Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

Tudo que você precisa saber sobre a redação do Enem – parte 2: Como formular o texto

Veja um roteiro de como se preparar para a prova e entender a sua nota

Por Ana Lourenço Atualizado em 16 Maio 2017, 13h55 - Publicado em 27 out 2014, 18h06

A redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é uma das partes mais importantes de todo o exame e deve ser um dos grandes focos de atenção dos seus estudos. Além das quatro provas de conhecimentos gerais, a redação é considerada a quinta prova, com nota individual.

De acordo com o professor Alexandre Linares, do Cursinho Henfil, a redação pode ser decisiva para subir a média das notas. "Com uma redação competente, você consegue fazer sua média subir, mesmo se você tiver dificuldade em qualquer uma das outras provas", explica.

Para que não haja dúvidas na hora da prova, o GUIA preparou um especial, dividido em três partes, com um roteiro de como se preparar para a prova, de como formular o seu texto e como acompanhar a correção.

>> Acesse aqui a parte 1: O que posso fazer antes da prova? + Temas que podem cair
>> Acesse aqui a parte 3: Como é feita a correção? Veja que erros devem ser evitados


Confira a segunda parte:

Na hora da prova, como posso formular o meu texto?

A redação do Enem exige o formato dissertação. Isso significa que se trata de um texto argumentativo, que pede que o autor desenvolva uma ideia, um problema ou um questionamento com uma consideração final que deve estar de acordo com os argumentos expostos. É importante, também, que o estudante saiba colocar ideias favoráveis e contrárias à sua própria opinião.

Continua após a publicidade

Já deu para perceber que, na dissertação, a argumentação é a chave. Além disso, é importante ter claro a estrutura do texto, que tem parâmetros bem definidos. Confira o esquema proposto pelas professoras Andrea Provasi Lanzara e Eva Nobre, do Cursinho Henfil:

As três partes da dissertação
Introdução: o aluno deve usá-la para marcar, de modo claro e objetivo, a tese
Desenvolvimento: usado para para fundamentar a tese através dos argumentos. Cada argumento deve ser desenvolvido e explicado em um parágrafo próprio. Lembrando também que não se deve trabalhar com apenas um argumento
Conclusão: encerra o texto. É onde o aluno deve concluir seu argumento e colocar a proposta ou solução para o problema exposto no tema

Por a redação ser uma prova que exige muita concentração, as professoras indicam que é importante que o candidato não a deixe para o final do exame. De acordo com elas, o ideal é que o aluno, ao receber a prova, leia a proposta imediatamente e grife as partes importantes da coletânea, anotando as palavras-chaves.

"Depois de ler a proposta, o estudante pode começar a prova objetiva para que possa ir amadurecendo ideias. Sempre que uma nova ideia surgir, o candidato deve voltar à proposta para anotá-la", explicam. De acordo com o professor Alexandre, às vezes o assunto da redação aparece "de algum jeito" na prova de Linguagens. "Muitas vezes, acontece de você ter alguma ideia sobre a redação com alguma questão que tenha relação com o tema", diz. Mas, mesmo que o candidato não inicie a prova pela redação, é vital que ele não deixe ultrapassar 60 minutos mínimos para a realização do texto, porque o tempo limitado pode ser prejudicial para a construção da dissertação.

Na leitura da coletânea, também é importante fazer algumas observações sobre como fazer uso apropriado dos textos. As imagens e trechos apresentados na prova funcionam apenas para que os candidatos possam ter uma ideia geral do tema e para que aproveitem as ideias contidas. É importante lembrar: os textos não podem ser copiados nem parafraseados. O candidato deve aproveitar apenas as ideias da coletânea – além das outras que ele tenha em seu repertório – para montar sua argumentação. "Se houver um gráfico, ele não deve ser reproduzido, mas sim interpretado, e da mesma forma se houver um quadrinho ou a reprodução de uma propaganda publicitária", ressaltam as professoras Eva e Andrea.

Depois dessa reflexão maior sobre o tema, é importante organizar suas ideias. Elabore uma lista com todas as ideias que você teve e as que foram apresentadas na coletânea e procure definir a sua tese, ou seja, o que você vai defender ao longo do texto. Uma vez definido o seu ponto de vista, elabore o argumento contrário que deverá ser apresentado ao longo do texto. O que não pode faltar, também, é a solução ou proposta para o problema exposto no tema, que normalmente é apresentada junto à conclusão do texto. Procure defini-la ao longo do esboço dos argumentos.

Um lembrete importante que deve ser feito é o de que há limite de linhas para a redação. Você pode escrever até 30 linhas, no máximo, e é importante que os parágrafos sejam bem distribuídos – nada de introdução com mais de 10 linhas! Com um espaço reduzido para escrever a redação, é necessário que você planeje bem quantas linhas cada parágrafo vai ter. O ideal é que haja um parágrafo de introdução, dois ou três de argumentação e um de conclusão. Faça um esquema do que cada parágrafo vai abordar durante o rascunho da redação.

Depois de pronto o texto, é hora de revisar e passar a limpo. Durante a revisão, cheque se há repetição de palavras, redundância nas frases e erros de gramática. Faça uma segunda análise dos argumentos e verifique se você colocou a proposta para o tema. Se estiver tudo pronto, é hora de passar o texto a limpo na folha da prova!

Continua após a publicidade
Publicidade