logo-ge

“Quero fazer História, mas não ser professora. Em que áreas posso atuar?”

Você pergunta, nossos orientadores respondem

Quero fazer História, mas não quero ser professora. Quais outras áreas posso escolher?

Karine Vitória

Por JULIANA RISSARDI, sócia-consultora da People & Results 

Olá, Karine, tudo bem?

As áreas para a faculdade de História têm a ver com atividades que precisam desse conhecimento para o desenvolvimento de um trabalho. Elas normalmente envolvem pesquisar sobre um tema e desenvolver uma consultoria sobre aquilo, sendo você a expert consultada. 

Por exemplo, em novelas, cinema, teatro, o historiador é quem pesquisa histórias passadas e pode contribuir com o desenvolvimento de figurino, enredo, roteiro… Junto com isso, podemos lembrar que um historiador pode fazer pesquisas para livros, artigos e institutos de pesquisa que visam entregar uma consultoria sobre determinado ponto da história, pessoas ou personagens. Além disso, produzir conteúdo didático de história, validar materiais para as editoras. 

A ideia é que a faculdade de História te dê uma expertise que você possa atuar em diversos segmentos sempre trazendo um ponto de vista mais consultivo para desenvolver ideias e conteúdos. 

Uma dica: antes de fazer sua escolha, aproveite para conversar com pessoas que já fizeram esse curso e entender a atuação profissional delas para você verificar a sua vontade e aderência ao curso escolhido. 

Boa sorte!

Envie suas dúvidas para nosso canal de Orientação Profissional

People & Results

Empresas são feitas de profissionais. São eles que constroem, transformam e perpetuam a cultura corporativa. Quando colocadas em posições que exigem aquilo que cada um tem de melhor, alcançam desempenho superior, são mais felizes. Portanto, cuidar da cultura da empresa e da carreira é peça fundamental na gestão de pessoas e para o sucesso nos negócios. Em suma, pessoas e resultados são o nosso negócio.
(A consultoria, especializada em carreira e cultura organizacional, responderá periodicamente as dúvidas dos leitores do GE).