Assine Guia do Estudante ENEM por 15,90/mês
Continua após publicidade

O livro clássico que critica a busca desenfreada pela juventude

Livro de Oscar Wilde publicado em 1890 critica a busca desenfreada pela juventude, a adoração exacerbada da beleza e a hipocrisia da sociedade vitoriana

Por Ludimila Ferreira
11 jul 2024, 10h00

Eis um livro do século 19 que segue atual: “O Retrato de Dorian Gray”, de Oscar Wilde. A obra, que critica a obsessão pela beleza e juventude, sofreu censura na época em que foi publicado, já que um personagem era abertamente gay. Mais tarde, inclusive, o livro foi usado como argumento para condenar seu autor à prisão. O fato é que apesar de pautar as relações homoafetivas, o romance se concentra mesmo é na pressão estética que segue perseguindo a humanidade, desde os quadros pintados a óleo até hoje, com os filtros no Instagram e os inúmeros procedimentos estéticos.

Conheça a história de “O Retrato de Dorian Gray” e descubra qual a melhor edição para comprar no Brasil, sem a censura do período vitoriano.

+ Shakespeare terapeuta: livro ensina a superar dilemas a partir do dramaturgo

O retrato de Dorian Gray

O livro acompanha a amizade entre três homens: o pintor Basil Hallward, seu muso inspirador Dorian Gray, e Lorde Henry. A história tem início quando Basil finaliza o retrato de Dorian Gray. Em suas palavras, ele vê o jovem para além de um modelo. Dorian é alegre e de bem com a vida, porém muito vaidoso. Depois de uma conversa com Lorde Henry, amigo pessoal do pintor, acaba ficando obcecado por sua própria aparência.

Continua após a publicidade

Dorian Gray clama ao quadro que ele envelheça em seu lugar e seu desejo é atendido. Seu retrato começa a ficar com uma aparência grotesca enquanto o personagem leva uma vida dupla: por fora mantém uma bela aparência e exala virtude, enquanto por dentro e em suas ações se entrega aos prazeres de forma extrema.

O livro faz parte da literatura gótica, na qual há a presença de suspense e elementos do terror. Apesar de ser um clássico, é fácil de ler, com uma leitura fluida e envolvente.

+ “A Sociedade do Cansaço”: sobre o que fala o livro de Byung-Chul Han

Continua após a publicidade

Dorian Gray e a era dos procedimentos estéticos

A pressão estética e o culto ao corpo padrão não são fenômenos recentes, como mostra o próprio protagonista do livro. A beleza é usada na sociedade como uma forma de controle, principalmente sobre as mulheres – Naomi Wolf fala mais sobre isso em “O Mito da Beleza”.

De acordo com a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), o Brasil foi o segundo país que mais realizou procedimentos estéticos em 2022. Entre estes procedimentos estão a toxina botulínica, preenchedores de ácido hialurônico e bioestimuladores de colágeno, tratamentos para rejuvenescer a pele, principalmente a do rosto.

Assim como Dorian Gray se vê distorcido a partir do momento que seu retrato fica pronto, se dando conta de que jamais será tão jovem quanto na pintura, no mundo contemporâneo as pessoas são bombardeadas com filtros nas redes sociais e passam a também enxergar-se de maneira distorcida.

Continua após a publicidade

+ Tema de redação: a dismorfia do Instagram

Censura

Ao ser publicado pela primeira vez, o livro foi rechaçado por parte da sociedade da época. Uma das razões foi a crítica ao modo de vida da Era Vitoriana, mas a principal era por ter um personagem abertamente gay. Oscar Wilde foi obrigado a reescrever várias partes e republicar a história um ano depois.

Por isso, a melhor edição traduzida para quem deseja ler esta obra é a versão da Editora Biblioteca Azul. Nela, Nicholas Frankel, organizador e autor das introduções e das notas, reconstitui o romance a partir da sua primeira publicação, eliminando toda a censura que o livro sofreu até que chegasse ao público.

Continua após a publicidade

Oscar Wilde

Nascido na Irlanda em 16 de outubro de 1854, Wilde foi à Inglaterra para se matricular na Universidade de Oxford, onde formou-se com louvor em 1878. Equilibrava uma vida dupla: era casado com uma mulher e pai de dois filhos, ao mesmo tempo em que acumulava romances extraconjugais com outros homens – algo comum na época, já que ser homossexual era crime. Morreu de meningite em 30 de novembro de 1900, depois de ser rejeitado por seu amante mais duradouro, lorde Alfred Douglas.

+ Quem foi Oscar Wilde, escritor preso no século 19 por ser gay

Compre o livro na Amazon

O retrato de Dorian Gray

O retrato de Dorian Gray

Busca de Cursos

Continua após a publicidade
  • Páginas: 352
  • Autor: Oscar Wilde
  • Editora: Biblioteca Azul
  • Ano: 2013
  • Gênero: Ficção
  • Tradução: Jorio Dauster
  • Organizador: Nicholas Frankel
  • Classificação indicativa: +16

Entre no canal do GUIA no WhatsApp e receba conteúdos de estudo, redação e atualidades no seu celular!

Compartilhe essa matéria via:

 Prepare-se para o Enem sem sair de casa. Assine o Curso GUIA DO ESTUDANTE ENEM e tenha acesso a todas as provas do Enem para fazer online e mais de 180 videoaulas com professores do Poliedro, recordista de aprovação nas universidades mais concorridas do país.

Publicidade
O livro clássico que critica a busca desenfreada pela juventude
Repertório Cultural
O livro clássico que critica a busca desenfreada pela juventude
Livro de Oscar Wilde publicado em 1890 critica a busca desenfreada pela juventude, a adoração exacerbada da beleza e a hipocrisia da sociedade vitoriana

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se você já é assinante faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

MELHOR
OFERTA

Plano Anual
Plano Anual

Acesso ilimitado a todo conteúdo exclusivo do site

a partir de R$ 15,90/mês

Plano Mensal
Plano Mensal

R$ 19,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.