logo-ge

Engenharia de Produção

O engenheiro de produção é essencial em empreendimentos de quase todos os setores

O engenheiro de produção é essencial em empreendimentos de quase todos os setores. Cabe a ele gerenciar os recursos humanos, financeiros e materiais de uma empresa a fim de elevar sua produtividade e rentabilidade. Ao associar conhecimentos de engenharia a técnicas de administração e fundamentos de economia, é capaz de propor procedimentos e métodos que racionalizam o trabalho, aperfeiçoam a produção e ordenam as atividades financeiras, logísticas e comerciais de uma organização.

Assim, ele cuida do planejamento da linha de produção, seu controle, os sistemas de abastecimento, a qualidade do produto, a produtividade e a rentabilidade do sistema, a gestão de custos do processo produtivo e o dimensionamento dos recursos humanos necessários para a produção. Por atuar como elo entre os setores técnicos e administrativos, seu campo de trabalho ultrapassa os limites da indústria.

O especialista em economia empresarial, por exemplo, costuma ser contratado por bancos para montar carteiras de investimentos. Também é requisitado por empresas prestadoras de serviços para definir funções e planejar escalas de trabalho. Vários cursos permitem ingressar na carreira como tecnólogo.

Veja também

 

Fique de Olho

VÁRIAS ÊNFASES PARA A ENGENHARIA DE PRODUÇÃO

Algumas instituições oferecem o curso voltado para uma habilitação específica. A mais comum é a mecânica, que alia o conhecimento técnico da Engenharia Mecânica com as áreas administrativas e econômicas da Engenharia de Produção. Outras ênfases são agroindústria, confecção industrial, construção civil, indústria química, automotiva, elétrica, metalúrgica, software, serviços e até produção cervejeira. A UFPA, em Abaetetuba (PA), tem o curso de Engenharia Industrial, que foca em planejamento, direção e controle dos processos de produção industrial.

ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CERVEJEIRA

A Faculdade Escola Politécnica de Inovação e Conhecimento Aplicado (Épica), em Blumenau (SC), passou a oferecer essa engenharia, prevista para começar no segundo semestre de 2017. Trata-se do segundo curso desse tipo no mundo – o primeiro surgiu na Alemanha. O aluno formado sai como Engenheiro de Produção pleno e poderá trabalhar em qualquer tipo de empresa, além da indústria cervejeira. A grade curricular compreende três grandes eixos.

Na formação básica, o aluno estudará cálculo, física, química, mecânica e resistência dos materiais, entre outras disciplinas. No núcleo profissionalizante, verá, por exemplo, eletricidade aplicada, projeto de produto, metrologia industrial e engenharia da qualidade e produtividade.

Na formação específica entram conteúdos como microbiologia, análise sensorial, desenho técnico mecânico, processo de malteação, planejamento e controle da produção, processo de fermentação e processo de engarrafamento.

O que você pode fazer

Desenvolvimento organizacional Analisar e definir a estrutura de uma empresa.

Economia empresarial Gerenciar a vida financeira de uma empresa, lidando com custos e aplicação de recursos.

Engenharia do trabalho Administrar a mão de obra para a produção de bens ou a prestação de serviços, avaliando custos, prazos e instalações para possibilitar a execução do trabalho.

Planejamento e controle Implantar e administrar processos de produção, da seleção de matérias-primas à saída do produto. Estabelecer e fiscalizar padrões de qualidade. Gerenciar operações logísticas, como armazenagem e distribuição.

Produção agroindustrial Atuar na produção agrícola, processamento industrial, comercialização e distribuição de produtos.

Simulação de processos Antecipar problemas e encontrar soluções, com o uso de ferramentas de TI.

Mercado de Trabalho

Nos últimos anos, com a crise econômica, o setor industrial brasileiro precisou reduzir custos e apostar em inovações em seus processos para produzir mais e de forma mais eficiente. E esta é uma boa oportunidade para o engenheiro de produção, o profissional talhado para implantar essas mudanças. É sua responsabilidade planejar e controlar o processo produtivo e supervisionar a redução de gastos, identificando e eliminando os desperdícios na cadeia produtiva.

Ele é procurado não apenas pela indústria, mas também por empresas prestadoras de serviço, lojas de varejo, setor de turismo, tecnologia da informação, telecomunicação e saúde. Bancos e corretoras também absorvem o profissional para atuar como analista de investimentos.

A maioria das vagas está no Sudeste e no Sul. Mas a instalação de indústrias no Ceará e em Pernambuco abre o mercado nordestino. Merecem destaque, ainda, o Centro-Oeste e o interior paulista, com a agroindústria.

Curso

O curso se inicia com as disciplinas básicas das engenharias, como cálculo e engenharia experimental, e segue com as específicas, como gestão de investimentos, organização do trabalho, controle de produção, qualidade, logística e suprimentos.

Nos anos finais, acrescentam-se conteúdos de Sociais Aplicadas, como administração e economia, e o aluno começa o estudo de matérias próprias da habilitação escolhida. Também há muitas atividades práticas, realizadas em laboratório. Para se diplomar, é preciso fazer estágio e apresentar uma monografia.

Duração média: 5 anos.

Outro nome: Eng. Ind.

 

Legenda:

Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante

★★★★★ - Excelente

★★★★ – Muito bom

★★★ - Bom

CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 

O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 

Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:

$ - Até 500,00 reais

$$ - De 500,01 a 750,00 reais

$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais

$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais

$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais

n/i - Valor não informado