Clique e Assine a partir de R$ 20,90/mês

“Medianeras”: saiba como utilizar o filme no vestibular

Explore o enredo e enriqueça seu repertório

Por Julia Di Spagna Atualizado em 29 abr 2019, 17h26 - Publicado em 24 out 2018, 16h39

A ideia desta série de matérias é permitir que você consiga desenvolver um repertório mais amplo e um pensamento crítico mais aguçado com base nas diversas camadas que a sétima arte pode apresentar. As análises dos filmes que faremos aqui buscam mostrar certas relações entre o enredo e temas contemporâneos que podem ser abordados na redação e em outras questões do Enem e dos principais vestibulares do Brasil.

A história do filme argentino “Medianeras – Buenos Aires na Era do Amor Virtual” é narrada por dois personagens que tentam enfrentar a solidão e outras consequências e dilemas da cultura virtual e da arquitetura de um grande centro urbano.

Martin e Mariana vivem sozinhos em seus apartamentos em Buenos Aires, frequentam os mesmos lugares, moram muito perto um do outro, mas não se conhecem. 

Martin sofre com fobias e está em processo de recuperação. Ele trabalha como web designer e, aos poucos, consegue sair do isolamento de seu apartamento e de sua realidade virtual. Desde que sua ex-namorada o deixou para morar nos Estados Unidos nunca mais teve um relacionamento sério e o isolamento se tornou rotina. Quase não sai e passa grande parte do tempo no computador. É apenas por meio da internet, inclusive, que conhece Mariana.

Ela é uma arquiteta que trabalha como vitrinista e está voltando a morar sozinha após o término de um relacionamento de quatro anos. Além disso, vive uma verdadeira bagunça em sua mente, que é refletida no estado de seu apartamento.

Ambos utilizam a internet como uma forma de refúgio.

O título do longa, “Medianeras”, é o nome dado às paredes sem janelas de prédios. Na Argentina, a construção de janelas em medianeras é proibido por lei, entretanto, assim como os personagens, muitos descumprem a ordem, buscando mais claridade em seus apartamentos.

Ao longo do enredo, os protagonistas refletem sobre o crescimento urbano desordenado e seus efeitos na vida dos habitantes de grandes metrópoles. Suas narrativas como pano de fundo levantam diversas questões existenciais e dilemas da sociedade contemporânea.

É possível explorar o filme “Medianeras” a partir de diversos aspectos. Conversamos com Flávia Consolato, professora de redação do Anglo, para estabelecermos os principais e qual a melhor forma de aplicá-los na hora da prova.

Centros urbanos

As relações superficiais e até mesmo a falta de interação entre os habitantes de Buenos Aires no filme são retratadas como uma característica presente nos grandes centros urbanos.

Logo no começo do enredo é estabelecida uma relação entre as pessoas e a cidade. A vida das personagens, na verdade, se torna um grande reflexo do ambiente em que estão inseridas. 

O longa tenta relacionar a arquitetura, a modernidade, o crescimento desordenado de uma cidade (no caso, a capital argentina) e as consequências desses fatores em seus habitantes.

De certa forma, é como se a cidade também fosse um personagem, com toda sua arquitetura caótica interferindo diretamente na história. 

Solidão e isolamento social

Tanto os protagonistas, Martin e Mariana, quanto os coadjuvantes são retratados como pessoas solitárias. Eles passam grande parte do tempo isolados do resto do mundo em seus apartamentos e sofrem com isso.

Além disso, existe uma espécie de “solidão urbana”, na qual mesmo rodeadas de desconhecidos, as pessoas se sentem sozinhas.

Os pequenos apartamentos, comparados a caixas de sapato no longa, e planejados para serem habitados por pessoas sozinhas são também reflexo e sintoma de toda essa solidão.

Relacionamentos amorosos no mundo virtual

Como abordado pelo sociólogo Zygmunt Bauman em sua obra “Amor Líquido”, os relacionamentos amorosos virtuais seriam uma saída para a solidão e um escudo contra as desilusões dos relacionamentos reais.

A  presença marcante das tecnologias de comunicação na vida das pessoas e uma de suas possíveis consequências é sintetizada em uma fala de Martin: “A internet me aproximou do mundo, mas me afastou da vida”.

Apesar do personagem passar o dia conectado, cercado de tarefas, informações, sabendo o que se passa no mundo, a realidade do lado de fora da tela acabou ficando de lado.

Em uma das cenas, inclusive, ele expressa sua insatisfação e decepção com os encontros combinados com pessoas que conheceu por meio da internet. “Concluí que esses encontros são como combos do McDonald’s. Nas fotos tudo é melhor, maior e mais apetitoso. Cada vez que vou a um encontro sofro a mesma decepção que frente a um Big Mac”, afirma. Essa reação é o reflexo de uma sociedade cujos indivíduos são muito mais bonitos e interessantes nas redes sociais do que pessoalmente, de acordo com a visão do filme.

Transtornos psíquicos

A sociedade moderna é muitas vezes associada ao estresse da rotina e o vazio das relações. Transtornos psíquicos, como fobias, ansiedade e depressão, fazem parte da vida dos personagens e possuem um alto grau de incidência na modernidade.

Amor

O filme apresenta diferentes desilusões amorosas e seus impactos no comportamento das pessoas. Ambos personagens centrais encaram o fim de relacionamentos e sofrem com isso.

Continua após a publicidade

Nesse contexto, a busca pelo amor por parte de Martin e Mariana se tornou uma forma de sobreviver a esse ambiente hostil e alcançar a felicidade.

Ficou na dúvida de como esse conteúdo poderia ser aplicado na sua redação? Vamos ajudá-lo nessa missão. 

É impossível prever qual será a proposta dos vestibulares. Entretanto, seja qual for o tema, se você estiver munido de diversos exemplos e relações relevantes na hora da prova terá um resultado melhor do que imagina.

No caso do filme “Medianeras”, é importante identificar os principais tópicos, como a questão do isolamento, da solidão e dos relacionamentos amorosos no mundo virtual, por exemplo, e memorizar algumas cenas que exemplifiquem as situações.

Você não precisa assistir ao filme com um caderno fazendo várias anotações. O importante é entender o enredo como um todo e refletir sobre determinados acontecimentos que achar adequados. Se quiser, anote alguns tópicos e pesquise mais sobre os temas que achar mais pertinentes ou nos quais tiver alguma dificuldade.  

Selecionamos algumas propostas de redação de vestibulares de anos anteriores em que você poderia utilizar seus conhecimentos sobre o filme para desenvolver o tema, tanto em termos de relações estabelecidas, quanto em exemplos.

FGV 2018 – As sociedades contemporâneas e a solidão  

A coletânea trata da decisão de se criar um “Ministério da solidão” no Reino Unido e dessa “triste realidade da vida moderna”, como denominou a primeira ministra britânica, Theresa May. Além disso, levanta a questão: “o que a recente criação de um “Ministério da Solidão” revelaria sobre as necessidades de nossa época?”

Longe de ser um problema só dos britânicos, a solidão afeta muitas pessoas em todo o mundo e é extremamente explorada no filme. 

Um dos textos apresenta o seguinte trecho: “a instituição descreve a solidão como uma ‘epidemia oculta’, afetando pessoas de todas as idades e em todos os momentos de suas vidas, como durante a aposentadoria, na morte do parceiro ou na separação”.

Aqui, o estudante poderia utilizar de exemplo o caso do término dos personagens e a maneira como isso afetou a sociabilidade deles.

Outro trecho ressalta: “Os médicos alertam que o isolamento social é uma epidemia crescente que pode ter consequências físicas, mentais e emocionais.” 

Os dois personagens sofrem de fobias. Martin teve síndrome do pânico, não usa transportes coletivos e Mariana tem claustrofobia, por isso não usa elevadores. Portanto, vale refletir sobre esses casos da ficção para entender como isso ocorre na sociedade moderna.

Unifesp 2018 – As redes sociais estreitam os laços ou tornam as pessoas egoístas?

“Uma característica das redes sociais é, por mais contraditório que pareça, a implantação do isolamento como padrão para as relações humanas. Ao participar das redes sociais acreditamos ter muitos amigos à nossa volta, ser populares, estar ligados a todos os acontecimentos e participando efetivamente de tudo. Isso é uma verdade, mas também uma ilusão, porque essas conexões são superficiais e instáveis.”

A partir deste trecho apresentado na coletânea, o estudante poderia refletir sobre a breve e significativa conversa dos personagens pela internet, ao mesmo tempo em que não se notam pelas ruas. 

Principalmente no caso de Martin, uma vida virtual agitada não implicava em uma vida social ativa.

UERJ 2011 – Empobrecimento das formas atuais de comunicação entre as pessoas 

“Mensagens de texto. Uma nova linguagem adaptada para dez teclas que reduz nossas línguas mais belas a um vocabulário primitivo, limitado e sem cultura”. 

A afirmação retirada de “Medianeras” se relaciona perfeitamente com esta proposta que discute a eficácia dos 140 caracteres do Twitter para a comunicação.

O estudante poderia tanto concordar com esses pontos quanto questioná-los. No filme, os diálogos estabelecidos entre os diversos personagens pessoalmente é superficial, enquanto a conversa mais significativa se estabelece por uma rede social.

Unifesp 2005 – O amor e a busca pela felicidade: prós e contras 

Esta proposta apresenta uma série de textos que poderiam ajudar o estudante na construção de uma linha argumentativa sobre o tema. 

Além da associação direta com o subtítulo do filme, há na proposta vários outros pontos, como as frustrações de Mariana e Martin e sua busca por realização amorosa, ou sobre as novas formas de relacionamento estabelecidas no ambiente virtual (questão levantada pela coletânea), que poderiam ser exploradas pelos vestibulandos para analisar o tema. 

Filme: Medianeras
Ano: 2011
Direção: Gustavo Taretto

  • Continua após a publicidade
    Publicidade