logo-ge

6 mulheres que revolucionaram a ciência

Elas fizeram experiências e descobertas que mudaram o rumo de suas áreas de atuação

Você sabia que a primeira pessoa a receber duas vezes um prêmio Nobel foi uma mulher? Sabe o nome da cientista que fez as pesquisas que futuramente embasariam a descoberta da estrutura do DNA? E quem fez o cálculo que permitiu que o homem orbitasse a Terra?

Selecionamos seis mulheres que fizeram a diferença em diversos setores, com descobertas, questionamentos e estudos.

Marie Curie (1867–1934)

 (Reprodução/Wikimedia Commons)

Considerada a mãe da Física Moderna, Marie Curie é mundialmente conhecida por sua pesquisa pioneira sobre a radioatividade. Ela também é a responsável pela descoberta dos elementos polônio e rádio e por conseguir isolar isótopos destes elementos. Foi a primeira mulher a ganhar um Nobel e a primeira pessoa a receber duas vezes o prêmio: a primeira vez em Química, em 1903, e a segunda em Física, em 1911.

Nise da Silveira (1905-1999)

 (Reprodução/Reprodução)

Nise da Silveira cursou Medicina na Faculdade de Medicina da Bahia, aos 21 anos, e se dedicou à psiquiatria. Ela ficou conhecida por ser contrária a métodos de tratamento comuns na sua época, como terapias agressivas de choque, confinamento e lobotomia. Além disso, ela foi a pioneira nas pesquisas das relações emocionais entre pacientes e animais.

Gertrude Belle Elion (1918-1999)

 (Reprodução/Reprodução)

Bioquímica e farmacologista, Gertrude era especialista no tratamento de doenças como leucemia e gota, usando métodos inovadores de pesquisa. Além disso, em parceria com mais dois pesquisadores, seu trabalho foi fundamental para o desenvolvimento de medicamentos contra a aids. Por esse feito, eles ganharam o Prêmio Nobel de Medicina em 1988.

Johanna Döbereiner (1924-2000)

 (Reprodução/Reprodução)

Johanna Döbereiner, indicada ao Nobel de Química em 1997, realizou uma série de pesquisas sobre fixação biológica do nitrogênio em leguminosas tropicais. Seu trabalho teve contribuição fundamental no programa brasileiro de melhoramento da soja, em 1964, revolucionando a agricultura do Brasil. 

Rosalind Franklin (1920–1958)

 (Reprodução/Wikimedia Commons)

Foi a partir do trabalho de Rosalind Franklin que Watson e Crick descobriram a estrutura do DNA – sim, isso quase nunca é mencionado. Com doutorado em Física e Química, e por dominar as técnicas de cristalografia de raios-X, ela conseguiu criar imagens de raios-X do DNA.

Katherine Johnson (1918-2020)

Após se formar na escola com apenas 14 anos, aos 18, Katherine conseguiu seu diploma em Matemática e Francês. Começou a trabalhar na Naca (Comitê Nacional para Aconselhamento sobre Aeronáutica), que se tornaria a Nasa, e foi a responsável pelo cálculo que possibilitou que o astronauta John Glenn orbitasse a Terra. 

Sua dedicação também foi essencial para calcular a trajetória de voo do Apolo 11, que levou homens à Lua pela primeira vez, em 1969. Sua história serviu de inspiração para o filme Estrelas Além do Tempo.