Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

10 fatos sobre a história do Brasil logo após a independência

Após a independência de Portugal, o Brasil enfrentou conflitos, mudanças econômicas e uma turbulenta passagem de reinado.

Por Natália Becattini Atualizado em 6 set 2021, 10h54 - Publicado em 6 set 2021, 10h00

Brasil Independente

A independência do Brasil foi muito mais do que o brado de D.Pedro I às margens do Ipiranga. Conheça 10 fatos sobre a história do Brasil logo após a emancipação de Portugal.

1 – Rio, a capital do Império

Rio, a capital do Império
Bandeira do Brasil Império Wikimedia Commons/Divulgação

A cidade que primeiro sentiu a Independência foi o Rio de Janeiro, capital do Império. Se os 13 anos que a corte portuguesa passou na cidade já tinham mexido com a cara do Rio, a Independência aprofundou essas mudanças. No Rio de Janeiro surgiram as primeiras estruturas de um país independente.  A cidade começou a contar também com os primeiros médicos formados no Brasil e com uma vida cultural diversificada. Aos poucos, a população aumentou.

2 – Moda

Moda
Moda no Brasil, após a independência. Wikimedia Commons/Divulgação

No resto do país também houve mudanças. Homens começaram a se vestir de forma diferente. O cavanhaque, por exemplo, se tornou comum, numa clara diferença da moda europeia. Até o jeito de pentear o cabelo mudou – os nacionalistas os penteavam de forma a deixar uma risca definida no meio da cabeça, a chamada estrada da liberdade.

3 – Guerras da Independência

Guerras da Independência
Independência ou Morte! (O Grito do Ipiranga). Mural pintado por Pedro Américo. Wikimedia Commons/Divulgação

Ao contrário do que muitos pensam, a Independência não foi pacífica. Somente Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais aceitaram de pronto as ordens de Dom Pedro. No resto da nação houve confronto: a guerra da Independência durou 21 meses e matou entre 2 e 3 mil pessoas.

4 – Opositores

Opositores
Opositores Wikimedia Commons/Divulgação

Em 1825, o governo tomou os bens de portugueses que ainda contestavam a Independência. Os opositores foram intimados a deixar o país.

5 – Economia

Economia
Cédula de um conto de reis com a imagem de Dom Pedro I. Wikimedia Commons/Divulgação

Tantos confrontos tiveram reflexo nas finanças do Brasil. Entre 1825 e 1828, a inflação dobrou. A dívida externa superava 1 bilhão de reais (em valores atualizados) e o governo teve que limitar investimentos.

Continua após a publicidade

6 – Constituição

Movimento pela independência
Dom Pedro I. Wikimedia Commons/Divulgação

Em 1824, o Brasil ganhou sua primeira constituição. Na época, a carta era considerada liberal. O Poder Moderador dava a Dom Pedro I a autoridade sobre os demais poderes, mas a constituição garantiu liberdade de culto e certa liberdade de imprensa.

7 – Indústria

Guerra da Cisplatina
Guerra da Cisplatina. Wikimedia Commons/Divulgação

No Sudeste, algumas indústrias ganharam fôlego como as fábricas de barcos, pólvora e tecidos. A produção de açúcar e a mineração perderam importância, enquanto o café o o gado ocuparam cada vez mais espaço na economia do Brasil.

8 – Abdicação de Dom Pedro I

Abdicação de Dom Pedro I
Derrota na Guerra da Cisplatina e abdicação de Dom Pedro I. Wikimedia Commons/Divulgação

A derrota na Guerra da Cisplatina, em 1828, afetou o prestígio de Dom Pedro I, que também enfrentava resistência política interna por seus vínculos com Portugal. Em abril de 1831, após uma crise causada pela dissolução do Ministério, Dom Pedro I abdicou.

9 – Dom Pedro II

Consequências
Dom Pedro II ainda criança. Wikimedia Commons/Divulgação

Na época, seu filho, Dom Pedro de Alcântara, tinha 5 anos. Ele só poderia assumir o cargo  quando atingisse idade mínima de 18 anos, exigida pela Constituição de 1824. O tutor dele foi um dos patronos da nação, José Bonifácio. Depois da saída de Pedro I, o Brasil mergulhou numa década de revoluções e turbulências.

10 – Golpe da Maioridade

Dom Pedro II
Dom Pedro II Wikimedia Commons/Divulgação

Em 23 de julho 1840, por meio de uma medida constitucional, Dom Pedro de Alcântara, com 14 anos e sete meses de idade, teve sua maioridade antecipada e foi coroado como Dom Pedro II assumindo o trono imperial do Brasil. A manobra, que colocou fim ao Período Regencial (1831-1840), ficou conhecida como Golpe da Maioridade e inaugurou o Segundo Reinado.

 

Continua após a publicidade
Publicidade