logo-ge

“Estou pensando em começar o quinto curso e não terminei nenhum ainda”

Orientador profissional esclarece

Olá, gostaria de saber o que realmente acontece comigo. Quando tinha 17 anos comecei no curso de gastronomia que na época eu amava e larguei no 3°semestre, depois comecei o curso de Fisioterapia e larguei no 1° semestre, depois comecei o curso de Educação Física e quando passei para o 4° semestre tranquei novamente. Vim morar em São Paulo, comecei novamente do zero o curso de Gastronomia e tranquei ao final do 1° semestre, agora estou com o desejo de começar o curso de Odontologia, mas ainda estou indecisa, meus pais não agüentam mais, e meu noivo já até adiou o casamento… Mas acho que tenho algum problema, não consigo terminar nada, nem um curso simples que seja! Me ajudem por favor, me mostre qual caminho devo seguir! Estou me sentindo inútil.
Enviado por Viviane Alonso

Seu histórico demonstra que você está escolhendo pelo método de "tentativa e erro". Toda escolha envolve riscos, mas seu "método" é o que mais induz ao erro. Melhor é parar, pensar, refletir e assumir uma direção com mais compromisso: compromisso com sua história de vida, com seus interesses e seu futuro.

Por exemplo, perceba que todos os cursos "escolhidos" até hoje têm relação com cuidar de outras pessoas: da alimentação, do prazer, do bem-estar físico, da saúde. É este realmente seu objetivo? Se for, você tem um caminho. Senão, é hora de identificar outros interesses.

Crie uma imagem para cada profissão: imagine o ambiente de trabalho; pense nas questões cotidianas que terá que resolver; tente visualizar as pessoas com quem irá se relacionar. Mesmo que esta imagem possa estar relativamente distante da realidade, ela lhe ajudará a tornar mais concreta a análise de quem você deseja ser. Tente, então, firmar um compromisso com a opção que lhe parecer mais forte. Isto envolve um "ato de coragem", de investimento para que dê certo. Não é assim também quanto a noivados e casamentos? Temos que cuidar para que nossos projetos se realizem.

Você não tem que ser "útil" – tem que ser honesta consigo mesma.