Clique e assine GE Play por R$16,90

Do interior do Ceará, uma professora inspiração na quarentena

O GUIA conta a história de uma professora que se reinventou nesta quarentena para homenagear a todos os professores em seu dia

Por Giulia Gianolla, Luccas Diaz - Atualizado em 15 out 2020, 20h03 - Publicado em 15 out 2020, 13h23

Durante a pandemia, alunos ao redor do Brasil sentiram a falta do ensino presencial. Por mais que algumas redes estaduais já estejam voltando gradualmente às aulas em sala, são no mínimo sete meses em que grande parte das escolas optou pelo modelo EAD. E, se manter o ritmo tem sido um desafio para os estudantes, quem teve que se reinventar mesmo foram os professores. 

Hoje, 15 de outubro, Dia dos professores, é dia de agradecer aos profissionais do ensino. Seja fazendo piada, trazendo aulas inovadoras ou simplesmente garantindo que os alunos conseguissem estudar, eles foram os grandes responsáveis para que a educação não parasse – quando tudo parou. Pensando nesse reconhecimento o GUIA pediu, nas redes sociais, histórias de professores que se destacaram no modelo online. E contamos aqui o esforço da professora Degilane Peixoto como um agradecimento a todos os educadores. Degilane dá aulas de Educação Física na escola estadual Liceu José Furtado de Macedo, na cidade de Jaguaribara, no Ceará, e foi apresentada ao GUIA pela aluna Natalina Oliveira. Aqui, ela conta como conseguiu superar a quarentena e conseguir continuar motivando os alunos.

O desafio do EAD

Como a maioria dos professores, no início Degilane sofreu bastante com o isolamento social e etve muita dificuldade para conseguir manter o interesse dos alunos. “Eu considero uma aula boa quando os alunos interagem comigo. Então foi muito difícil esse período de ensino remoto, porque muitos dos alunos nem ligavam a câmera, não falavam nada. Eu pensava: como vou dar essa disciplina assim?”, conta.

A professora orienta um treino de corrida com os alunos antes da quarentena
A professora Degilane orienta um treino de corrida com os alunos antes da quarentena Arquivo pessoal/Reprodução

Por ser uma disciplina que depende da atividade física dos alunos, surgiu com a quarentena mais um desafio: a vergonha. Se exercitar em frente a uma câmera tornou-se motivo de desconforto para alguns, o que dificultou ainda mais o trabalho da professora, que não podia mais acompanhar de fato a evolução dos estudantes. “Nessa faixa etária isso é comum. Nem todos gostam de mostrar o corpo, então, muitas vezes eu não exigia o vídeo por causa disso. Alguns até colocavam filtros para não ser possível ver direito o exercício.”

A solução

A alternativa, então, foi criar um canal no YouTube e um podcast, o Jogos Eletrônicos, onde ela compartilha, toda semana, conteúdos de apoio para as aulas. Assim, os estudantes podem acompanhar o material quando e onde quiserem, em frente às câmeras ou não. Sobre a ideia, Degilane conta: “Foi o método que encontrei, já que não ia ter a minha presença constante. O podcast surgiu a partir de uma dificuldade que percebi nos alunos de compreender os exercícios. Criei então esse auxílio, senti que havia essa necessidade de ouvir a minha voz, de me ver.”

No canal no YouTube, ela posta, além de instruções de exercícios físicos que os alunos podem fazer em casa, algumas aulas teóricas para embasar o conhecimento dos exercícios e do próprio corpo. O vídeo abaixo é apenas um exemplo da iniciativa da professora para manter o ritmo:

Continua após a publicidade

A resposta

O feedback dos alunos não poderia ter sido melhor. Uma aluna, Rayanne Leite, de 18 anos, conta: “Todo conteúdo que ela passa é sempre de uma maneira inovadora e prática, para que todos os alunos possam participar. Dá o gosto de aprender cada vez mais”. A Natalina, que entrou em contato com o GUIA, diz também que os vídeos ajudam muito a dar mais motivação: “Com os vídeos, é quase como se tivesse a presença dela, de tão bem feitos. Ela é uma profissional incrível e uma pessoa muito acolhedora. Escuta o aluno e nos faz escutar, de uma forma única e especial”.  O aluno Gustavo Brito, de 17 anos, também aprovou as inovações: “Isso gera muito um ambiente de conforto. Nos aproxima mais da sensação da sala de aula, que era gostosa demais”.

Tanto para a professora quanto para os alunos, o sentimento ainda é da saudade da sala de aula, das conversas e até das broncas. Mesmo assim, a professora de Educação Física mostrou que é possível se reinventar e achar uma saída criativa. Gustavo ressalta o sentimento de gratidão: “Só tenho a agradecer à professora pelo empenho, pelos esforços. Não tenho muito a falar, porque acho que qualquer coisa vai ser pouco perto do quanto esses profissionais estão trabalhando.”

O GUIA deseja a Degilane, que representa o esforço de todos os professores do país, um feliz Dia dos Professores. E deixa também o mais sincero agradecimento pela dedicação e pelo carinho, que transforma, todos os dias, a formação dos estudantes. E deixa um legado para a vida toda.

 

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por Guia do Estudante (@guiadoestudante) em 15 de Out, 2020 às 3:26 PDT

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade