logo-ge

Mostra de cinema árabe é dica para final de semana

21017012_20130702130812363
Primeiro filme palestino indicado ao Oscar de Melhor filme estrangeiro, “Omar” é um dos destaques do festival. 

Mais um festival de cinema pode ajudar o vestibulando a entender melhor o conflito na Palestina, além de conhecer aspectos culturais e sociais dos países árabes. Organizada pelo Instituto da Cultura Árabe (ICArabe), a 9ª Mostra Mundo Árabe de Cinema começou na última quarta-feira (13) e conta com uma programação que inclui 26 filmes, entre documentários, curtas e animação.
Ela ficará em cartaz até o dia 16 de setembro, em cinco locais de São Paulo:

De 13 a 20 de agosto: Cinesesc
De 22 a 25 de agosto: Memorial da América Latina
De 27 de agosto a 14 de setembro: CCCB-SP
Dias 2 e 9 de setembro: Auditório da Biblioteca Mário de Andrade
De 9 a 16 de setembro: Centro Cultural São Paulo

Veja a programação deste fim de semana, no Cinesesc (Rua Augusta, 2075, Cerqueira César):

Sábado (16)

19h – A Contadora de Histórias (6 min)/Adiós, Carmen (103 min)

“A Contadora de Histórias” é baseado num conto folclórico palestino e narra a história de uma menina que conquistou o coração de um príncipe – mas não por sua beleza, e sim por ser a melhor contadora de histórias do reino.

“Adiós, Carmen” conta a história de Amar, um menino de 10 anos que vive em uma vila no norte do Marrocos nos anos 1970 com o violento tio, esperando pelo improvável retorno de sua mãe, uma viúva que partiu para a Bélgica em um novo casamento. O menino começa uma amizade com sua vizinha Carmen, uma exilada política espanhola que trabalha como caixa em um cinema do vilarejo. Carmen o ajuda a descobrir o mundo do cinema, até então desconhecido para ele.

21h – Rock The Casbah (100 min)

O filme é um drama familiar ambientado na cidade de Tanger, no Marrocos. Com a morte do patriarca (Omar Sharif), as três filhas e a viúva se reúnem durante três dias de luto. Fortes fluxos afetivos são desencadeados quando a filha mais nova, Sofia, que trabalha como atriz nos Estados Unidos e começou uma nova vida longe de sua família, chega de Nova York. Com a ruptura causada pela ausência da figura do pai, as mulheres da família são obrigadas a lidar com verdades dolorosas e segredos do passado. Inédito no Brasil.

Domingo (17)

19h – Escada para Damasco (95 min)
Ghalia, uma jovem aspirante a atriz, se muda para um prédio em Damasco onde outros jovens estudantes vivem dias de expectativa com as manifestações e a guerra que se aproxima. Ghalia acredita ser assombrada pelo espírito de outra garota e essa dualidade encanta um jovem cineasta, Fouad. Logo os tumultuados eventos que ocorrem nas ruas da capital síria começam a interferir na atmosfera do romance.

21h – Cavalos de Deus (115 min)
Retrato ficcional dos terroristas por trás dos ataques em Casablanca em 2003, o filme conta a história de vários garotos na comunidade pobre e violenta de Sidi Moumen, no subúrbio da cidade marroquina. Um deles é Yachine, 10 anos, que vive com os pais e dois irmãos. Quando um dos irmãos, Hamid, de 13 anos, envolve-se em um crime, vai preso e conhece o fundamentalismo islâmico. Enquanto isso, Yachine arruma diversos empregos na tentativa de livrar-se de uma realidade marcada por violência, drogas e miséria.

Debates

A questão palestina estará presente tanto em uma seleção específica de filmes quanto em debates. No dia 13 de setembro, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), o tema será “O campo como condição: o lugar dos refugiados na politica contemporânea”. A mesa vai dialogar com os filmes “Shebabs de Yarmouk” e “Um mundo que não é nosso”, que retratam campos de refugiados palestinos na Síria e no Líbano. No dia 16 de setembro, o debate será no Centro Cultural São Paulo (CCSP) e terá o tema “Cinema e a Questão Palestina”, explorando o papel do cinema na compreensão das relações de pertencimentos, territorialidades e resistências na Palestina.

Veja endereços, programação e sinopse de todos os filmes participantes no site do festival.