logo-ge

Engenharia Agrícola

O engenheiro agrícola cuida dos processos de produção agropecuária, levando em conta os fatores ambientais, econômicos e sociais

O engenheiro agrícola cuida dos processos de produção agropecuária, levando em conta os fatores ambientais, econômicos e sociais. Ele projeta e administra técnicas e equipamentos usados na lavoura e nas criações. Estuda e implementa métodos de armazenagem, constrói silos, armazéns e estufas, de olho na sustentabilidade. Propõe a adoção de medidas que impeçam a erosão e o esgotamento do solo e a poluição de mananciais. Constrói açudes, barragens, sistemas de irrigação e de drenagem. Trabalha em projetos de mecanização agrícola e eletrificação rural.

A formação permite, ainda, que trabalhe com os aspectos relacionados à distribuição e à comercialização do produto. Embora este seja o curso mais tradicional na preparação deste profissional, surgem nas escolas graduações que enfatizam a formação em novas tecnologias, como as de Engenharia de Biossistemas.

O que você pode fazer

Águas e solo: construir açudes, barragens e sistemas de irrigação e drenagem. Combater danos ao meio ambiente, como erosão, e pesquisar técnicas de conservação ambiental.

Construção rural: projetar e construir estufas, silos e estábulos, mantendo as condições ideais de climatização.

Controle e automação: monitorar equipamentos, componentes e dispositivos mecânicos, elétricos, eletrônicos, magnéticos ou ópticos.

Eletrificação rural: instalar em propriedades rurais fontes de energia hidráulica, elétrica, solar ou que usam bioenergia. Fazer diagnóstico energético em uma propriedade.

Extensão rural e difusão de tecnologia: orientar produtores rurais sobre tecnologias e conhecimentos de produção segundo a capacidade produtiva da propriedade.

Mecanização agrícola: projetar e construir equipamentos mecânicos, bem como otimizar sistemas mecanizados para todas as etapas da produção agropecuária e agroindustrial. Prestar assistência técnica aos agricultores.

Planejamento agropecuário: organizar e gerenciar negócios agropecuários. Fazer previsão de safras e propor métodos para gestão dos recursos naturais.

Qualidade rural: avaliar os processos agropecuários, medir seus resultados, monitorando com uso de ferramentas da estatística e metrologia cada etapa da produção, de modo a aumentar a produtividade e a qualidade do produto final.

Saneamento: projetar estações de tratamento de esgoto, instalações de dejetos agrícolas e fossas.

Tecnologia pós-colheita: determinar os sistemas de embalagem, armazenamento, transporte e beneficiamento das safras.

Veja também

Mercado de Trabalho

Apesar da crise econômica, o agronegócio segue aquecido, abrindo vagas para este engenheiro. O setor responde por 22% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, que é a soma de riquezas do país.

As maiores demandas estão na mecanização agrícola e na área de edificações rurais, principalmente na construção de silos, que são estruturas para armazenamento de produtos agrícolas.

O mercado também está aquecido para quem lida com fontes alternativas de energia, com engenharia de água e solo e saneamento rural. Neste último caso, o engenheiro projeta estações para tratamento de dejetos agrícolas, minimizando o impacto de seu despejo na natureza. Ele encontra trabalho em fazendas, cooperativas, usinas de biocombustível, indústria de máquinas e implementos, firmas de armazenamento e companhias de logística.

Este profissional pode, também, prestar consultoria e trabalhar em instituições de ensino, pesquisa e extensão. A Região Centro-Oeste, com forte presença da atividade agrícola, é a maior empregadora do país.

Curso

Como ocorre em todos os cursos de engenharia, o de Agrícola também começa com dois anos de disciplinas básicas – fundamentalmente física, matemática, estatística, informática e química. Paralelamente, o aluno vê matérias mais específicas, como estudo do solo.

A partir do terceiro ano, começam as aulas de planejamento e administração, sistemas de produção animal e vegetal, pós-colheita, irrigação e drenagem, mecanização agrícola, automação e controle.

Estágio e a entrega de um trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

Atenção: algumas escolas oferecem o curso com o nome de Engenharia Agrícola e Ambiental.

Duração média: 5 anos.

Outro nome: Eng. Agrícola e Amb.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado