Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Como revisar Matemática para o Enem

Veja quais conteúdos você deve priorizar na etapa final de estudo

Por Ana Lourenço Atualizado em 6 nov 2017, 20h26 - Publicado em 6 nov 2017, 17h47

Equação matemática

O período mais importante do ano para muita gente está batendo à porta. Nos dias 5 e 12 de novembro, milhões de estudantes farão o Enem, que dá acesso a boa parte das universidades do país. Se você está preocupado com a quantidade de conteúdo que precisa revisar, separamos as recomendações de professores de alguns dos melhores colégios e cursinhos para você se preparar bem na reta final.

  • Veja, abaixo, nossas dicas para Matemática e suas Tecnologias, prova que será aplicada no dia 12 de novembro (domingo).

    Consultoria:
    Bruno Ramos, do Colégio Pitágoras Cidade Jardim
    Willian Bala, do Colégio Franciscano Pio XII
    Rodolfo Borges, do Colégio Oficina do Estudante

    Temas que mais caem
    Grandezas proporcionais e razão: Tudo que pode ser medido, como peso, altura, profundidade, velocidade ou tempo. Espera-se que o candidato saiba diferenciar grandezas diretamente proporcionais das inversamente proporcionais. Entender razão se faz necessário seja na transformação de escalas de mapa e unidades de medidas, seja em relação a valores de uma mesma grandeza.
    Estatística e porcentagem: Estude média, média ponderada, mediana, moda, variância, desvio padrão. Essas questões têm níveis de dificuldade baixa, facilitando assim a coerência de acertos. Já porcentagem pode estar presente em todos os assuntos, seja em volume, área, matemática financeira, ganhos, descontos, função. Busque aqueles que apresentam tabelas, gráficos e problemas.
    Geometria plana e espacial: Estude ponto, reta, plano, distâncias, ângulos, triângulos, quadriláteros, polígonos, perímetro, prismas, cilindros, cone, pirâmides, esferas, áreas e volumes. É imprescindível saber relacionar, interpretar esses elementos com as informações presente no texto ou gráficos ou desenhos 3D.
    Funções (1º e 2º graus): Pode ser cobrada de diversas maneiras e em diversos assuntos. O importante é saber traduzir um texto para a linguagem matemática (montar uma função f(x) e entender o papel da variável x em seu contexto).
    Análise combinatória e probabilidade: Consideradas, pelo professor Willian Bala, um diferencial no Enem. Normalmente são questões contextualizadas e que precisam de base no assunto (estude arranjo, permutação e combinação).

    Como são as questões

    Como toda a prova do Enem, a prova de matemática tem muita contextualização e textos longos. Para o professor Bruno Ramos, “é muita informação para o estudante ler, num momento em que esteja nervoso”, ao que recomenda ler primeiro a pergunta para depois passar ao texto, assim, saberá quais informações são mais relevantes.

    Continua após a publicidade

    Já o professor Willian Bala acrescenta que é preciso tomar cuidado com o tempo: “leia a questão atentamente, grife e circule as informações relevantes de forma que não seja necessário reler todo o texto várias vezes. O tempo corre e o vestibulando precisa de macetes para driblá-lo”, explica.

    Como estudar na reta final e apostas para o exame

    “Nos últimos anos, a prova vem ganhando um caráter mais conteudista, quando antes era muito mais voltada à interpretação”, explica o professor Rodolfo Borges. Questões com temas mais complexos, como logaritmo, vêm ganhando espaço. Mas o professor acrescenta que, mesmo assim, o caráter interpretativo ainda é dominante. Por isso, “a prova é muito diferente das outras. Ir bem na Unicamp ou na Fuvest não significa ir bem no Enem. O que eu sugiro é treinar muito com simulados e investir nos conteúdos que mais caem”, diz. Mas é preciso cuidado! “Como a prova modifica a cada ano, trabalhar em cima de anos distantes não é a melhor saída, mas as últimas provas permitem uma noção boa de como será a deste ano”, ressalta Bruno Ramos.

    Para estudar, recomenda-se usar fichas-resumo com definições e fórmulas de cada tópico. “Procure quatro exercícios de cada assunto, já utilizados em provas anteriores: um fácil, um difícil e dois com nível elevado para fazer com que você se sinta confortável e familiarizado com os temas”, aponta Willian Bala. Já na última semana, aposte apenas em revisão dos assuntos que já domina.

    Nas apostas para este ano, é improvável que haja alguma mudança muito radical no que vem sendo feito. Os temas mais recorrentes devem marcar presença novamente: geometria, proporção e estatística, com bastantes imagens, interpretação de funções e gráficos, porcentagens, análise combinatória e probabilidade.

    Continua após a publicidade
    Publicidade