logo-ge

MEC fará consulta pública sobre o Enem a partir de 2017

Pasta ressaltou alto gasto com abstenções no exame

O Ministério da Educação (MEC) divulgou, em entrevista coletiva neste domingo (4), que fará consultas públicas sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As consultas serão feitas a partir de 2017.

A presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Maria Ines Fini, ressaltou o alto gasto que a pasta teve com as abstenções no exame, que chegaram a 30,4%. “É dinheiro do povo”, disse Fini em relação aos R$ 236 milhões gastos pelo governo com os ausentes nas duas aplicações.

Segunda aplicação

O Enem foi reaplicado, neste fim de semana (3 e 4 de dezembro), para os estudantes que não puderam realizar o exame em 5 e 6 de novembro devido às ocupações estudantis nos locais de prova. Cerca de 277 mil estudantes foram afetados em todo o país.

As provas foram aplicadas em em 165 municípios e 418 locais de prova em todas as unidades da federação, menos em quatro estados: Roraima, Acre, Amazonas e Amapá. Do total de candidatos, a maior parte (98,52%) não pôde fazer o Enem regular por causa das ocupações em escolas, universidades e institutos federais durante o mês de novembro. Outros 4.103 (1,47%) foram afetados por contingências como a interrupção do fornecimento de energia elétrica em locais de aplicação.

Minas Gerais tem o maior universo de inscritos para a segunda aplicação: 72.302 pessoas. Outras unidades federativas que se destacam são Paraná (43.617), Bahia (37.927), Espírito Santo (23.486), Pernambuco (17.155) e Rio de Janeiro (16.451). No Acre, Amazonas, Amapá e Roraima não haverá segunda aplicação.