Assine com até 65% de desconto

Engenharia da Computação

Este engenheiro projeta e constrói computadores, periféricos e sistemas computacionais

Por Redação Atualizado em 17 Maio 2019, 16h48 - Publicado em 21 Maio 2012, 14h07
GE/Guia do Estudante

Este engenheiro projeta e constrói computadores, periféricos (equipamentos ou acessórios ligados à unidade central de processamento, a CPU, tais como mouse, teclado, câmera, cartão de memória) e sistemas computacionais. Ou seja, seu foco principal é o hardware. O bacharel desta área entende de placas e circuitos e pode criar sistemas digitais, computadorizados e robôs.

Desenvolve produtos para serviços de telecomunicações, como os que fazem a interligação entre redes de telefonia. Em grandes empresas, gerencia e dá assistência a redes de computadores. É possível ingressar na carreira com uma formação de tecnólogo.

  • O que você pode fazer

    Automação industrial e robótica: projetar robôs, sistemas digitais e computadorizados para fábricas.

    Desenvolvimento de softwares e aplicativos: criar programas de computadores segundo as necessidades do cliente. Projetar e desenvolver novos sistemas operacionais e linguagens específicas, buscando inovações tecnológicas.

    Fabricação de hardware: projetar e construir computadores e periféricos.

    Marketing e vendas: planejar e coordenar ações para a comercialização de equipamentos de informática.

    Suporte: gerenciar redes de computadores em grandes empresas e dar assistência a elas.

    Mercado de Trabalho

    Mesmo com o país em crise, o setor de Tecnologia da Informação continua crescendo, gerando demanda por profissionais capacitados, entre eles o engenheiro da computação. A maior demanda está na área de big data, em que o bacharel desenvolve algoritmos para analisar a grande quantidade de dados que circula na internet e, assim, ajudar a melhorar o desempenho dos negócios. O desenvolvimento de novos aplicativos para smartphones continua absorvendo uma parte dos graduados.

    Empresas dos mais diferentes setores estão investindo cada vez mais na criação e na melhoria esses aplicativos, que se tornaram uma ferramenta de negócios – ou seja, deixaram de ser usados apenas para diversão e agora oferecem serviços aos consumidores.

    Nesta área, o engenheiro também é solicitado para criar as plataformas em que esses aplicativos irão funcionar. Trabalhar com sistemas embarcados é outra opção para o graduado. Entre os setores que mais demandam novas tecnologias estão o de serviços em geral, aeronáutico, automobilístico, financeiro e de telecomunicações, com destaque para a telefonia celular.

    O profissional também é requisitado para atuar na área de vendas, comercializando equipamentos de alta tecnologia. A maior oferta de emprego está nas regiões Sul e Sudeste, mas há também outros polos, como o de Recife (PE), nas empresas do Porto Digital.

    Curso

    O currículo traz as matérias básicas das engenharias, como álgebra e cálculo, e específicas, como linguagens de programação, circuitos lógicos e arquitetura de computadores. Estágio e a apresentação de um trabalho de conclusão de curso são obrigatórios.

    Em algumas escolas, no último ano, o aluno pode cursar  disciplinas voltadas a uma área de especialização da profissão, como a criação de softwares ou robótica.

    Atenção: alguns cursos de Engenharia Elétrica oferecem ênfase em computação, como o da Uerj e o do Centro Universitário da FEI.

    A Uema, em São Luis (MA), tem o bacharelado com três ênfases específicas: TI e engenharia de software; automação e controle; e telemática, com ênfase em redes e telecomunicações.

    Duração média: 5 anos.

    Outros nomes: Eng. Comput.; Eng. de Comput. e Inf.; Eng. Elétr. (comput.); Eng. Elétr. (sist. e comput.).

     

    Legenda:

    Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

    ★★★★★ - Excelente

    ★★★★ – Muito bom

    ★★★ - Bom

    CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

    O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

    Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

    $ - Até 500,00 reais

    $$ - De 500,01 a 750,00 reais

    $$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

    $$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

    $$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

    n/i - Valor não informado

    Você também pode se interessar por:

    Publicidade