Clique e Assine o Passei! a partir de R$ 9,90/mês

Vestibular: como a covid-19 pode aparecer no segundo ano pandêmico

A expectativa dos professores é que a pandemia seja explorada nas diversas áreas do conhecimento. Saiba alguns assuntos que podem ser cobrados

Por Juliana Morales Atualizado em 22 out 2021, 10h35 - Publicado em 22 out 2021, 10h25

Em 2021, a máscara e o álcool em gel continuarão sendo companheiros dos estudantes em dia de vestibular. A covid-19, infelizmente, ainda é a realidade dos jovens brasileiros – e deve ser tema, mais uma vez, de questões de provas. Joana Cabral, autora de Biologia do Sistema pH, aposta que a pandemia será assunto recorrente em praticamente todos exames, inclusive no Enem 2021.

O orientador educacional e professor de História da Oficina do Estudante de Campinas, Alfredo Terra Neto, acredita que questões relacionadas à crise sanitária devem estar presentes em um número até maior de vestibulares em relação ao ano passado. “As informações e estudos sobre a temática estão bem mais avançadas em 2021 e, portanto, a qualidade do que se tem hoje em termos de pesquisa e informação é muito melhor”, explica. Neto destaca que a pandemia pode ser explorada em todas as áreas do conhecimento.

Experiência anterior

Conforme o esperado, a covid-19 apareceu na maioria dos vestibulares do ano passado, de diferentes formas. A grande exceção foi o Enem, que deixou de mencionar temas relacionado diretamente com a pandemia em suas provas. Entretanto, trouxe aspectos que, de certa forma, dialogam com a atual crise sanitária, como as vacinas.

Foi o caso de uma questão do Enem 2020 sobre a Revolta da Vacina, especificamente sobre atitudes de resistência da população quanto ao fato da vacinação ser obrigatória. Já na versão digital do exame, apareceu um questionamento sobre a metodologia utilizada na produção de vacinas para Hepatite B.

Joana relembra que os vestibulares de 2020 abordaram aspectos da estrutura do vírus, como o a presença de envelope e tipo de material genético, associando a questões práticas da pandemia como a necessidade de higienizar as mãos com sabão e as mutações sofridas pelo vírus.

Na sua segunda fase, a Unicamp, por exemplo, cobrou a temática da pandemia dentro da prova de Biologia, exigindo que o aluno soubesse o significado de pandemia e sobre a replicação do Sars-Cov2. “Já a Fuvest 2021 trouxe uma análise mais fisiológica relacionando a inflamação pulmonar provocada pelo vírus ao processo de trocas gasosas e à oxigenação do sangue”, conta a especialista.

Um bom exercício para o estudante nessa reta final é pegar as provas do ano passado e resolver as questões, prestando atenção como os vestibulares trouxeram a temática da covid nas avaliações.

+ Fuvest 2022: confira os assuntos que mais aparecem na prova

O que pode cair nesse ano

Segundo Joana, nesse ano também há grandes chances de aparecer questões relacionadas à estrutura e replicação dos vírus, além de mutações e evolução. Outro assunto possível de ser abordado na parte de biológicas é a biotecnologia. “Em relação à doença, esperamos mais questões relacionadas à forma de transmissão e  sobre medidas de profilaxia”, diz.

“Agora, quando o assunto é vacina, o estudante deve focar no mecanismo de imunização, memória imunológica, a necessidade da segunda dose de algumas vacinas, a questão da imunidade de grupo como forma de redução da pandemia”, completa a professora.

Continua após a publicidade

De acordo com Neto, em Geografia podem ser explorados dados demográficos da pandemia, enquanto em História o gancho pode ser feito com outras pandemias e epidemias que ocorreram no passado. Em Matemática e Física, é possível cobrar a interpretação gráfica e contas sobre a aceleração e a desaceleração da pandemia.

“As possibilidades são infinitas. O importante agora é fazer uma boa revisão e ficar atento nos assuntos clássicos que são cobrados no vestibular, pois a temática da pandemia estará vinculada a eles”, aconselha Neto.

+ O que mais cai no Enem em cada disciplina

Na redação

Como explica a coordenadora de redação do Curso Poliedro, Fabíola Neubrn, mesmo que o tema da redação não seja, diretamente, sobre a pandemia, é sempre possível ler em uma perspectiva pandêmica. “A crise sanitária decorrente da covid-19 potencializou muitas coisas. Se a democratização do acesso à internet era urgente, no contexto da pandemia é mais ainda, por exemplo”, diz.

Um dos recortes possíveis sobre a pandemia, segundo Fabíola, é tratar “o altruísmo contido no ato de se vacinar”. “As propostas de redação podem discutir a vacinação não apenas como uma questão individual, mas sim coletiva. Provavelmente o Enem não vá por esse caminho, mas é possível que a Fuvest pense em algo assim”, afirma.

No caso das provas de Medicina, como Faculdade Santa Casa, da Unifesp, e da Faculdade Albert Einstein, também podem aparecer os temas médicos. “Uma possibilidade é refletir sobre a figura do médico. Ela está muito dual: uma hora ele é visto como herói, e tem o reconhecimento pelo trabalho árduo na pandemia. Em outro momento, aparece como vilão, que se posiciona politicamente e faz a receita de um medicamento sem comprovação”, analisa Fabíola.

Nessa outra reportagem, separamos 12 assuntos ligados à covid-19 que podem ser tema de redação de vestibular

Assine o Curso PASSEI! do GUIA DO ESTUDANTE e tenha acesso a todas as provas do Enem para fazer online e mais de 180 videoaulas com professores do Poliedro, recordista de aprovação nas universidades mais concorridas do país.

 

Continua após a publicidade

Publicidade