logo-ge

Filmes e livro mostram como a corrida espacial influenciou a Guerra Fria

Longa de Stanley Kubrick e narrativa do jornalista Tom Wolfe enfocam cotidiano de personagens envolvidos na disputa


Em 1975, os programas espaciais da União Soviética e dos Estados Unidos se juntaram na missão que recebeu os nomes das naves envolvidas: Apollo-Soyuz

da redação

A fragilidade da aliança entre os blocos comunista e capitalista confirmou-se após a derrota de Adolf Hitler (1889 – 1945) e o fim da Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945). Estava instaurada a Guerra Fria (1945 – 1989), que não foi um conflito com ataques e invasões, mas uma batalha ideológica, conduzida com troca de ameaças e difusão do terror entre os pólos opostos (identificados nos EUA e na extinta União das Repúblicas Socialistas Soviética).

O GUIA selecionou obras sobre a importância da corrida espacial durante a Guerra Fria: o livro e o filme Os Eleitos, que tratam da missão Mercury – primeiro programa espacial norte-americano, realizado na década de 1950 – e o filme 2001: Uma Odisséia no Espaço, lançado em 1968 pelo diretor Stanley Kubrick e que antecipou a chegada do homem à Lua.

Vale lembrar que os soviéticos deram o primeiro passo na corrida espacial: em 1957, instalaram em órbita o primeiro satélite artificial (o Sputnik) e enviaram a cadela Laika ao espaço a bordo do Sputnik II. Em 1961, a URSS divulgou o envio do primeiro homem ao espaço: o russo Yuri Gagarin (foto à esquerda). Somente em 1968, os Estados Unidos avançaram na aproximação da Lua, enviando a nave tripulada Apollo 8 à órbita lunar. Na sequência, a bem sucedida missão Apollo 11, levou o homem a pisar na Lua em 20 de julho de 1969.

SAIBA MAIS: Gagarin, o extraterrestre (SUPERINTERESSANTE)

FILME: 2001: UMA ODISSÉIA NO ESPAÇO (EUA, 1968)
Inspirado na obra do escritor Arthur C. Clarke, este clássico da ficção científica aborda a corrida espacial desde a pré-história, quando um misterioso monolito emitiu sinais de outra civilização na Terra. Milhões de anos se passam até o século 21, quando astronautas partem em expedição para investigar o objeto misterioso e têm problemas com o computador central da nave em que viajam.

Uma odisseia no espaço influenciou o imaginário de muitas gerações e se tornou uma das obras mais influentes do cinema. Seu diretor, Stanley Kubrick (o mesmo de Spartacus, Dr. Fantástico e Laranja Mecânica), conferiu à produção a possibilidade de ser interpretada como a saga da humanidade sem fronteiras.

SAIBA MAIS: As guerras de Kubrick (AVENTURAS NA HISTÓRIA)

LIVRO: OS ELEITOS (The Right Stuff, 389 páginas, 1979)
Reportagem em linguagem literária, aprofunda o viés humano da corrida espacial. Se passa na segunda metade da década de 1950 e enfoca o período em que o então recém-eleito presidente dos Estados Unidos, John Kennedy (1917 – 1963), procurava um herói para cumprir a promessa fazer um americano pisar na Lua.

A narrativa destaca a jornada do desconhecido Chuck Yeager, primeiro piloto a ultrapassar a barreira do som a bordo de um avião militar e que deu grande passo para a conquista lunar. Também são enfocados os sete pilotos designados para a missão Mercury, primeiro programa espacial tripulado dos Estados Unidos.

Tom Wolfe, autor do livro, é um dos precursores do “novo jornalismo”, gênero que associou elementos literários aos da reportagem e ficou conhecido também com autores como Gay Talese, Norman Mailer (1923 – 2007) e Truman Capote (1924 – 1984).

SAIBA MAIS: A morte de John Kennedy (AVENTURAS NA HISTÓRIA)

FILME: OS ELEITOS (EUA, 1983)
Com Sam Shepard, Ed Harris, Dennis Quaid e Scott Glenn. Foi indicado ao Oscar de 1983 em oito categorias. Baseado no livro de Tom Wolfe,foi dirigido por Philip Kaufman e mostra os conflitos vividos pelos homens que foram ao espaço antes que o comandante da Apolo 11, Neil Armstrong, pisasse na Lua, em 1969. Na foto, a equipe de Apollo 11, da esquerda para direita: Neil Armstrong, Michael Collins e Buzz Aldrin.

SAIBA MAIS: A nova corrida espacial (SUPERINTERESSANTE)

FÓRUM

– Quais filmes ajudam a estudar para o vestibular?

LEIA TAMBÉM

– Formas alternativas de estudar para os exames

– Notícias sobre vestibular