logo-ge

HQ conta a história do nascimento do Império Chinês

Além de A Arte da Guerra, aprenda sobre a história da China com uma HQ e dois filmes

 

da redação

O assunto pode ser política, economia, cultura ou esporte, mas a China sempre está no centro do debate nos últimos anos. País com relevância crescente no cenário mundial, o a China chama a atenção pelos excelentes resultados econômicos nas últimas décadas, pela falta de liberdade de expressão, com restrições na internet, ou pela primeira colocação nos Jogos Olímpicos de 2008, desbancando os Estados Unidos.

Selecionamos um lançamento de HQ e mais três obras (sendo dois filmes) para você se aventurar pela história deste país milenar.

 

 

QUADRINHOS


A Arte da Guerra – O Nascimento do Império Chinês (Volume 1)

Antes de se tornar o país que é hoje, a China era uma terra dividida em diversos reinos. Mas Qin Shi Huang conseguiu unificar o território fragmentado após uma série de guerras, tornando-se o primeiro imperador do país e dando início à dinastia Qin.

Após sua morte, vários levantes por parte de reinos outrora subjugados dividem novamente o país, começando uma intensa disputa entre os reinos de Chu e Han pela supremacia do território.

Essa é a história contada em A Arte da Guerra – O Nascimento do Império Chinês. A história é dividida em oito volumes e o primeiro acabou de ser lançado no Brasil. O autor, Ko Woo-Young, que morreu em 2005, nasceu na China, mas morou a vida toda na Coreia e logo se tornou o principal quadrinista de seu país.

A Arte da Guerra – O nascimento do Império Chinês (Volume 1)
Ko Woo-Young
Editora Conrad
208 páginas, R$ 29.90

 

 

Shenzhen – Uma viagem à China

Esta HQ em primeira pessoa narra as aventuras do desenhista canadense Guy Delisle, que passou três meses na cidade de Shenzhen, quarta maior aglomeração urbana da China, para supervisionar o trabalho em um estúdio de animação.

 

Guy, que começou a desenhar durante a viagem e depois decidiu transformar tudo em quadrinhos, estranha os diferentes costumes locais e conta suas aventuras numa cidade caótica, cheia de bicicletas, arranha-céus em construção e peculiaridades criadas pela presença múltipla de conservadorismo e cerceamento do estado chinês e das marcas ocidentais.

O problema da comunicação também é retratado na história, em que uma simples ida ao banheiro ou a um restaurante se transformam em verdadeiras epopeias – tudo devido à diferença linguística.

Shenzhen – Uma viagem à China
Guy Delisle
Zarabatana Books
160 páginas, R$ 32

 

 

FILMES

Em Busca da Vida

O filme é de 2006 e foi produzido por Jia Zhang-Ke, da nova geração do cinema chinês. Ele mostra um pouco do que se esconde por trás da fachada de prosperidade chinesa, revelando contradições entre a modernidade e o avanço econômico do país e a situação dos milhões que ainda vivem na miséria.

O filme também acompanha a trajetória do minerador Han, que procura a esposa e o filho que não vê há anos, e da enfermeira Shen Hong, que busca o marido que foi embora sem deixar aviso. Ambos vão atrás de seus familiares em Fengjie, mas lá descobrem que a cidade sumiu, inundada com a construção da represa Três Gargantas, no Rio Yangtze.

A busca de identidade e passado das personagens se relaciona com a ruptura e os embates entre o passado e o presente da China, essencial para compreender mais a fundo as atuais transformações no país.


Em Busca da Vida (Sanxia Haoren, no original)
Direção: Jia Zhang-Ke
2006

 

 

O Último Imperador

Dirigida pelo italiano Bernardo Bertolucci, a produção venceu o Oscar de melhor filme de 1988. Trata-se da história de Aisin-Gioro Puyi, o último a governar a China imperial.

Coroado com apenas dois anos de idade, ele fica no poder até a proclamação da república, quando o depõem. Adolescente, terá que se adaptar à vida no novo regime e ainda ter que ver a vitória da revolução comunista e a tomada da Manchúria pelos japoneses.

O filme retrata fatos marcantes do começo do século 20 na China, como o imperialismo japonês e o choque entre comunistas e nacionalistas, que, com a revolução de 1949, recuaram para o arquipélago de Taiwan, formando um novo país, considerado até hoje uma “província rebelde” pela China continental.

O Último Imperador (The Last Emperor, no original)
Direção: Bernardo Bertolucci
1987