logo-ge

MPF denuncia seis estudantes em MT por fraude no Enem 2014

Os candidatos, que fizeram a prova na mesma cidade, obtiveram as mesmas notas em Matemática e Linguagens

O Ministério Público Federal (MPF) na cidade de Cárcere, Mato Grosso, denunciou seis pessoas por fraude no Enem de 2014. De acordo com o órgão, os estudantes, que fizeram a prova no município de Porto Esperidião, teriam tido acesso à informação sigilosa durante o exame. Alguns dos indícios de fraude são que as notas foram idênticas ou muito próximas em algumas áreas do conhecimento e que nenhum deles era morador da cidade — alguns vinham até de outros estados como Minas Gerais e São Paulo. 

Em Matemática, por exemplo, todos os seis obtiveram nota 930,2. Em Linguagens e Códigos as seis notas também foram idênticas. Além disso, os gabaritos foram analisados e o Ministério Público constatou uma similaridade de 77,2% entre os seis candidatos considerando os dois dias de prova, e uma similaridade de 98,8% quando analisado apenas o segundo dia de prova. 

O método de correção do Enem, conhecido como Teoria de Resposta ao Item, considera aspectos como nível de dificuldade das questões e coerência do estudante em suas respostas, o que torna as chances de notas iguais, em condições normais, praticamente nulas. Na edição de 2014, apenas 24 estudantes entre os 6,1 milhões de inscritos em todo o Brasil obtiveram notas iguais. Esse dado corrobora as evidências de que os seis estudantes de Porto Esperidião possam, realmente, ter fraudado o exame. 

Até o momento, um dos estudantes já chegou a confessar que recebeu uma proposta que prometia vantagens na prova mediante o pagamento de R$ 100 mil a R$ 180 mil, contanto que fizesse a prova naquele município. O MPF pede a condenação dos seis estudantes por fraude em processo seletivo para ingresso no ensino superior.