seize the day” (Aproveite o dia), também aborda a temática do carpe diem, expressão em latim popularmente traduzida como colha o dia ou aproveite o momento.

A ideia mostrada no filme é que não adianta o ser humano buscar ser feliz em um momento diferente do agora.

Nessa lógica, não seria produtivo alguém adotar uma postura saudosista, pois todo seu foco se voltaria para o passado. Quem se limitar a uma postura esperançosa também perderia momentos de felicidade por estar voltado apenas para o futuro.

A questão defendida é apreciar a beleza do presente e conseguir controlar os problemas por meio da dinâmica do “aqui e agora”.

Fique ligado!

A filosofia do carpe diem é muito utilizada no Arcadismo, em que a produção poética privilegia a simplicidade e o campo. Aqui, a existência é formada por instantes passageiros, e o tempo deve ser aproveitado para desfrutar a felicidade terrena.

Ficou na dúvida de como esse conteúdo poderia ser aplicado na sua redação? Vamos ajudá-lo nessa missão. É impossível prever qual será a proposta dos vestibulares. Entretanto, seja qual for o tema, se você estiver munido de diversos exemplos e relações relevantes na hora da prova terá um resultado melhor do que imagina.

No caso do filme “Sociedade dos Poetas Mortos”, é importante identificar os principais tópicos, como a questão da transgressão proporcionada pela arte, o papel do professor e a temática do Carpe Diem, por exemplo, e memorizar algumas cenas que exemplifiquem as situações.

Você não precisa assistir ao filme com um caderno fazendo várias anotações. O importante é entender o enredo como um todo e refletir sobre determinados acontecimentos que achar adequados. Se quiser, anote alguns tópicos e pesquise mais sobre os temas que achar mais pertinentes ou nos quais tiver alguma dificuldade.  

Selecionamos algumas propostas de redação de vestibulares de anos anteriores em que você poderia utilizar seus conhecimentos sobre o filme para desenvolver o tema, tanto em termos de relações estabelecidas quanto em exemplos.

Acafe 2017 – No Brasil, há necessidade de aprovar uma lei para criar e regulamentar o “Programa Escola sem Partido”?

Os textos apresentados pela proposta mostram um posicionamento contra e outro a favor do Programa Escola Sem Partido.

O filme “Sociedade dos Poetas Mortos” pode ajudar a refletir sobre o papel do professor na formação do aluno.

Seria possível, por exemplo, apontar como Keating deu as ferramentas para que os alunos pensassem por si, mas a maneira como cada um aplicou isso no seu cotidiano variou de acordo com as próprias vontades dos jovens. O debate e as individualidades foram colocadas em primeiro plano.

Puc Rio 2014 – Felicidade

Os ensinamentos de Keating são, em grande parte, guiados pelo ideal do Carpe Diem. Esse tema pode ser utilizado nesta proposta, que também aponta que o único jeito de ser feliz é viver o presente.

Embora muitos queiram se apegar ao passado ou focar no futuro, o texto da coletânea, assim como o Carpe Diem, preza pela apreciação do agora.

Enem 2006: O poder de transformação da leitura

“Uma vez que nos tornamos leitores da palavra, invariavelmente estaremos lendo o mundo sob a influência dela, tenhamos consciência disso ou não. A partir de então, mundo e palavra permearão constantemente nossa leitura e inevitáveis serão as correlações, de modo intertextual, simbiótico, entre realidade e ficção.”

Neste trecho apresentado pela proposta é possível notar relações com o filme.

O interesse dos alunos da Academia Walton pela poesia e pela literatura cresce aos poucos e é importante refletir sobre como isso mudou a forma de os jovens pensarem e enxergarem as próprias vidas e desejos.

Fatec 1998 – A arte de escolher uma profissão

Um dos problemas levantados pela proposta na hora da escolha profissional aponta para a interferência dos pais na decisão. Nesse contexto, vale o candidato utilizar o filme como um exemplo.

O personagem Neil descobre a paixão pela dramatização, mas seu pai não só é contra como impede que o jovem se envolva nessa carreira, o que desencadeia consequências trágicas no enredo.

Muitas vezes, a pressão dos pais sobre a escolha profissional dos filhos é grande e os jovens que cedem podem acabar se frustrando no futuro.

É possível também refletir como naquela sociedade, e ainda hoje, muitas carreiras, de maneira geral as mais “tradicionais”, são associadas como o único caminho para o sucesso profissional e financeiro.

Filme: Sociedade dos Poetas Mortos
Ano: 1989
Direção: Peter Weir

Continua após a publicidade
Publicidade