logo-ge

Engenharia Aeronáutica

O foco de atuação do engenheiro aeronáutico é a elaboração de projetos de aeronaves e sua fabricação, além da execução das atividades de manutenção

O foco de atuação do engenheiro aeronáutico é a elaboração de projetos de aeronaves e sua fabricação, além da execução das atividades de manutenção. Pode trabalhar com helicópteros, planadores e todos os tipos de aviões e também com foguetes, satélites e sondas espaciais. É o responsável pela realização de reparos e pelas inspeções periódicas da estrutura e dos equipamentos, como asas, motores e fuselagem. Cuida também dos sensores e instrumentos de controle.

Além da indústria, ele pode atuar em obras e serviços ligados à infraestrutura aeronáutica, como a construção de aeroportos, o planejamento de linhas e o gerenciamento de tráfego aéreo.

Você pode ingressar na carreira de manutenção de aeronaves com um curso superior de tecnologia.

 

Veja também

Dúvida do vestibulando

QUAL A DIFERENÇA ENTRE CIÊNCIAS AERONÁUTICAS, ENGENHARIA AERONÁUTICA E ENGENHARIA AEROESPACIAL?

A diferença básica entre essas graduações é que Ciências Aeronáuticas forma pilotos comerciais. O profissional graduado nesse curso também pode trabalhar na área de gestão, na torre de controle dos aeroportos ou na supervisão do trabalho das equipes em terra.

A graduação em Engenharia Aeronáutica forma profissionais que projetam, constroem e fazem manutenção de aeronaves, seja na indústria, seja em companhias aéreas.

Já o engenheiro aeroespacial sai da faculdade apto a projetar e construir sistemas aeroespaciais, como foguetes e satélites artificiais.

O que você pode fazer

Engenharia aeroespacial Projetar veículos espaciais, satélites e foguetes, definindo os dados técnicos necessários a sua construção, a seu lançamento e a sua operação.

Fiscalização Fiscalizar o cumprimento de normas definidas pela Agência Nacional de Aviação (Anac) em aeroportos, companhias aéreas, aeroclubes e empresas de táxi aéreo.

Manutenção Coordenar a realização de reparos, manutenção preventiva e inspeções periódicas das estruturas, dos sistemas e equipamentos de aeronaves.

Projeto Desenhar a estrutura e os componentes de aeronaves, definindo os materiais e os processos empregados na produção e realizando ensaios e testes antes da fabricação em escala industrial.

Sistemas Projetar, construir, testar e instalar motores, instrumentos de controle e sensores em aeronaves. Definir as especificações dos mecanismos que controlam o trem de pouso, a alimentação de combustível e a pressurização da cabine, entre outros.

Mercado de Trabalho

Indústrias aeronáuticas, como a Embraer, e companhias áreas são as principais empregadoras deste engenheiro. Há também demanda em fabricantes de peças, componentes e sistemas aeronáuticos, em órgãos da Aeronáutica e em empresas que fazem manutenção de aeronaves. Nestas últimas, os profissionais são contratados por grandes companhias aéreas, que possuem centros de manutenção, para realizar os reparos em aviões ou helicópteros, ou por empresas terceirizadas que oferecem esse tipo de trabalho. Em fábricas do setor aeroespacial, ele é encarregado de atuar no projeto de sistemas, estruturas e propulsão aeroespaciais.

O programa FX-2, que prevê a modernização da frota de jatos da Força Aérea Brasileira (FAB), também abre campo para os graduados na área. “Existem oportunidades associadas ao Programa FX-2, que prevê a transferência de tecnologia entre a indústria sueca Saab, fabricante dos caças militares Gripen, e o governo brasileiro, que está adquirindo essas aeronaves”, conta André Cavalieri, coordenador do bacharelado em Engenharia Aeronáutica do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), de São José dos Campos (SP).

No programa de transferência de tecnologia, a Saab repassa para indústrias aeronáuticas brasileiras conhecimentos sobre sistemas e tecnologias embarcados nos jatos, para que possam ser fabricados no país – e a atuação dos engenheiros aeronáuticos é essencial para o sucesso do programa. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) inclui o bacharel em seus concursos para trabalhar na fiscalização da aviação civil. A Região Sudeste, principalmente o estado de São Paulo, concentra o maior número de oportunidades.

Curso

Nos dois primeiros anos, os alunos têm disciplinas básicas das engenharias, como física, química, matemática, cálculo, estatística e computação. A partir do terceiro ano, começam as matérias de cunho tecnológico, como eletrônica e dinâmica de sistemas de controle, além das específicas da carreira, como dinâmica estrutural, dinâmica de voo, motores, projetos aeronáuticos e homologação de aeronaves. Trabalho de conclusão do curso e estágios são obrigatórios.

Atenção: Univap (SP), UnB, UFMG, UFSC e UFSM (RS) oferecem curso de Engenharia Aeroespacial (veja mais no item O que você pode fazer); o ITA (SP) possui Engenharia Aeronáutica e Engenharia Aeroespacial.

Duração média: 5 anos.

Outros nomes: Eng. Aeroespacial; Eng. Aeron. e Espaço; Eng. Mecân. Aeron.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado