logo-ge

Astronomia

É a ciência que estuda os astros, a origem e a estrutura do Universo

É a ciência que estuda os astros, a origem e a estrutura do Universo. O astrônomo desenvolve e testa teorias, confrontando-as com a observação dos fenômenos.

Em cosmologia, ele investiga a evolução do Universo. Pode, ainda, analisar a composição química e as  características físicas dos astros. Ou se dedicar ao registro de imagens de estrelas, planetas, cometas, asteroides ou galáxias, a fim de estudar seu movimento, sua disposição no espaço e a relação com os demais corpos da região.

Para isso, faz uso de ciências como física e matemática, além de computação e equipamentos como telescópios e câmeras.

O que você pode fazer

Divulgação Montar exibições, dar palestras e coordenar visitas a planetários e museus, difundindo os conhecimentos astronômicos para o público leigo. Atuar, como colaborador, em revistas científicas.

Ensino Dar aulas de física, matemática ou astronomia no Ensino Médio, ou astronomia no Ensino Superior, desde que tenha pós-graduação.

Pesquisa Trabalhar em universidades, observatórios e centros de pesquisas espaciais.

Mercado de Trabalho

O setor de pesquisa é o que absorve a maior parte dos bacharéis. Após a formação, é comum fazerem uma pós-graduação e direcionarem sua carreira para a área científica. “Eles vão fazer pesquisa em universidade ou nos institutos de pesquisa, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Inpe, e o Observatório Nacional”, conta Gustavo Porto de Mello, coordenador do bacharelado em Astronomia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Na pesquisa acadêmica é comum trabalhar, principalmente, ao lado de físicos. Como o curso tem uma base forte em cálculos, outra possibilidade é dar aula de física e matemática no Ensino Médio.

Para quem quer atuar fora da área acadêmica, a divulgação científica é boa opção. O astrônomo é contratado por museus, observatórios, planetários e centros de cultura para gerir o espaço, assim como montar exposições e coordenar visitas. Com a forte base computacional e instrumental adquirida durante a graduação, o astrônomo sai da escola capacitado para atuar em empresas de tecnologia, fazendo tratamento e análise de imagens, lidando com banco de dados ou com sistemas de automação e controle. A Embratel também contrata o astrônomo para atuar no controle de satélites espaciais.

Sul e Sudeste são grandes centros urbanos, e por isso acabam demandando mais bacharéis. Mas no Nordeste, como existe carência de profissionais, as chances de colocação costumam ser maiores. Já o Ensino Médio demanda professores em todo o país.

Curso

Apenas três instituições oferecem a graduação em Astronomia no país.

Durante o curso, engana-se quem imagina que ficará de olhos grudados no telescópio. Os modernos instrumentos de observação são manipulados por computador, e boa parte dos dados é disponibilizada na internet. Física e matemática são a base teórica do curso. À medida que avança a formação, o estudante pode dar ênfase à pesquisa, ao desenvolvimento de códigos numéricos, à área de instrumentação ou à divulgação científica.

Você também pode dedicar-se à Astronomia fazendo o bacharelado em Física e, depois, uma pós-graduação na área.

Estágio e trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

Duração média: 4 anos.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado