Assine com até 65% de desconto

Enem 2017 terá segurança reforçada contra ponto eletrônico

Novidade é implantada após operação do ano passado que desarticulou organizações que passavam o gabarito da prova através de escuta

Por redação Atualizado em 27 set 2017, 15h45 - Publicado em 27 set 2017, 15h43
Reprodução/Ministério da Educação/Divulgação

A edição 2017 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) contará com novos procedimentos de segurança, incluindo detectores de ponto eletrônico. A novidade é implantada após operação da Polícia Federal, no exame do ano passado, que desarticulou organizações criminosas que passavam o gabarito da prova através de escuta a estudantes.

O anúncio foi feito em evento em São Paulo nesta quarta-feira (27), que marcou o início da expedição das provas do Enem. O Ministério da Educação, o Ministério da Defesa e os Correios assinaram a ordem de serviço. No total, 13,5 milhões de provas serão distribuídas para todos os estados brasileiros, além do Distrito Federal. Após a autorização, o primeiro carregamento de provas saiu em direção aos pontos de armazenagem no interior do país.

Aprofunde-se nos temas!

Na plataforma do Curso Enem GE, você encontra videoaulas, textos e exercícios sobre esse e todos os outros temas importantes para o Enem e outros vestibulares. Conheça clicando aqui.

Segurança

O recurso que detectará ponto eletrônico é o aparelho Andre, um receptor avançado de detecção de campo próximo, capaz de detectar a emissão de sinais em radiofrequência de WiFi, Bluetooth, celulares e transmissões ilegais. O Enem já utiliza detectores de metais desde 2014, fazendo parte de uma estratégia de prevenção e repressão a fraudes adotada pelo Inep sob orientação da Polícia Federal.

Outro procedimento de segurança é o novo modelo do caderno de questões, que passará a ser personalizado, com nome e número de inscrição do candidato.

Mudanças no Enem

Atendimento especializado

Os candidatos com deficiência auditiva terão acesso a tradutores especializados na língua brasileira de sinais (libras) e, pela primeira vez, o acesso a vídeos das questões traduzidas e orientações necessárias para realização da prova. As provas destes participantes serão realizadas em salas adaptadas e separadas dos demais, com até seis participantes por sala e dois intérpretes – estes terão como função atender os candidatos em dúvidas que não interfiram nas respostas das questões.

Continua após a publicidade

Para os participantes com surdo-cegueira, haverá guia-intérprete, prova ampliada, prova superampliada, prova em braille, tradutor-intérprete de libras, leitura labial, ledor, transcritor e sala de fácil acesso.

Exame em dois domingos

O exame passará a ser aplicado em dois domingos seguidos (em 2017, as provas serão em 5 e 12 de novembro). Além disso, a ordem das provas será alterada: no primeiro domingo, dia 5, serão aplicadas as provas de Linguagens, Ciências Humanas e Redação, com 5h30 de duração; no segundo domingo, dia 12, serão aplicadas as provas de Matemática e Ciências da Natureza, com 4h30 de duração.

Certificação

O exame não servirá mais para certificar o ensino médio, função que voltará a ser do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). 

Resultado

O resultado individual da prova será publicado em 19 de janeiro.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade