Clique e assine GE Play por R$16,90

Fatos históricos que fazem aniversário redondo em 2019 podem cair no Enem

2019 foi um ano para celebrar as conquistas e rememorar tragédias da humanidade

Por Taís Ilhéu - Atualizado em 20 set 2019, 14h13 - Publicado em 19 set 2019, 20h00

Seja para comemorar ou simplesmente rememorar, 2019 foi um ano cheio de “datas especiais” para a história do Brasil e do mundo. Aniversário todo ano qualquer coisa faz. Mas uma data redonda é para ser lembrada com mais afinco. Em 2019, o mundo celebrou os 500 anos da morte de um dos maiores gênios da humanidade e os 50 anos do primeiro passo do homem em terreno lunar.

Esse tipo de comemoração, que chamamos de efeméride, costuma ser um prato cheio para os elaboradores dos grandes vestibulares e do Enem. Geralmente associadas às questões de História, as efemérides podem aparecer de forma interseccional com outras disciplinas por se configurarem como atualidades — ao longo do ano, elas são pautadas com frequência na mídia e podem, inclusive, mobilizar a sociedade para exposições, homenagens e manifestações. 

Com a ajuda do professor de História Frederico Blumenhagen, do Colégio Poliedro, elencamos algumas datas especiais de 2019 e reunimos dicas de como elas podem ser cobradas no Enem deste ano. 

O homem na Lua e a queda do Muro de Berlim

Em 20 de julho de 1969, o homem assistiu à primeira “alunissagem”: o astronauta americano Neil Armstrong foi a primeira pessoa a pisar na Lua. Três meses antes dele, o cosmonauta soviético Iuri Gagarin já tinha estado no espaço, mas a conquista lunar definitivamente foi dos americanos.

Por que importa tanto qual foi a primeira nação a atingir o feito? A missão que levou Armstrong ao satélite da Terra fazia parte do que ficou conhecida como Corrida Espacial, uma competição entre Estados Unidos e União Soviética para provar quem tinha mais tecnologia para conquistar o espaço. 

Outra corrida que marcou aqueles anos foi a armamentista: as duas potências desenvolveram armas nucleares que poderiam destruir países inteiros caso uma guerra fosse desencadeada. Em termos práticos não aconteceu nada, e por isso o embate entre as duas potências (representando o sistema capitalista e socialista) ficou conhecido como Guerra Fria. 

Foi também no contexto da Guerra Fria que o Muro de Berlim foi construído. Ele dividia as zonas de controle socialista e capitalista da cidade. O Muro foi destruído após 28 anos do início de sua construção, em 10 de novembro de 1989. Este ano, completam-se 30 anos da sua queda, considerada o símbolo do fim da Guerra Fria.

Continua após a publicidade

Segunda Guerra Mundial 

Falando em guerras, setembro de 2019 marca uma data importante para a humanidade: há 80 anos, o conflito mais devastador do século 20 (e da História) começou oficialmente. A Segunda Guerra Mundial colocou de um lado o Eixo (Alemanha, Itália e Japão) e de outro os Aliados (Reino Unido, França, União Soviética e Estados Unidos), além de dezenas de outros países que tomaram partido de um ou de outro grupo.

Durante os seis anos de guerra, a humanidade presenciou desastrosos acontecimentos históricos como o Holocausto e o lançamento das bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki. Qualquer um desses eventos pode ser tema de questões da prova. 

Tratado de Versalhes

Há 100 anos, o tratado de paz que colocava fim à Primeira Guerra Mundial (e que, de alguma forma, foi uma das causas da Segunda), foi assinado, em Paris, pelas nações que fizeram parte do conflito. Entre outros pontos, o tratado determinava que a Alemanha assumisse a culpa pela causa da guerra e impunha uma série de sanções ao país, como perda de territórios, indenizações e diminuição do exército. A partir do Tratado de Versalhes, a Alemanha enfrentou diversos problemas econômicos e a população se indignou, fatores que muitos historiadores associam à ascensão de Hitler e ao início da Segunda Guerra. 

Leonardo da Vinci

Muito mais do que o pintor de Mona Lisa, Leonardo Da Vinci foi um destacado cientista, matemático, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico da Itália do século 15. Como ele morreu em 1519, 2019 é o aniversário de 500 anos dessa data.

Na prova de História, a data pode ser cobrada no contexto do Renascimento Cultural. Características e as inovações da Renascença podem aparecer no exame. Embora os outros campos de atuação de Leonardo possam aparecer, o professor Blumenhagen acredita que Da Vinci tenha mais chances de figurar na área de arte, com questionamentos sobre suas técnicas e visão de mundo.

Ditadura no Brasil

Dois acontecimentos diretamente relacionados à Ditadura Militar brasileira (1964-1985) podem aparecer. O Golpe de 1964 completa 55 anos e a Lei da Anistia, assinada em 1979, completa 40. A lei concedeu anistia aos que cometeram crimes políticos e eleitorais no período da ditadura, bem como aos que tiveram seus direitos restritos pelos Atos Institucionais.

Ambos os eventos ganharam espaços na mídia e no debate público este ano, especialmente por conta de uma visão revisionista que questiona o caráter golpista do governo militar. Embora sejam efemérides em pauta e a Ditadura Militar seja um tema recorrentemente cobrado no Enem, o professor Blumenhagen enfatiza que a polêmica em torno dele, assim como as mudanças que vêm sendo anunciadas desde o ano passado no teor das questões do exame, não garantem que questões sobre o assunto vão aparecer. 

Outras datas importantes

Além desses aniversários históricos que estiveram mais em pauta nos últimos meses, algumas outras datas que marcam grandes eventos mundiais também podem aparecer no Enem. Blumenhagen destaca a Crise de 1929 (crash da bolsa de Nova York), a divisão da Alemanha em dois Estados (1949), a Revolução Chinesa (1949) e a Revolução Cubana (1959) – isso apenas para ficar com as datas redondas.

Continua após a publicidade
Publicidade